Quotidiano

Factos futebolísticos – Seis coisas que tem de saber sobre o futebol alemão

Guarda-redes Manuel Neuer | Foto (detalhe): © Picture Alliance/R4341
Conhece a regra «50+1»? Sabe quem foi Bert Trautmann? Apresentamos-lhe seis factos interessantes e curiosos sobre a Alemanha futebolística, para que tenha mais argumentos nas conversas de café.

O homem à frente da baliza? Um titã!

Nenhum outro país produziu tantos guarda-redes excecionais como a Alemanha: de Toni Turek, que garantiu a vitória da seleção alemã no jogo contra a Hungria no final do Mundial de 1954, ao vencedor do Mundial de 1974, Sepp Maier, sem esquecer o titã Oliver Kahn ou o atual capitão da seleção e vencedor do último Mundial, Manuel Neuer. Os guarda-redes são venerados na Alemanha. Curiosamente, um dos melhores guarda-redes alemães de sempre passou despercebido na Alemanha durante a sua carreira: durante a Segunda Guerra Mundial, Bert Trautmann, natural de Bremen, foi capturado pelos britânicos. Após a sua libertação, decidiu permanecer em Inglaterra em vez de regressar à Alemanha. Trautmann participou em 500 jogos com a camisola do Manchester City, foi considerado o melhor jogador do ano em 1956 e transformou-se numa lenda: durante a final da Challenge Cup desse ano, Trautmann partiu o pescoço, mas não desistiu e jogou até ao final – assegurando assim a vitória da sua equipa

Vencer? É o mais importante!

Mundial de 1990: nos penalties, o ponta-de-lança Gary Lineker(à direita) marcou o 1 a 0 a Bodo Illgner, mas no final a Inglaterra perdeu por 4 a 3. | Foto (detalhe): © Picture Alliance/Frank Leonhardt
Mundial de 1990: nos penalties, o ponta-de-lança Gary Lineker(à direita) marcou o 1 a 0 a Bodo Illgner, mas no final a Inglaterra perdeu por 4 a 3. | Foto (detalhe): © Picture Alliance/Frank Leonhardt

A Inglaterra é a pátria do futebol. E, no entanto, segundo reza a lenda, no final é a Alemanha que ganha. Pelo menos foi o que afirmou Gary Lineker, antigo internacional inglês e comentador televisivo, depois de a sua equipa ter sido derrotada pela Alemanha na semi-final do Mundial de 1990. “Football is a simple game. 22 men chase a ball for 90 minutes and at the end, the Germans always win” (O futebol é um jogo simples. 22 homens correm atrás de uma bola durante 90 minutos e, no final, a Alemanha ganha). Na altura, a equipa alemã tinha um jogo pouco bonito, mas muito eficaz. Esta perceção apenas começou a mudar nos últimos anos, quando a equipa alemã adotou um estilo mais ofensivo e mais espetacular.

"50+1"? Mas é claro!

Em Munique, a claque mostra-se a favor da manutenção da regra 50+1. | Foto (Detalhe): © Picture Alliance/Sven Simon
Em Munique, a claque mostra-se a favor da manutenção da regra 50+1. | Foto (Detalhe): © Picture Alliance/Sven Simon

Em Inglaterra, Espanha, Itália, tal como noutros países, muitos clubes das primeiras ligas são propriedade de corporações internacionais, oligarcas russos ou sheikhs árabes. Mas na Alemanha isto não acontece devido à regra “50+1” da Bundesliga. Segundo esta regra, um clube tem de deter pelo menos 50 por cento dos votos da sua divisão profissional. Isto significa que os investidores nunca poderão ter o controlo absoluto do clube. No entanto, alguns clubes alemães temem que esta regra os ponha em desvantagem económica nas competições internacionais. Outros clubes, como o Bayer Leverkusen ou o RB Leipzig, aproveitam-se de exceções ou de artimanhas organizacionais para contornar esta regra que é praticamente única a nível mundial. Apenas a Áustria tem uma regra semelhante.

O sucesso? É das mulheres!

