Artigos sobre tradução

Straelen, a meca dos tradutores de literatura

Copyright: Europäisches Übersetzer-KollegiumDurante seus 25 anos de atividades, o Europäisches Übersetzer-Kollegium Nordrhein-Westfalen (Centro Europeu de Tradutores) em Straelen tornou-se uma meca para tradutores literários profissionais, descrita por Andrzej Szczypiorski na ocasião de sua visita em 1996, como "a mais humana e mas importante notabilidade da cultura européia contemporânea".

DA pequena cidade de Straelen, com quase 16 mil habitantes, situa-se a poucos quilômetros da fronteira da Holanda e é o maior centro de produção e distribuição de flores e legumes na Alemanha. O fato de Straelen (pronuncia-se Stralen) situar-se no centro de uma das maiores regiões de horticultura na Europa, não é o motivo para a peregrinação de tradutores literários do mundo inteiro para a cidade.

Há 25 anos o Europäisches Übersezter-Kollegium(EÜK) em Straelen, fundado em janeiro de 1978 por iniciativa do tradutor de Beckett, Elmar Tophoven, e do então presidente da Associação de Tradutores Literários, Klaus Birkenhauer, atrai tradutores literários profissionais.

Um ponto de encontro

O objetivo dos fundadores do centro era criar um ponto de encontro de tradutores literários, geralmente dedicados ao trabalho de maneira um tanto solitária, onde pudessem se encontrar para trocar experiências. O modelo dos iniciadores foi a escola de tradução medieval na cidade espanhola de Toledo, onde trabalhavam conjuntamente tradutores de várias áreas lingüísticas.

Hoje o EÜK é o maior centro de tradutores literários do mundo. Constitui-se em um conjunto de seis casas antigas, com salas de bibliotecas, salas de reuniões e onde estão à disposição 30 apartamentos, assim como cozinhas em comum onde os hóspedes podem preparar sua própria refeição.

Aqui podem trabalhar e morar tradutores literários profissionais, que tenham publicado pelo menos duas traduções substanciais e que trabalham em um projeto concreto baseado em um contrato assinado com uma editora.

Todos os anos cerca de 750 hóspedes usufruem a atmosfera e as condições de trabalho no Centro. Tradutores de mais de 50 países - do Egito à Letônia, da Nova Zelândia ao Zaire - utilizam as atraentes facilidades nessa cidade da região do Baixo-Reno.

Um lugar para todo tipo de perguntas

No Centro estão à disposição dos hóspedes alemães e estrangeiros, 30 locais de trabalho com computadores. No entanto, quando se trata especialmente da biblioteca no EÜK, os tradutores vão à loucura, encontram tudo que desejam.

Com 110 mil volumes, essa biblioteca oferece durante 24 horas por dia, tudo que um tradutor deseja. 25 mil obras de referência em mais de 275 línguas e dialetos - desde afrikaans até zulu - estão à disposição nas estantes. Encontram-se tanto enciclopédias em uma ou várias línguas, dicionários gerais, como um grande número de obras de referência e dicionários de termos técnicos. O centro oferece ainda 60 mil volumes de obras da literatura universal (no original ou traduzidas) assim como 25 mil livros de não-ficção.

Aqui encontramos as respostas às perguntas que de vez em quando deixam os tradutores literários desesperados no seu escritório de casa: "O que é um Rommelspargel (Aspargo de Rommel)?", ou, "Onde fica a Ilha da Grande Mãe"?

Um lugar de muitos acontecimentos

Mais de 15 mil traduções foram realizados em Straelen. A "Fenomenologia do espírito" de Hegel foi traduzida aqui para o coreano, "O homem sem qualidades" de Musil para o hebraico, "Momo" de Michael Ende para o estoniano. "Os prazeres e os dias" de Proust" foi traduzido para o dinamarquês, os sonetos de Shakespeare e o "Teatro de Sabbath" de Philip Roth, para o alemão. Na primavera de 2002 foi traduzido aqui o livro de Günter Grass "Passo do caranguejo" para o finlandês, russo, latão, búlgaro e lituano.

Porém a tradução não é a única atividade em Straelen: o Instituto também dá lugar a vários seminários e cursos de aperfeiçoamento para tradutores. Em Straelen é conferido o prêmio de tradutor da Fundação de Arte para Renânia do Norte-Vestfália no valor de € 25 mil. Além disso, essa fundação apoia, desde 2002, através do programa Translator in Residence, a presença de um tradutor no EÜK, que com a ajuda de leituras, palestras e Workshops oferece uma visão geral sobre o trabalho do tradutor literário.

Na publicação comemorativa dos 25 anos de existência, com o título "Por que viajo tantas vezes para Straelen?", encontram-se descrições elegíacas da atmosfera desse lugar. Oili Suominen da Finlândia chega à seguinte conclusão: "A pergunta está mal formulada. A pergunta correta é: "Porque todos os tradutores não viajam todos os anos para Straelen?"

Dagmar Giersberg, Cleeves Communication UnitZwei.
Redatora e publicista, Bonn
online-redaktion@goethe.de
Maio de 2003
Links relacionados