Sobre o projecto

Sobre o Projecto

As histórias criam-se à medida que se contam. Através das narrativas contadas, inventam-se, transmitem-se, modificam-se e adaptam-se histórias. Elas percorrem o mundo, passam de pessoa para pessoa e facilmente transcendem os limites criados pelo homem.

O público ouvinte, por seu lado, participa no processo narrativo da história através das suas reacções. Esta tradição de narrativas teatralizadas mantém-se forte em muitos países da África subsaariana e tem sido recentemente objecto de revitalização sob a forma da palavra falada. A palavra falada realiza-se através de uma cena extremamente activa e do ponto de vista artístico altamente emocionante, contudo, escassamente documentada e praticamente sem ligações para fora das fronteiras nacionais.

 Mpho Khosi, Julian Heun – King Kong em Joanesburgo © Goethe-Institut. Photo: Gitte Zschoch

 Todos os Artistas Joanesburgo © Goethe-Institut. Photo: Gitte Zschoch

Participantes do evento que dará o pontapé de saida em Joanesburgo. 24.05.2013

em Joanesburgo uma selecção de artistas sul-africanos da palavra falada. Todas as actuações foram gravadas em filme, tendo um júri independente ao mesmo tempo apreciado os desempenhos e premiado três vencedores. As suas prestações foram colocadas nesta página da Internet. O projecto transitou então para a cidade seguinte, Antananarivo, em Madagáscar. Aqui, os artistas visionaram os vídeos de Joanesburgo e, dando-lhes sequência, incluíram um elemento de uma dessas narrativas na sua própria apresentação. No decurso do ano de 2013, este padrão repetir-se-á nas seis cidades que se seguem: Iaundé (Camarões), Luanda (Angola), Kampala (Uganda), Nairobi (Quénia), Bamako (Mali) e Abidjan (Costa do Marfim).

A ideia-chave: uma narrativa multidimensional

A transposição deste elemento de um artista e de um lugar para o artista e o lugar seguintes constitui a ideia-chave do projecto. Cria-se um fio condutor comum, entretecendo deste modo uma narrativa maior, interligada, alargada, multidimensional e, por isso mesmo, não hierárquica – uma metáfora da criação e disseminação de histórias tradicionais e consequentemente da própria arte de contar histórias.



Convidámo-lo a juntar-se a esta viagem! Clique sobre o mapa de África para encontrar os vídeos, siga as histórias de cidade em cidade, informe-se sobre os artistas participantes, leia sobre o panorama multifacetado da palavra falada por toda a África, e siga-nos no Facebook.