Quotidiano

Dîner en Blanc – Piquenique de multidões vestidas de branco

© Johanne Peito© Sven RatzelQuando os dias se tornam finalmente mais quentes e mais longos, muitos saem de casa e encontram-se com familiares e amigos num piquenique ou num churrasco. Mal os termómetros ultrapassam os 15 graus e os primeiros raios de sol se deixam ver, todos os parques e praças das grandes cidades alemãs ficam cobertos até ao último pedaço de relva. O cenário não é diferente na minha terra adotiva, Düsseldorf. Adoro a confusão que se vive nesta altura do ano. Mas aquilo por que mais anseio desde os tristes meses de inverno é um evento chamado «Dîner en Blanc», que (infelizmente) há muito deixou de ser uma dica secreta.

O Dîner en Blanc é um piquenique de multidões para quem se interesse pela beleza ou goste de tirar fotografias impressionantes. Esta série de eventos distingue-se pelo facto de todos os participantes estarem vestidos de branco dos pés à cabeça. As pessoas encontram-se num local ilustre da cidade, que se mantém desconhecido até pouco antes do início do evento. Cada grupo de participantes traz a sua própria mesa, cadeiras, uma toalha de mesa branca, velas brancas, louça branca, bebidas e um menu frio de três pratos. Soa a haute cuisine, mas não tem necessariamente de o ser. De salsichas a carpaccio de vaca – a escolha da comida fica ao critério de cada um. Os participantes formam então um quadro conjunto com muitos metros de comprimento e passam o fim de tarde a degustar a comida e a bebida. Perto do fim, quando já estiver escuro, acendem-se então as velas mágicas – um espetáculo maravilhoso!

A história

© Sven Ratzel O ponto de partida do Dîner en Blanc foi Paris. Diz-se que, no verão de 1988, o francês François Pasquier transferiu espontaneamente a sua sobrelotada festa de jardim para o vizinho Bosque de Bolonha. Nos anos seguintes, alegadamente, o seu grupo de amigos combinou realizar sempre um piquenique em junho num local mantido em segredo até à última hora, algures em Paris. Aos poucos a ideia foi-se então espalhando e cada vez mais pessoas foram aderindo à iniciativa.

O que nos primeiros tempos era apenas uma organização exclusiva para ricos tornou-se nos últimos quatro anos um evento para pessoas de todas as camadas sociais. Atualmente, o Dîner en Blanc é celebrado em inúmeras grandes cidades: na Alemanha, por exemplo, em Berlim, Munique, Hamburgo e Düsseldorf. O primeiro Dîner en Blanc alemão teve lugar na Bebelplatz de Berlim em 2010 – os 400 participantes de então transformaram-se entretanto em mais de 1000. Em consequên-
cia disso, os locais do evento são cada vez maiores e mais represen-
tativos: em Düsseldorf, por exemplo, no ano passado as pessoas encontraram-se na Königsallee [principal avenida comercial da cidade], e no ano anterior diretamente na Rheinuferpromenade [passeio ao longo do rio Reno].

A evolução

© Johanne Peito Como é óbvio, os elevados números de participantes não passam despercebidos junto dos círculos empresariais. Em vários locais, infelizmente, o Dîner en Blanc é promovido por organizadores de eventos comerciais, por fabricantes de vinho ou de espumante ou por empresas gastronómicas – com preço de entrada e catering. Isto já não tem nada a ver com a ideia original. Felizmente continua a haver defensores do piquenique de multidões no qual toda a gente pode participar – contanto que envergue roupas brancas.

Assim, é com felicidade que também este ano poderei reunir os meus amigos, arranjar uma mesa e decoração branca e sentar-me em junho na Königsallee ou junto ao Reno com centenas de outras pessoas e fazer parte do espetáculo branco. A minha máquina fotográfica estará certamente na bagagem e a minha vestimenta já está preparada. Agora é só esperar que o clima colabore.

Informação: em Düsseldorf, o Dîner en Blanc deverá ter lugar este ano no sábado dia 13 de junho. Naturalmente, o local ainda não foi divulgado.
Johanne Peito
nasceu e cresceu na Alemanha, mas também tem raízes portuguesas. Para conhecer melhor a sua segunda pátria, Portugal, ela realizou um semestre de Erasmus na Universidade do Porto. No seu mestrado, Johanne, de 25 anos, especializou-se nas disciplinas de Literatura, Práticas dos Media e Filologia Germânica. Ao mesmo tempo trabalha no departamento de imprensa e relações públicas dos serviços sociais e administrativos da Universidade Essen-Duisburg.

Copyright: Tudo Alemão
Maio de 2015

Este texto é uma tradução do alemão.

     

     
     

    Migração e integração

    A migração altera culturas

    rumbo @lemania

    © rumbo @lemania
    … el portal para jóvenes nómadas

    FuturePerfect

    © Future Perfect
    Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

    Goethe-Institut Portugal

    Bem-vindo
    à nossa
    Homepage!