50 anos Goethe-Institut Porto Alegre

Herbert Caro

Luiz Eduardo Robinson Achutti
Luiz Eduardo Robinson Achutti

Herbert Moritz Caro nasceu em Berlin, em 16 de outubro de 1906. Em 1933 foi proibido de exercer a profissão de advocacia por ser judeu e foi obrigado a sair da seleção alemã de tênis de mesa.

Em maio de 1935 chegou ao Brasil com um vocabulário de três mil palavras aprendidas em um curso na Alemanha e em dezembro do mesmo ano casou-se com Nina Zabludowski. De 1939 a 1948 trabalhou na famosa Sala dos Tradutores, da editora Globo, a convite de Henrique Bertazo e Erico Verissimo.

Em 1947 foi naturalizado brasileiro e no ano seguinte começou a trabalhar na seção de livros importados da Livraria Americana, na Rua da Praia, onde sempre sorridente, cativava seus clientes. Quando a livraria fechou em 1957, começou a trabalhar como autônomo e free-lancer no Correio do Povo.

Confira o poema que Mário Quintana fez em homenagem a Herbert caro

Em 1959, Caro foi contratado pelo então Instituto Cultural Brasileiro-Alemão para dirigir a Biblioteca, onde também realizou conferências periodicamente sobre artes plásticas (muitas deles sobre Aleijadinho) e literatura não só no Instituto, mas também em diversos países, bem como na própria Alemanha. Na Biblioteca iniciou suas atividades em março de 1959 e ficou até se aposentar, em março de 1976, contribuindo para a expansão do acervo, inicialmente de 300 volumes para 11 mil.

Caro recebeu em 1974, a Cruz da Ordem do Mérito, Primeira Classe, do governo alemão. Em 1986, recebeu da cidade de Porto Alegre o título de Cidadão Emérito de Porto Alegre e no ano seguinte a Medalha Cidade de Porto Alegre.

Herbert Caro foi tradutor, autor de livros e dicionários, conferencista, bibliotecário, escritor de vários artigos e ensaios para jornais e revistas brasileiras e alemãs. Entre os autores traduzidos estão Mann, Canetti, Feuchtwanger, Quintana, Verissimo, entre outros, tornando-se inclusive amigo deles.

Herbert Caro faleceu em Porto Alegre, em 24 de março de 1991, aos 84 anos.