Quotidiano

“Tiro o chapéu à minha Leipzig! É uma pequena Paris…”

(c) J.R. SchmidA revista “Der Spiegel“ não poupa elogios ao escrever sobre Leipzig. Chama-lhe “a nova Berlim”. O jornal “Die Welt” elege Leipzig como a melhor cidade da Europa para se viver. Qual é o segredo desta misteriosa cidade no Leste da Alemanha?

© J.R. SchmidLeipzig foi e continua a ser uma cidade interessante. Com os seus cerca de 550.000 habitantes, é a décima primeira maior cidade alemã. Palco de feiras internacionais, Leipzig oferece aos seus visitantes uma grande variedade, tanto a nível cultural, como de atrações turísticas e diversões. Leipzig é, em todos os aspetos, um importante centro de cultura, seja na área da literatura, da música ou das artes plásticas. Enquanto um dos mais antigos polos de comércio da Europa, Leipzig foi, em tempos, uma cidade muito abastada. Disso é testemunha o grande número de sumptuosos edifícios que remontam aos primórdios da cidade.

Após a queda do Muro de Berlim, o centro da cidade sofreu uma ampla e cuidadosa requalificação, e hoje já não são apenas os grupos de exaltadas senhoras de idade avançada, vindas de toda a República em enormes autocarros, a deliciar-se, debaixo da chuva gelada, com o primeiro Glühwein (vinho com frutas e especiarias, que se bebe quente nos mercados de Natal - nota do tradutor) e com os Kräppelchen (bolinhos de Natal, especialidade da região – nota do tradutor) no Naschmarkt, a praça onde tem lugar o mercado de Natal. Também já não são apenas os grupos de turistas japoneses a tirar fotografias sorridentes em frente ao Mephisto de Goethe ou ao túmulo de Bach, junto à Igreja de S. Tomás.

© J.R. Schmid Atualmente, não são só os incontáveis turistas a sentir-se atraídos por esta cidade no Leste da Alemanha. O número de estudantes da Universidade de Leipzig cresce de ano para ano. São cada vez mais os jovens que decidem vir estudar para esta universidade. A cidade não para de crescer e recebe os seus novos habitantes de braços abertos. Quem a procura são, sobretudo, pessoas que se interessam por cultura, pessoas de espírito aberto, muitos artistas plásticos e músicos, que anseiam por encontrar aqui a oportunidade de evoluir e realizar os seus sonhos.

Mas o que possui Leipzig, que falta neste momento a outras cidades na Alemanha?

Leipzig está em movimento


Inúmeras fábricas vazias e monumentos oferecem aos jovens e ambiciosos fotógrafos e artistas cenários inspiradores e um ambiente criativo. Atraídos pelo seu charme industrial, turistas fotográficos deslocam-se de toda a Alemanha para fotografar as ruínas degradadas dos outrora imponentes edifícios industriais do Centro de Exposições. Iniciativas de estudantes organizam ações de vigilância para manter intactos edifícios antigos e devolutos, que ainda não foram renovados. Surgem inúmeras possibilidades de exposições, são criados ateliês.

Leipzig é cultura

© J.R. Schmid
A oferta cultural de Leipzig é impressionante. Além da oferta “tradicional”, estabeleceu-se na cidade uma cena cultural muito jovem, que fornece novos impulsos e é estimulante para a vida dos estudantes. O que fazemos hoje à noite? Vamos à festa eletrónica ilegal junto ao lago ou ao Poetry Slam no Distillery? Ou talvez tranquilamente ao cinema, no âmbito do Festival da Sétima Arte?

Leipzig é barata

Enquanto, em outras cidades de estudantes na Alemanha, a procura de casa se tornou muito mais difícil, em Leipzig existem, a cada início de semestre, imensos quartos comunitários livres e baratos. Com quase 9000 edifícios vazios, em nenhuma outra cidade da Alemanha é possível, como em Leipzig, viver num sítio bonito sem pagar muito: ideal para estudantes.

Leipzig é multifacetada

Encontrar o bairro perfeito para morar? Também aqui não deverá haver problemas. Será que se prefere viver nas proximidades de uma rua cheia de bares e cafés, como a “Karli”, na parte sul da cidade, ou pretende-se ficar perto dos movimentos de esquerda, que se estabeleceram em Connewitz? Ou ir antes para Plagwitz, onde fixaram residência muitos artistas? Os mais caseiros e ligados à natureza irão provavelmente decidir-se por Schleussig ou pelo bairro da Waldstraße.

Leipzig é verde

© J.R. Schmid
Leipzig tem imensos parques, que se enchem de gente assim que despontam os primeiros suaves raios de sol do ano. Desde que o tempo o permita, a vida acontece nas zonas verdes de Leipzig: famílias, estudantes universitários e alunos das escolas encontram-se nos parques para fazer churrascos, jogar frisbee ou tocar música.

Esta qualidade de vida faz de Leipzig uma cidade muito apreciada e atrai inúmeros jovens. Quem, portanto, acha Berlim demasiado grande, demasiado stressante ou demasiado anónimo, quem se queixa de ter que percorrer caminhos demasiado longos, estará em boas mãos em Leipzig, a cidade no coração da Saxónia.

Conclusão:
“Tiro o chapéu à minha Leipzig! É uma pequena Paris…”


Aqui fica então um pequeno vislumbre de Leipzig, a pequena Paris, no verão:

TV Symbol
byebye - Irgendwo im Nirgendwo (youtube)
Isabel Galindo, 20,
nasceu no México. É meio mexicana e meio alemã, mas cresceu em Budapeste e em Lisboa. Depois de ter completado o ensino secundário em Portugal, vive desde 2011 em Leipzig, onde estuda Organização de Eventos. Para Isabel, viver entre três culturas é emocionante e inspirador, mas por vezes também desgastante – especialmente quando lhe perguntam de onde ela é. “O lar, para mim, é sempre o Aqui e o Agora.”

Copyright: Tudo Alemão
Fevereiro de 2013

Este texto é uma tradução do alemão.

     

     
     

    Migração e integração

    A migração altera culturas

    rumbo @lemania

    © rumbo @lemania
    … el portal para jóvenes nómadas

    FuturePerfect

    © Future Perfect
    Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

    Goethe-Institut Portugal

    Bem-vindo
    à nossa
    Homepage!