Nómadas

Fazer caminhadas, uma paixão no sul da Alemanha

Foto: (CC0 1.0), pixabay.com/Foto: (CC0 1.0), pixabay.com/Foto: (CC0 1.0) pixaby.com
A Baviera, rodeada de paisagens naturais de sonho, convida a uma atividade pela qual os amantes do desporto locais são loucos: fazer uma caminhada ou, como se diz em alemão, «wandern».

A maior parte dos estrangeiros que resolvem acompanhar um habitante local, para se integrarem na vizinhança e deixarem de ser aquele tipo esquisito que não sabe apreciar o clima montanhoso e o ar fresco, ficariam completamente de rastos após estas caminhadas que podem conduzir por florestas e montanhas.

Foi com o referido objetivo que demandei ao refúgio do Tegernsee, numa montanha de 1650 metros de altitude nos Alpes bávaros, juntamente com alguns vizinhos, que me tinham convencido a «fazer um passeio» por uma região extraordinária. Ao fim de apenas meia hora descobri o que os alemães querem dizer quando falam em «passear na natureza»: três horas e um quarto de subida por caminhos de pedra e por itinerários inacreditáveis.

Enquanto tentava, em vão, acompanhar o grupo, fui ultrapassada por pessoas de idade avançada com uma condição física invejável e por crianças de não mais de seis anos de idade, com cuja velocidade de marcha eu apenas podia sonhar.

A grande surpresa veio quando fui ultrapassada por um grupo de mulheres de dirndl e de homens de lederhosen, trajes típicos que os habitantes de Munique envergam na Oktoberfest. Conseguem imaginar-se a passear pela Serra de Sintra envergando traje de varina ou de saloio? Estranho, não é?

Esgotada, desgrenhada e sedenta, atingi o meu objetivo quando uma placa com a inscrição «Biergarten» apareceu no topo da montanha. Encontramos estes «jardins da cerveja» em muitos trilhos na Alemanha: espera-se que eles tornem a subida mais suportável para os caminhantes. E lá em cima, com uma vista inigualável sobre uma parte dos Alpes, que irradiam uma grandeza e beleza sem par, compreendi porque é que «wandern» é uma atividade tão apreciada nesta parte do mundo.
Ana Gragera
trabalha como professora de Espanhol em Munique, e este trabalho liga-a às suas outras duas paixões: o jornalismo e a escrita. Adora a natureza no sul da Alemanha, especialmente os Alpes e os lagos majestosos, que existem em número abundante na Baviera.

Copyright: rumbo @lemania
Agosto de 2015
Este texto é uma tradução do alemão; língua original: espanhol.

     

     
     

    Migração e integração

    A migração altera culturas

    rumbo @lemania

    © rumbo @lemania
    … el portal para jóvenes nómadas

    FuturePerfect

    © Future Perfect
    Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

    Goethe-Institut Portugal

    Bem-vindo
    à nossa
    Homepage!