Estudar

Estudar em Portugal. Viagem de formação – Parte I:
O Norte e o Centro de Portugal

https://www.flickr.com/photos/torrelodones/21302371280/ Moliceiros im Zentrum von Aveiro, Foto: „Aveiro - Canales“ von Raúl A. / CC BY-ND 2.0Moliceiros im Zentrum von Aveiro, Foto: „Aveiro - Canales“ von Raúl A. / CC BY-ND 2.0, https://www.flickr.com/photos/torrelodones/21302371280/Que Portugal não vale a pena só pelos passeios na praia, mas também como local para estudar, é algo que já tínhamos comprovado. Quem quiser estudar no sudoeste da Europa tem, além dos suspeitos do costume como o Porto, Coimbra ou Lisboa, numerosas outras opções mais desconhecidas. Em seguida quero realizar convosco uma pequena viagem panorâmica desde o verde Norte até ao soalheiro Algarve e às ilhas do Atlântico.

Se o nosso próprio instituto não tiver um Erasmus-Agreement fixo com uma universidade portuguesa, existe muitas vezes a possibilidade de acordar uma cooperação e um apoio individual com uma faculdade adequada. Os interlocutores são os Gabinetes de Relações Internacionais e o/a conselheiro/a de Outgoing no próprio instituto. Quem quiser realizar um curso superior completo no estrangeiro tem liberdade de escolha na UE, mas precisa de ter em consideração as propinas, que em regra são apenas custeadas em caso de apoio do Erasmus ou do DAAD (é necessário requerer em tempo útil!). Em Portugal, nas universidades estatais e, sobretudo, nas privadas, as propinas são bem mais caras do que na Alemanha e normalmente não oferecem benefícios, como um bilhete semestral.

Minho – Estudar no vale entre o mar e as montanhas

A Universidade do Minho, no verde Norte, é sobretudo indicada para espíritos que não se deixem intimidar pelo liquid sunshine à irlandesa, nomeadamente no semestre de inverno. O campus de Braga oferece Letras, Direito, Medicina, Ciências da Natureza, Psicologia, Ciências Sociais e Ciências Económicas. Na mais pequena cidade de Guimarães pode estudar-se Arquitetura, Geografia, Informática e Engenharia. As duas cidades ficam a uma hora de autocarro ou de comboio do Porto. Em Braga vive-se bem e barato no centro ou no bairro de estudantes em volta do campus (muitos cafés e bares).

Minho (Braga) – 180 mil habitantes, quase 10 % estudantes, renda com despesas incluídas ca. 150 €

Universidade do Minho
Cursos de línguas na universidade
Rede Erasmus para eventos e passeios

Porto – A capital de Erasmus de Portugal!

© Johanne PeitoA grande cidade portuária sobre o Douro não é apenas considerada a capital secreta e económica de Portugal, a sua universidade, com quase 2000 inscritos vindos de fora, é também a líder nacional em termos de estudantes estrangeiros. As faculdades estão distribuídas sobre o centro por cima do rio, mas são bem acessíveis a pé ou de metro. Mais a norte, no final da linha amarela, ficam apenas as faculdades de Desporto, Engenharia e Medicina. Surfar ou ver o pôr do sol junto ao mar pode ser feito após uma viagem de 25 minutos de comboio. Entre outras coisas, o Porto é famoso pela sua escola de arquitetura portuguesa (Souto Moura e Siza Vieira). Este embrulho atraente tem o seu preço: viver no movimentado centro custa quase tanto como em Lisboa, o que, pese as diferenças, para pior, no conforto, o coloca ao nível das grandes cidades alemãs.

Uma noite típica no Porto começa com uma francesinha e umas cervejas no Café Piolho, junto à universidade. Seguem-se os bares e os clubes na direção dos Aliados ou do Coliseu (de quinta a sábado) ou para baixo, para a Ribeira, o «bairro dos copos» (segunda).

