Berlim aLive

Os meus quatro locais preferidos de Berlim

© Birke Resch© Birke Carolin ReschNão há forma bonita de o dizer: o verão acabou e, de qualquer modo, ele foi bem chuvoso este ano em Berlim. O outono, pelo contrário, ainda pode ser bom, e a melhor maneira de o gozar é ao ar livre. Aqui ficam os meus quatro locais preferidos de Berlim que ainda são belos no outono.

Ser ativo no Tempelhofer Feld

Em Berlim só há um local onde se pode escapar do aperto e da agitação sem deixar a cidade: o Tempelhofer Feld. Para quem vem da Columbiadamm, um pequeno e discreto caminho de floresta leva-nos para fora da estrada e meio minuto depois abre-se o olhar para o extenso terreno do antigo aeroporto de Tempelhof: uma gigantesca área verde com vista livre quase até ao horizonte. Desde 2010 que os berlinenses e os turistas podem utilizar o campo de 300 hectares para relaxar e fazer desporto, e fazem-no com prazer e frequentemente: as pistas de descolagem e aterragem são perfeitas para andar de bicicleta, de skate, soltar papagaios de papel e fazer jogging, enquanto no prado podemos deitar-nos na relva e sonhar ou fazer churrascos com amigos. Para os interessados em cultura há também cinema ao ar livre, festivais e passeios guiados, como, por exemplo, o «Intercultural Walk with Refugees».

Encontrar sossego na Pfaueninsel

© Birke Carolin ReschA Pfaueninsel [Ilha dos Pavões] teve no passado o menos romântico nome de «Kaninchenwerder» [Ilhota dos Coelhos], pois o rei Frederico Guilherme I criava ali coelhos. Mais tarde, felizmente, Frederico Guilherme II deixou que se estabelecessem ali pavões, cujos descendentes ainda hoje se passeiam à solta e deram à ilha o seu nome. Para aperfeiçoar o fabuloso exotismo, o monarca construiu um palacete de recreio e uma leitaria em Ruinenstil [«estilo arruinado»] romântico. Quem quiser visitar a ilha no rio Havel tem de viajar de bicicleta, carro ou autocarro até ao embarcadouro «Pfaueninsel» e dali passar para a outra margem de barco (4 euros, com desconto 3 euros). Faço com prazer este caminho mais longo quando tenho muito tempo e só quero mesmo sossego: nestes jardins e parques encantados podemos passear, ler e relaxar durante horas.

Cerveja ao fim do dia na Insel der Jugend

Também uma ilha, também um nome poético, mas ligeiramente mais acessível: do Treptower Park, uma ponte leva diretamente à Insel der Jugend [Ilha da Juventude] por cima do rio Spree. Antes de 1860 não era mais do que uma saliência pequena e coberta de canavial. O cidadão de Rixdorf Emil Heinicke fez encher a colina com entulho e terra até dar origem a uma ilha. Hoje, esta ilha romântica e selvagem, coberta de árvores antigas, é o local perfeito para apreciar o ambiente de fim de tarde enquanto se saboreia uma cerveja. Depois, à noite, há muitas vezes cinema ou concertos. E quem quiser andar na água pode alugar no estabelecimento «Kanuliebe» barcos a pedal dos anos 50 e 60 e canoas pintadas à mão.

Pôr do sol no Klunkerkranich

© Birke Carolin ReschO Klunkerkranich, em contrapartida, oferece um pouco mais de feeling de cidade grande. É preciso conhecer o caminho para lá, pois as Neukölln Arcaden, um centro comercial com muitos restaurantes de fast food e lojas baratas, não fazem esperar um local tão idílico. Não se deixem enganar e vão de elevador até ao quinto andar. Passando o parque de estacionamento chegam ao telhado e logo darão por vocês no meio de uma espécie de urban garden sobre os telhados de Berlim: bar de praia, restaurante, clube e local de eventos num só. Não é só a vista que é espetacular, existem também criações deliciosas e acessíveis de pequeno-almoço a partir das 10h00 ou cocktails misturados profissionalmente e concertos a partir das 16h00 (três a cinco euros de entrada, se já não estiverem lá antes). Um sítio perfeito para observar o pôr do sol sobre Berlim e deixar prolongar o verão (com um sentimento de alguma melancolia).
Birke Carolin Resch
estudou Etnologia, com enfoque em Migração, em Hamburgo, Copenhaga e Amesterdão. Nasceu em Berlim, mas só nos últimos quatro anos aprendeu a conhecer e a amar a capital alemã. Agora encontra-se instalada em Lisboa, onde trabalha como professora independente de alemão, onde desenha em todos os minutos livres e onde conta histórias sobre Lisboa e Berlim no seu blogue (ZwischenLissabonundBerlin).

Copyright: Tudo Alemão
Novembro de 2017

Língua original: Alemão.

     

     
     

    Migração e integração

    A migração altera culturas

    rumbo @lemania

    © rumbo @lemania
    … el portal para jóvenes nómadas

    FuturePerfect

    © Future Perfect
    Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

    Goethe-Institut Portugal

    Bem-vindo
    à nossa
    Homepage!