Quotidiano

Como se a Páscoa e a primavera fossem a mesma coisa

© Christian Reiling© Jana HermsenMal o Natal fica para trás, a próxima aventura decorativa já está à nossa espera nas lojas. Para onde quer que olhemos, só vemos figuras coloridas, arranjos florais de Páscoa e ovos pintados. Os incontáveis coelhos da Páscoa, em todas as formas e tamanhos, também não podem, obviamente, faltar.
De forma perfeitamente natural, podemos encontrar logo ao lado os arranjos florais adequados e numerosos outros artigos de decoração em tons de pastel, para que possamos preparar a nossa casa para a primavera. Como se a Páscoa e a primavera estivessem ligadas entre si e não pudessem ser separadas. Como se fossem a mesma coisa. O que, como é óbvio, não é inteiramente correto. Mas não são ambas um motivo para celebrar?

A época fria do ano ficou, finalmente, para trás – todos os anos, é esta a mensagem clara nas lojas, logo a seguir às festividades do ano novo. Os dias tornam-se, finalmente, mais longos, o sol rompe o céu cinzento, as varandas e os jardins são ornamentados e, todos os anos, sem falha, o coelho da Páscoa também chega.

Trabalhos manuais e comida. Uma excelente tradição

© Jana HermsenJá quando era criança tudo isso fazia intrinsecamente parte, para mim, do primeiro semestre do ano. O tempo da Páscoa era tempo de fazer trabalhos manuais: enfeitar e oferecer ovos cozidos, e também a decoração colorida para a casa era feita por nós. Isso significava esvaziar os ovos, furando-os e soprando o seu conteúdo para fora, e depois pintá-los com muito cuidado, para não os partir, de forma a poderem encontrar o seu lugar certo entre os pingentes de cartolina nos ramos acabados de cortar. E, naturalmente, também havia a alegria pelo coelho da Páscoa, que todos os anos escondia ovos coloridos, chocolate ou pequenos presentes na casa garridamente decorada ou nos jardins da frente dos vizinhos. Se eu encontrasse então o seu ninho, a felicidade era total. E outra coisa que não podemos esquecer: o cordeiro pascal. Entre nós ele era sempre feito de massa de bolo. Era cozido numa forma de bolo com o formato de um cordeiro, da qual tínhamos de soltar o bolo pronto com muito cuidado, para não se partir uma perna ou uma orelha.

Todas estas belas recordações me assomam à memória quando passeio e olho para as montras.

O significado da Páscoa

© Jana HermsenE hoje, sendo mais velha, o cordeiro pascal ganhou para mim uma importância muito maior, recordando-me o verdadeiro significado da Páscoa. Originalmente, ele remete para o Pessach judaico e representa simbolicamente Jesus Cristo como o cordeiro de Deus, que ressuscitou dos mortos.

É isto que a Páscoa significa hoje para mim: Deus oferece-nos um recomeço. Exatamente como todos os anos, na primavera, o mundo desperta novamente para uma nova vida. O inverno e a época escura do ano pertencem ao passado. Em muitas culturas (por exemplo, o ano novo persa (Noruz), que é festejado em março e também representa alegria, luz e esperança), o ano novo até é festejado apenas na primavera, quando tudo volta a ser colorido e claro. Ou seja, exatamente o período ideal para também celebrar a Páscoa.

Podemos, então, dizer: «Sim! A Páscoa e a primavera condizem perfeitamente uma com a outra.»
Jana Hermsen

Copyright: Tudo Alemão
Março de 2018

Língua original: Alemão.

     

     
     

    Migração e integração

    A migração altera culturas

    rumbo @lemania

    © rumbo @lemania
    … el portal para jóvenes nómadas

    FuturePerfect

    © Future Perfect
    Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

    Goethe-Institut Portugal

    Bem-vindo
    à nossa
    Homepage!