Depois da vitória na final contra o Brasil: a selecção alemã celebra a conquista do Mundial Feminino de Futebol de 2007. | Foto (detalhe): © Picture Alliance/Pressefoto Ulmer
Depois da vitória na final contra o Brasil: a selecção alemã celebra a conquista do Mundial Feminino de Futebol de 2007. | Foto (detalhe): © Picture Alliance/Pressefoto Ulmer

Mais vitórias que a seleção masculina de futebol só mesmo a seleção feminina. A seleção masculina participou em sete Mundiais, e venceu duas vezes. Já a seleção feminina, ganhou o Europeu oito vezes, para além de ter levado para casa a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro – algo que a seleção masculina nunca conseguiu fazer. A única vitória olímpica de uma seleção masculina também foi o maior sucesso da história do futebol da antiga Alemanha de Leste. A equipa da República Democrática Alemã (RDA), que contava com o lendário treinador de Dresden Hans-Jürgen “Dixie” Dörner, derrotou a Polónia na final dos Jogos Olímpicos de Montreal em 1976.

Alemanha? Duas são melhores do que uma!

O avançado da RDA, Jürgen Sparwasser (2.° a contar da esquerda) marcou o golo da Alemanha de Leste contra o defesa-central Berti Vogts e o guarda-redes Sepp Maier, na vitória contra a Alemanha Ocidental. | Foto (detalhe): © Picture Alliance/Werner Schulze
O avançado da RDA, Jürgen Sparwasser (2.° a contar da esquerda) marcou o golo da Alemanha de Leste contra o defesa-central Berti Vogts e o guarda-redes Sepp Maier, na vitória contra a Alemanha Ocidental. | Foto (detalhe): © Picture Alliance/Werner Schulze

Há um golo que nunca será esquecido na Alemanha: o golo da vitória no único confronto entre as duas Alemanhas. A República Democrática Alemã qualificou-se para o Mundial de 1974 que, curiosamente, era organizado pela República Federal da Alemanha (RFA). E, ainda por cima, o sorteio ditou que as duas equipas ficassem no mesmo grupo da primeira fase. No dia 22 de junho de 1974, as seleções da Alemanha Ocidental e da Alemanha de Leste jogaram uma contra a outra no estádio Volksparkstadion em Hamburgo – pela primeira e pela última vez. Ao minuto 77, o único golo do jogo foi marcado por Jürgen Sparwasser, na altura com 26 anos. A Alemanha de Leste ganhou. Para a seleção da Alemanha Ocidental, este choque acabou por ser importante: embora tenha sido derrotada pelos vizinhos nesse jogo, acabou por ganhar o Mundial, com Franz Beckenbauer ao comando da equipa. A camisola número 4 que Sparwasser usou nesse jogo, está em exposição no museu Haus der Geschichte, em Bona.

Espetadores? em massa!

Adeptos da equipa VfB Stuttgart com o cachecol da vitória | Foto (detalhe): © Picture Alliance/blickwinkel
Adeptos da equipa VfB Stuttgart com o cachecol da vitória | Foto (detalhe): © Picture Alliance/blickwinkel

A Bundesliga – a liga profissional de futebol da Alemanha – foi fundada apenas em 1963, muito mais tarde do que as restantes ligas de países de futebol. Embora seja relativamente recente, a Bundesliga é extremamente popular. Na época passada, os jogos da primeira divisão tiveram uma média de cerca de 44,657 espetadores, tornando-a na liga com maior número de espetadores por jogo em média. Durante anos, a equipa Borussia Dortmund era a que atraía mais espetadores, com uma média de 79,496 por jogo. A Bundesliga também se destaca quando comparada com outros desportos – apenas a NFL, a liga de futebol americano, com a sua bola oval, consegue ter mais espetadores por jogo.
Thomas Winkler escreve sobre desporto, cinema e música para o jornal diário taz e para outros meios de comunicação. É também redator de cultura pop das revistas berlinenses zitty e tip.

Texto: Goethe-Institut, Thomas Winkler. Este artigo está licenciado com uma licença Creative Commons Attribution – Share Alike 3.0 Germany license.
Creative Commons Lizenzvertrag

junho 2018

Dúvidas sobre este artigo? Contacte-nos!
internet-redaktion@goethe.de
Links relacionados

 

 
 

Migração e integração

A migração altera culturas

rumbo @lemania

© rumbo @lemania
… el portal para jóvenes nómadas

FuturePerfect

© Future Perfect
Hitsórias para amanhã - hoje, em todo o mundo

Goethe-Institut Portugal

Bem-vindo
à nossa
Homepage!