Berlim aLive

Diversificado e um pouco extravagante: o panorama teatral em Berlim

© Lucas GalindoFoto: Lucas GalindoComo se sabe, a capital da Alemanha dispõe de inúmeras escolhas para os fãs de cinema. Mas o panorama teatral também é intenso e diversificado. Por essa razão, hoje gostaria de convidar-vos a descobrir esta forma de arte, talvez menos popular no momento atual, mas que oferece muitas vezes experiências invulgares!

Quando eu vivia em Berlim há pouco tempo, ia mais vezes ao teatro do que ao cinema, pois os palcos de Berlim têm uma muito boa reputação. Primeiro experimentei ir às salas mais famosas, entre elas o Schaubühne, o Deutsches Theater e o Volksbühne. O que me saltou à vista foi o facto de o filme enquanto suporte estar integrado no teatro: muitas das produções usam câmaras e projeções ou ecrãs de forma a conferir um cunho contemporâneo à encenação das peças. O espetador tem acesso, por exemplo, a diversas perspetivas do palco ou há gravações de vídeo a complementar a narração. E isto não acontece apenas nas peças modernas, mas também nas tradicionais. O Schaubühne, na elegante avenida Kurfürstendamm, por exemplo, é conhecido pelas suas encenações de estilo pop. Aí vi recentemente a peça Schatten (Eurydike sagt) de Elfriede Jelinek. Durante a peça estava, por assim dizer, a ser gravado um vídeo em direto. A equipa de filmagem constitui uma parte significativa daquilo que acontece em cima do palco. Este tipo de encenação vem demonstrar de que forma o teatro e o cinema hoje em dia se complementam e proporcionam uma experiência multimédia interessante.

Teatro pós-imigração e humor negro

Mais tarde descobri o Gorki-Theater, perto da Friedrichstraße, que se tornou no meu teatro preferido. Este teatro esforça-se por oferecer uma plataforma a atores e atrizes de origem imigrante. A atual diretora artística, Shermin Langhoff, com raízes turcas, marcou o chamado teatro pós-imigração: antes de trabalhar no Gorki, fundou o Ballhaus Naunystraße, onde as peças giram muitas vezes à volta do tema da Alemanha enquanto país de destino para emigrantes. O Gorki também aborda este tema: com a peça Third Generation - Next Generation, por exemplo, com jovens oriundos de Israel que se mudaram para Berlim e partilham a cidade com pessoas de países árabes (incluindo da Palestina), bem como com os novos nacionalistas alemães.

Foto: pexels.com/deO Gorki é um teatro que recomendo vivamente. Além disso, o Volksbühne, onde assisti a peças do realizador René Pollesch, causou-me igualmente uma impressão positiva. Em Ein Chor Kommt Selten Allein (“Um Coro Raramente Vem Só”), por exemplo, uma única personagem é representada por um grupo de pessoas que recitam o texto em coro, o que achei muito divertido. Neste momento está em cena uma peça deste realizador no Deutsches Theater. Em setembro regressa a sua encenação Black Maria, que, no entanto, recebeu críticas menos positivas..

Muco e mundos virtuais

O coletivo Virtuellestheater atua desde 2015 e trabalha no centro nervoso da atualidade: as peças não estão construídas de forma linear e fazem uso de suportes digitais e de novas tecnologias. Em 2018 assisti à encenação Children of Compost, que aborda o tema da destruição do ambiente no nosso planeta, e onde uma coreografia com muco teve um papel central: as atrizes despejavam muco no palco e moviam-se nele, enquanto continuavam a dizer as suas falas. Ao mesmo tempo, em ecrãs, um mundo virtual onde as personagens se moviam com um comando de gaming fazia parte da peça. Este grupo trabalha de forma independente. O melhor a fazer é subscrever os seus canais nas redes sociais, de modo a seres informado acerca das suas exibições.

Como se vê, o panorama teatral berlinense é animado e diversificado. Também eu tenho ainda muito para descobrir, por exemplo o Improtheater (teatro de improvisação) ou as peças de teatro policiais interativas, em que o público tem de resolver casos de polícia. Mesmo que não costumem ir ao teatro, talvez consiga persuadir-vos a experimentarem depois do intervalo de verão, em julho. Dependendo do teatro e do lugar, os bilhetes custam entre 10 e 40 euros (sem desconto). No entanto, com alguma sorte, é possível comprar bilhetes mais baratos na bilheteira do teatro, entre 30 minutos e duas horas antes do início da sessão. Por norma, os espetáculos são em alemão, mas os grandes teatros têm muitas vezes legendas (o Gorki sempre, o Schaubühne e o Deutsches Theater em encenações marcadas) e o coletivo Virtuellestheater trabalha em inglês.
Lucas Galindo
estuda História da Arte em Berlim e gosta de descobrir novos locais na cidade.

Copyright: Tudo Alemão
Julho de 2019

Língua original: Alemão.

     

     
     

    Migração e integração

    A migração altera culturas

    rumbo @lemania

    © rumbo @lemania
    … el portal para jóvenes nómadas

    FuturePerfect

    © Future Perfect
    Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

    Goethe-Institut Portugal

    Bem-vindo
    à nossa
    Homepage!