Imagens do Açúcar

Açúcar Negro

Premiado como melhor filme estrangeiro (documentário) em dezembro de 1987, em Havana, Açúcar Negro não é o único filme na carreira do diretor canadense Michel Reigner. A obra foca na abordagem de questões sociais desde a evolução dos países africanos, com ênfase para os da língua francesa, a aspectos cruciais de urbanismo, habitação, agricultura e saúde. Açúcar Negro retrata a dolorosa realidade, neste final de século, da escravidão que vive os haitianos explorados nos canaviais das multinacionais na República Dominicana. Um fato que acontece nos dias atuais e que deixa impotentes até as entidades humanísticas mais atuantes como as Nações Unidas que não fazem nada porque se trata de uma situação decorrente de um acordo entre dois países soberanos (Haiti e República Dominicana).

Michel Reigner, ao longo de seu filme denuncia uma lógica perversa de miséria, em que vivem cerca de 20.000 bóias-frias que atravessam a fronteira para cortar cana. Atraídas pela promessa de lucro se submetem a trabalhar até quatorze horas por dia, morando em acampamentos sujos, sem acesso a água encanada, eletricidade, saúde e educação. Este documentário, constituindo-se assim, num necessário alerta para o mundo que ainda convive com terríveis realidades como esta.
Sinopse baseada na publicação do site Tablóide Digital
Aramis Millarch, 1988

Açúcar Negro

Açúcar Negro
Documentário
1988, Canadá
Direção: Michel Régnier