Christian Kracht

    Eu estarei aqui ao sol e à sombra

    Christian Kracht
    Köln: Kiepenheuer & Witsch, 2008
    160 S.
    ISBN 978-3462040418
    No seu romance Eu estarei aqui ao sol e à sombra, publicado em 2008, o autor suiço Christian Kracht escreve uma nova versão da História Mundial: Lenine não chega até Petersburgo, mas conduz a revolução a partir do seu exílio suiço. Desta forma surgiu a República Socialista Suiça (RSS) que, por altura desta narração, se encontra há quase um século em plena guerra contra uma coligação fascista germano-inglesa e cobre as suas necessidades em novos combatentes com recrutas negros, provenientes da sua colónia na África Oriental. Esta colónia suiça no sudeste africano recebe como recompensa um generoso apoio financeiro, desenvolvendo-se assim numa região em franco progresso com cidades modernas. Doenças tropicais, pobreza e fome são dados como banidos.

    Da Niassalândia (Malawi), colonizada pelos suiços, é oriundo o narrador de 1.ª pessoa, sem nome, que é promovido até ao posto de oficial político na liderança da RSS. Na perseguição de um dissidente das próprias fileiras ele segue o ominoso Coronel Brazhinsky de Nova Berna até ao Réduit suiço que, durante os infindáveis anos de guerra, se tinha transformado numa gigantesca fortaleza alpina. Porém, no pretenso Centro de Comando da Suiça Socialista alastram-se a loucura e a anarquia. Os enormes murais do Réduit, à boa maneira do realismo socialista, fazem com que o narrador de 1.ª  pessoa se recorde cada vez mais das pinturas rupestres da sua pátria africana e ao penetrar nas entranhas da montanha, dá-se conta que o progresso civilizatório da sua „pátria“ europeia não passa de uma bolha de ar ideológica. Liberto dos seus complexos de inferioridade, o narrador negro regressa à África Oriental e reconduz o seu povo das cidades satélite coloniais para as aldeias originais.

      Christian Kracht: Ich werde hier sein im Sonnenschein und im Schatten
      (Eu estarei aqui ao sol e à sombra)

      O romance Eu estarei aqui ao sol e à sombra é um romance pós-modernista do escritor Christian Kracht que não oculta os seus numerosos empréstimos aos mais variados géneros literários e a obras pontuais: 1984 de Orwell e ficção científica, literatura decadente, estéticos relatórios de guerra à moda de Ernst Jünger, romances pseudo-históricos segundo Philip K. Dick e discursos socialistas conduzem a uma síntese, alienando-se, simultaneamente, num novo cut’n’mix.Leia mais ...