Berlim aLive

Passagem de ano em Berlim – um espetáculo explosivo

© Lucas GalindoFoto: Marcel Beckmann: https://www.flickr.com/photos/marcelberkmann/5494725231A passagem de ano em Berlim detém uma certa má fama – a cidade enche-se de pessoas e explode literalmente em fogos de artifício, festas e eventos. Há de tudo e para todos – talvez este ano também queiras entrar na festa?
Quando comecei a perguntar junto de amigos e conhecidos como descreveriam a passagem de ano em Berlim, quase todos disseram coisas como: «campo de batalha», «terceira guerra mundial», «guerra urbana» ou «quase não se consegue respirar na rua». – A festa de ano novo na capital é, portanto, completamente louca e, para muitos, simplesmente demasiado. Posso comprová-lo pela minha própria experiência: não há, de certeza, nenhuma outra cidade alemã onde sejam lançados tantos petardos e se veja tanto fogo de artifício nos céus. Começa logo a meio do dia, quando se ouvem os primeiros estrondos vindos do exterior, e não voltará a parar até a noite ir bem avançada. Ao fim da tarde sentimos uma lenta intensificação: os primeiros fogos de artifício são lançados logo por volta das 18h00. À meia-noite, por fim, a cidade enlouquece completamente, temos a sensação de que o céu está a explodir. Quantidades recorde de fogos de artifício iluminam-no e criam, ao mesmo tempo, um cenário sonoro inacreditável. No final um fumo denso percorre as ruas e sobe lentamente. Para trás fica uma quantidade infinita de lixo, mas os serviços de limpeza fazem um trabalho incrível na manhã de 1 de janeiro.
Insólita para mim é sempre a viagem de metro no final da festa: garrafas de cerveja rolam pelas carruagens e pessoas alcoolizadas cantam e cambaleiam de um lado para o outro.

Noite extravagante na discoteca ou festa caseira barata?

Às 00h00, a maior parte das pessoas opta pelas ruas ou pelas varandas, mas existem inúmeras possibilidades e locais para passar o dia de festa até essa hora. Para os estudantes como eu, a primeira escolha são, normalmente, as festas nas casas partilhadas ou as chamadas festas caseiras. Cada convidado traz alguma coisa para comer ou para beber e, utilizando um computador portátil e colunas, há sempre música a passar alternadamente, cada um escolhe o que quiser, à vez. Por fim, lançamos lá fora os nossos próprios petardos e semelhantes, ou observamos o espetáculo de forma segura e agasalhada a partir da janela ou da varanda. Esta forma de festejar é, naturalmente, uma das possibilidades mais baratas, pois as festas oficiais de ano novo nas discotecas custam os olhos da cara...

Foto: stachelbeer: https://www.flickr.com/photos/mario_storch/5316448911/Com tantas propostas de clubes e discotecas, a decisão torna-se difícil. Prometedora parece, por exemplo, a Homenagem à Vida Noturna Berlinense dos Anos 20 , no Wintergarten Varieté. Aqui, o código de vestuário tem de corresponder ao estilo dos anos 1920-40 e dançar-se-á charleston e swing, tango e sapateado. Há ainda música ao vivo e dança burlesca. O conceito é realmente fantástico, mas para estudantes o pacote completo por 146 euros é demasiado caro.
Para os indecisos, o mais adequado será saltar de festa em festa com o cartão VIP Silvester-Party-Berlin (89 euros), com o qual podemos experimentar oito clubes com um serviço de shuttle. Outra ideia é o célebre KitKat Club. Os turistas gostam muito de falar sobre este local. Só que as festas lascivas não são para todos: só podemos participar na chamada Silvester Bizarre se envergarmos vestimentas extravagantes ou eróticas. Uma possibilidade para os jovens é o Haubentaucher, que está na moda e é relativamente novo – na verdade, trata-se uma piscina ao ar livre, que é coberta e aquecida para a festa de ano novo. Supostamente serão também instalados jacuzzis e os preços deverão ser justos. Seja como for, é preciso contar que todos os clubes e discotecas devam estar a abarrotar de pessoas.

A zona festiva junto à Porta de Brandemburgo atrai multidões todos os anos

A zona festiva junto à Porta de Brandemburgo é muito apreciada sobretudo por turistas, mas muitos berlinenses mantêm-se longe dela. Eu próprio não a recomendaria, pois o local atrai multidões gigantescas. A entrada é gratuita, mas a afluência é tão intensa que se torna impossível dar meia volta. Quase todos são controlados para ver se trazem objetos perigosos. Isso, a mim, não me soa a diversão. O programa, no entanto, é excelente: no palco atuam músicos e DJ célebres, há um espetáculo de laser e um dos fogos de artifício principais é aqui lançado.

Aqueles que acham que tudo isto é demais também podem observar o que se passa em Berlim confortavelmente sentados em frente à televisão. A festa junto à Porta de Brandemburgo é transmitida em direto pela ZDF [canal público alemão]. Entre outras, está prevista a atuação de Conchita Wurst, e o fogo de artifício, provavelmente, também se vê melhor no ecrã do que na rua...
Lucas Galindo
estuda História da Arte em Berlim e gosta de descobrir novos locais na cidade.

Copyright: Tudo Alemão
Dezembro de 2018

Língua original: Alemão.

     

     
     

    Migração e integração

    A migração altera culturas

    rumbo @lemania

    © rumbo @lemania
    … el portal para jóvenes nómadas

    FuturePerfect

    © Future Perfect
    Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

    Goethe-Institut Portugal

    Bem-vindo
    à nossa
    Homepage!