7 perguntas para...

Renata de Souza Dias Mundt

Nasceu em 1968 em São Paulo - SP

1990 USP - FFLCH - Curso de Letras: Português/ Alemão.

1992 IPBA (Instituto Pedagógico Brasil/ ALemanha) - Referendariat Deutsch als Fremdsprache.

1994 USP - Faculdade de Educação - Licenciatura em alemão.

1995 Curso de especialização em Ensino de Alemão como Língua Estrangeira – pedagogia para estrangeiros na Universidade de Koblenz – Landau, Rheinland Pfalz / Alemanha.

2000 USP - FFLCH - Letras Modernas - Mestrado em tradução de literatura infanto-juvenil alemã: Traduzir para crianças, uma brincadeira muito séria.

rmundt@uol.com.br


Bolsas e premiações

2002 Menção Altamente Recomendável para Jovens da Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil na categoria Tradução/ adaptação para jovens pela tradução do livro Coloquei você no centro do mundo, de Andrea Hensgen, Editora Ática

2011 Menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil na categoria Tradução/ adaptação para jovens pela tradução do livro Oportunidade para um pequeno desespero, de Franz Kafka, com organização e ilustrações de Nikolaus Heidelbach, Editora Martins Martins Fontes.


Como você chegou à tradução?
A tradução foi a forma que encontrei de trabalhar com duas paixões: a língua e a literatura. Cheguei à língua alemã quase por acaso: quando entrei na faculdade, ela abriu pela primeira vez a oportunidade de estudarmos, além da língua portuguesa, também uma língua estrangeira. Escolhi o alemão apenas porque achei que só assim aprenderia a língua de Thomas Mann, meu autor preferido. Nunca pensei que trabalharia com essa língua.

Sob quais critérios você busca um texto para traduzir?
Infelizmente, o único texto que escolhi traduzir foi o de Paul Maar, Eine Woche voller Samstage/ Uma semana cheia de sábados, o qual traduzi para o meu mestrado. Nos outros casos, é sempre a editora quem me procura com uma proposta que eu aceito ou não. Já aceitei traduzir livros por motivos financeiros, esquecendo outros critérios. Porém, quando posso escolher, meu critério é sempre a qualidade literária do texto a ser traduzido.

Para você, o contato com o autor da obra é importante? Justifique.
Sim, o contato com o autor da obra é essencial, pois muitas vezes o tradutor precisa fazer adaptações e tomar decisões tradutológicas para as quais uma discussão com o autor ajuda muito. Como foi o caso do livro do Paul Maar, em que tive de fazer muitas adaptações e mantive uma importante correspondência com o autor por e-mail. Às vezes o autor pode ajudar também nos fornecendo referências sobre citações, alusões e outros paratextos presentes na obra.

Qual obra traduzida por você se distanciou mais da cultura brasileira?
A obra que mais se distanciou da cultura brasileira foi o livro de Murat Kurnaz, Cinco anos de minha vida: um turco-alemão relatando sobre os anos que passou em Guantánamo. Seu relato incluía muitas questões de sua religião, da questão dos turcos na Alemanha e no mundo. No entanto, a obra que mais se distanciou em termos linguísticos foi Eine Woche voller Samstage, de Paul Maar, pois a sua essência está no jogo de palavras.

Em uma tradução, qual dificuldade linguística já levou você ao desespero?
Não cheguei ao desespero, mas tive muita "dor de cabeça" com a obra de Paul Maar acima citada, pois tive de reinventar boa parte do livro, preocupando-me em não perder o lado lúdico da obra. O livro de Andreas Hensgen, Coloquei você no centro do mundo, também foi extremamente trabalhoso, pois ele faz muitas citações de livros da Renascença, de forma que tive de realizar uma extensa pesquisa linguística para compreender o alemão do período e traduzir as citações corretamente. Um texto ainda inédito, de Sabina Spielrein, também me deu enorme trabalho, pois tratava de um caso de esquizofrenia, relatado no começo do século XX: eu tive de lidar com questões de psicanálise (em um período em que ela estava nascendo), com as diferenças linguísticas daquela época e com o discurso da esquizofrênica, o qual foi a base de toda a teoria e do estudo da autora.

Autor(a) ou livro alemão preferido:
Thomas Mann.

Qual livro gostaria de traduzir e por quê?
Eu gostaria de traduzir os livros de Erich Kästner e de Fontane, pois são autores importantíssimos da cultura alemã que nunca ou pouco foram traduzidos no Brasil.

  ©
Obras traduzidas do alemão para o português:

Herzog, Werner
Conquista do inútil / Werner
Herzog. São Paulo: Martins
Martins Fontes, 2013. 336 p. : il.
ISBN 978-85-8063-072-5
Título original: Eroberung des Nutzlosen.


Freud, Sigmund
Sobre a transitoriedade
Título original: Vergänglichkeit
In: Mente & Cérebro, São Paulo, n. 214,
p. 20, nov. 2010.


Kafka, Franz
Oportunidade para um pequeno desespero ; org. e il. Nikolaus Heidlbach.
São Paulo: Martins Martins Fontes, 2010. 116 p. : il.
ISBN 978-85-6163-583-1
Título original: Gelegenheit zu einer kleinen Verzweiflung


Eberle, Henrik
Cartas para Hitler
São Paulo: Ed. Planeta do Brasil, 2010. 464 p. : il.
ISBN 978-85-7665-531-2
Título original: Briefe an Hitler


Walser, Martin
Um homem apaixonado
São Paulo: Ed. Planeta do Brasil, 2010. 269 p.
ISBN 978-85-7665-443-8
Título original: Ein liebender Mann


Kurnaz, Murat
Cinco anos de minha vida
São Paulo: Ed. Planeta do Brasil, 2008. 303 p.
ISBN 978-85-7665-376-9
Título original: Fünf Jahre meines Lebens


Suter, Martin
O diabo de Milão
São Paulo: Ed. Planeta do Brasil, 2008. 320 p.
ISBN 978-85-7665-377-6
Título original: Der Teufel von Mailand


Härtling, Peter
Com Clara somos 6
São Paulo: Edições SM, 2005. 176 p. : il.
ISBN 978-85-7675-006-2
Título original: Mit Clara sind wir sechs

Bibliografia completa