Porto – 270 mil habitantes, mais de 16 % estudantes, renda com despesas incluídas ca. 250 €

Universidade do Porto
Cursos de línguas na universidade
Rede Erasmus

Aveiro – A colorida cidade da ria e dos ovos moles

A pequena cidade estudantil situada precisamente entre o Porto e Coimbra é conhecida por três coisas: pela sua universidade, por uma guloseima e pela alcunha de Veneza de Portugal. Mas se as gôndolas italianas recordam antes barcos negros dos mortos [da mitologia], aqui os moliceiros são muito mais coloridos. O jovem campus situado junto à ria é sobretudo conhecido pela Matemática, pelas Ciências da Natureza e pela faculdade técnica. O ponto central de Aveiro é o mercado de peixe, com cafés, bares e vida noturna; dali chega-se à universidade e à estação de comboios a pé. Para passear existem bicicletas de aluguer ou o autocarro que leva à praia através da ria (15 minutos). Já os ovos moles não são aqui um insulto, mas sim um doce típico com muita gema de ovo [na Alemanha, chamar a alguém «Weichei» (ovo mole) é insultuoso].

Aveiro – 78 mil habitantes, quase 20 % estudantes, renda com despesas incluídas ca. 200 €

Universidade de Aveiro
Cursos de línguas na universidade
Rede Erasmus

Coimbra – Muralhas antigas, fino e trajes negros

 Studentinnen in ihren klassischen Roben, Foto: „Alumnas en Coimbra“ von Guillén Pérez / CC BY-ND 2.0, https://www.flickr.com/photos/mossaiq/23534525110/Coimbra é um pouco como Heidelberg, na Alemanha. A diferença é que o Neckar aqui chama-se Mondego e os caminhos são um pouco mais íngremes. Por causa dos muitos estudantes, grande parte da vida da mais antiga cidade universitária de Portugal é ditada pelo calendário académico e pelo ritmo do campus. Este inclui também ritos de iniciação arcaicos para os caloiros (praxes). A universidade distribui-se por três polos: o primeiro fica nos edifícios antigos no centro (Arquitetura, Direito, Matemática, Psicologia, Letras e Ciências da Natureza), os outros dois no sul (Engenharia e Informática) e no norte (Medicina, Farmácia, Ciências Económicas). Se as necessidades dos tempos livres forem além de um fino (cerveja pequena) num dos muitos cafés e bares em volta da Sé Velha ou da Praça da República, é possível chegar à margem do rio em 15 minutos, de autocarro.

Coimbra – 140 mil habitantes, quase 25 % estudantes, renda com despesas incluídas ca. 200-250 €

Universidade de Coimbra
Cursos de línguas na universidade
Rede Erasmus
Coimbra Survival Guide

Beira Interior, Covilhã – Paisagem alpina portuguesa

A Covilhã fica no sopé da Serra da Estrela – casa da única regiãozinha de esqui de Portugal, do delicioso queijo amanteigado de ovelha e das pantufas de pele de cordeiro, perfeitas para invernos frios. A universidade está alojada, em parte, no edifício histórico de uma antiga fábrica de lã e distribui-se pelas encostas da pequena cidade, ligadas por elevadores. As faculdades oferecem cursos de Arquitetura, Ciências da Natureza, Engenharia, Ciências Sociais, Letras, Psicologia, Cinema/Design e Medicina. Na parte mais alta da cidade velha fica o Jardim Público, com os seus cafés, bares e quiosques, a apenas 1 quilómetro da residência «PAC» (apenas 100 euros/mês, os andares mais altos são mais calmos). Verdadeiros clássicos são o bar com lareira na travessa mesmo ao lado e, naturalmente, a taberna no centro, por trás da câmara municipal.

Beira Interior (Covilhã) – 52 mil habitantes, quase 14 % estudantes, renda com despesas incluídas ca. 200 €

Universidade da Beira Interior
Cursos de línguas na universidade
UBI/Covilhã Student Guide
Rede Erasmus

A viagem de formação através de Portugal continua na segunda parte: De Lisboa pelo Alentejo até ao Algarve e às ilhas do Atlântico.
Nik Völker
sente-se em casa na região fronteiriça europeia entre o Danúbio, o Reno e o Tejo e estudou Ciências da Comunicação e da Cultura em Düsseldorf e Lisboa. Vive e trabalha na capital portuguesa desde 2011.

Copyright: Tudo Alemão
Março de 2016

Este texto é uma tradução do alemão.

     

     
     

    Migração e integração

    A migração altera culturas

    rumbo @lemania

    © rumbo @lemania
    … el portal para jóvenes nómadas

    FuturePerfect

    © Future Perfect
    Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

    Goethe-Institut Portugal

    Bem-vindo
    à nossa
    Homepage!