Nómadas

Do Douro ao Saale

Jena. © João C.R.

O João é do Porto e, desde 2008, estuda Medicina em Jena, a terceira maior cidade da Turíngia. Aqui, fala-nos do seu curso, de algumas curiosidades e das saudades que sente.

O Porto. © Stürzenbecher O meu nome é João e tenho 27 anos. Sou natural do Porto, onde vivi até aos meus 24 anos. Uma tia-avó minha casou-se com um alemão e fundou uma família alemã. Desde então, toda a descendência da família em Portugal é enviada para o Colégio Alemão. Nós devíamos visitar a tia-avó e tirar algum partido disso. Andei dois anos no infantário do Colégio Alemão e depois fiz lá os 12 anos do programa curricular alemão. Finalmente, realizei o exame final alemão do ensino secundário e obtive a autorização de acesso portuguesa ao ensino superior. Dessa forma, pude candidatar-me a uma vaga na universidade através da ZVS (Zentralstelle für die Vergabe von Studienplätzen – Centro de Atribuição de Vagas Universitárias), como qualquer outro estudante alemão.

Em outubro de 2008 mudei-me para a Alemanha, para dar início ao meu curso de Medicina em Jena. Ainda no Porto tinha estudado Fisioterapia durante quatro anos. Em Portugal isso é considerado um curso superior, pelo que pude passar um ano na Áustria como estudante de Erasmus. Ali até tive a oportunidade de ajudar o cirurgião na sala de operações! No último ano de Fisioterapia apercebi-me de que não estava muito satisfeito com o curso e que as perspetivas de emprego também não eram as melhores. Por isso não foi nada difícil tomar uma decisão, quando a carta da ZVS com a notícia da admissão em Medicina chegou. O meu curso dura seis anos e meio, ou seja, 13 semestres – no meu caso 14, pois neste momento estou a fazer um semestre de férias, para poder realizar investigação em laboratório e escrever a minha tese de doutoramento. Em todo o caso, vou passar todo o meu tempo de curso aqui, eventualmente até posso vir a combiná-lo com uma outra estadia no estrangeiro… Depois pretendo realizar a minha formação como médico especialista na Alemanha e a seguir, provavelmente, trabalhar aqui durante alguns anos. Um dia, penso, regressarei a casa. Quando, isso é que ainda não sei!

Na Alemanha as coisas são muito diferentes.

Existem bastantes diferenças culturais, às quais tive de me habituar. Algumas são muito práticas, como, por exemplo, a pontualidade dos transportes públicos ou o extraordinário equipamento tecnológico da universidade; outras são, a meu ver, exageradas. Por exemplo, todas as situações são regularizadas através de formulários e de revisores. No entanto, é provável que isso faça todo o sentido. Às vezes vou a casa, de férias, e logo no primeiro contacto com os portugueses reparo naquilo de que sinto saudades da Alemanha: o tráfego regulado, em que a maior parte dos condutores respeita as regras de trânsito. Nos primeiros dias sou frequentemente acometido por ataques de fúria na estrada, nos últimos dias de férias já me comporto mais descontraidamente.

No Porto. © Stürzenbecher No futuro, aquilo de que provavelmente vou sentir mais saudades da Alemanha é a possibilidade de encontrar sítios para comer 24 horas por dia e a organização que nos facilita muito a vida. Quando tenho uma questão oficial e ligo para qualquer lado, ou peço informação a alguém, normalmente a resposta é bastante completa. “O senhor precisa disto e daquilo, tem de ir ali, àquela hora, falar com este e aquele e fica com o assunto resolvido!” Em Portugal isso raramente acontece. Connosco é tudo bem mais descontraído e sem pressas. Sinto falta disso na Alemanha, onde muita coisa é feita com grande pressa. Outra coisa de que sinto muitas saudades na Alemanha é da comida portuguesa! Nem sempre é fácil encontrar o que quero. Peixe fresco, por exemplo! Também o clima é muito melhor em Portugal, onde temos 300 dias por ano de probabilidade de fazer sol. E a praia! É óbvio que na Alemanha também existem mar e praias, mas eu vivo em Jena, onde não há nenhuma praia de mar. No Porto elas existem.

No entanto, isso não quer dizer que eu não esteja satisfeito na Alemanha. Pelo contrário, estou muito feliz aqui! Jena é uma cidade estudantil fantástica. Pequena, mas lindíssima. Quando vamos na rua acabamos sempre por encontrar alguém com quem podemos ir beber um café. É óbvio que Jena não tem a oferta cultural de Berlim, mas como vivem aqui muitos jovens e estudantes, há sempre muita coisa para fazer.

Copyright: tudo alemão
Novembro de 2012

Este texto é uma tradução do alemão.

     

     
     

    Migração e integração

    A migração altera culturas

    rumbo @lemania

    © rumbo @lemania
    … el portal para jóvenes nómadas

    FuturePerfect

    © Future Perfect
    Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

    Goethe-Institut Portugal

    Bem-vindo
    à nossa
    Homepage!