Quotidiano

Helau, os foliões andam à solta!

© Sümeyye Yil© Derya KizilkayaO Carnaval é o período mais louco do ano. O Carnaval, igualmente conhecido na Alemanha pelos nomes «Fasching» e «Fastnacht», é uma tradicional festa popular que também é abundantemente celebrada no país germânico. É o tempo da loucura, das máscaras, das festas e, naturalmente, das krapfen [bolas de Berlim]. As celebrações diferem consoante a região, mas todas têm algo em comum: a loucura. Festeja-se desde o dia 11 de novembro às 11h11 até à Quarta-Feira de Cinzas em fevereiro, com a última semana a representar o verdadeiro ponto alto das celebrações.
A contagem decrescente está em marcha

As grandes festividades carnavalescas são introduzidas no sul da Alemanha com a «quinta-feira louca». Louca no sentido em que neste dia todas as loucuras são permitidas. Nas escolas o giz dos professores é roubado, enquanto a câmara municipal é assaltada e o presidente da autarquia é «raptado», criando assim o ambiente ideal para o início dos dias de festa. Entretanto, nas chamadas «Schlachtfesten» abatem-se animais e come-se carne pela última vez antes da Quaresma. Na Renânia festeja-se neste dia o «Altweiberfastnacht». Mulheres mascaradas «assumem o poder», percorrem as ruas e cortam simbolicamente as gravatas aos homens.

As festividades atingem o seu ponto alto na segunda e na terça-feira de Carnaval: começa o tempo da folia. A cidade assume as mais variadas cores, são organizados cortejos carnavalescos, é escolhido um casal real, com príncipe e princesa, jovens e velhos mascaram-se e festejam, dançam e cantam juntos até altas horas da noite.

Quais são os melhores locais para festejar?

Mainz. Assim, se este ano quiseres estar no centro e não apenas perto da ação, deves arranjar bilhete para uma destas cidades. É que é sobretudo nelas que a tradição carnavalesca é trazida de novo à vida ano após ano. Grandes cortejos percorrem as ruas subordinados a determinados lemas, e são admirados e celebrados por toda a gente mascarada. Inúmeros locais organizam as suas próprias festas de Carnaval – este costume é mantido vivo até nos infantários e nas escolas. Uma das tradições mais recentes são os chamados büttenreden, na Renânia, em que oradores mascarados proferem discursos satíricos sobre política.

Aqui todos podem ser oradores e queixar-se ou fazer pouco de tudo e de todos. Na Quarta-Feira de Cinzas as festividades terminam com o início do período de 40 dias da Quaresma. Tradicionalmente, como sinal de penitência, são espalhadas cinzas na testa dos cristãos.

O que não pode faltar?

Foto: annca, pixaby.com É mais do que óbvio que durante estes dias também se come e se bebe. Além dos pratos substanciais também não pode faltar alguma coisa doce. A iguaria doce provavelmente mais famosa e tradicional no Carnaval é a bola de Berlim, um bolo frito de massa levedada. No Carnaval as bolas de Berlim, que na Alemanha são tradicionalmente recheadas com doce, existem em todas as suas variantes possíveis: simplesmente polvilhadas com açúcar em pó, mas também com as coberturas mais variadas, nas cores e nos sabores mais distintos.

Mas afinal porque é que festejamos o Carnaval?

As festas, os usos e os costumes são tão antigos quanto a própria humanidade. O mesmo acontece com a tradição carnavalesca. Em todas as épocas da história o Carnaval foi festejado de forma diferente. Na chamada quinta estação do ano os bons espíritos devem ser despertados com música alta e barulho, de forma a trazerem a primavera. As máscaras e os disfarces, por seu lado, devem afastar os maus espíritos, que trazem infelicidade. Os cristãos participam nas celebrações para poderem festejar animadamente antes do início do período de 40 dias da Quaresma. Daí o nome Carnaval, que vem do latim «carne vale», que se pode traduzir por «adeus carne».

Não apenas na Alemanha, mas em todo o mundo, o Carnaval é uma festa das máscaras e da alegria, em que a diversão está em primeiro lugar; nesse sentido: Helau!
Derya Kizilkaya
nasceu e cresceu perto de Munique. Depois do seu ano de voluntariado social no Porto, está agora a estudar Ciências da Comunicação da Universidade Nova de Lisboa e, paralelamente, Línguas, Literaturas e Culturas na Universidade de Lisboa. Derya é alemã, proveniente de uma família de emigrantes oriundos da Turquia / Curdistão. Apaixonou-se pela vida em Portugal e é agora uma cidadã do mundo que se move entre diversas culturas.

Copyright: Tudo Alemão
Fevereiro de 2017

Língua original: Alemão.
Links relacionados

 

 
 

Migração e integração

A migração altera culturas

rumbo @lemania

© rumbo @lemania
… el portal para jóvenes nómadas

FuturePerfect

© Future Perfect
Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

Goethe-Institut Portugal

Bem-vindo
à nossa
Homepage!