Thomas Stangl

    O único lugar

    Thomas Stangl
    Graz: Droschl, 2004
    405 S.
    ISBN 978-3-854-20649-1
    Edição de bolso: btb Verlag, 2006

    Dois viajantes europeus, independentes um do outro, partem, na década de vinte do século XIX, para uma expedição por terras de África. Apesar de terem temperamentos diferentes, eles são fidedignos representantes da Europa de então e partem com o mesmo objectivo: encontrar a lendária cidade de Timbuktu, no Mali, país rico em história e desfrutar do prestígio da primeira descoberta europeia. O major Alexander Gordon Laing, com a sua caravana composta por muita gente, parte de Tripolis e faz a travessia do Saara para chegar a Timbuktu. Dois anos mais tarde, o francês René Caillié, completamente só, parte do Senegal e tenta chegar á cidade pelo Niger.

    O inglês Laing acredita ter o apoio de todo o Império, mas não tarda a estar cada vez mais envolvido nas intrigas das respectivas administrações, enquanto que Caillé, com a sua missão pessoal, espera poder desvendar para a Europa o mistério que envolve a cidade Timbukti. Identifica-se como sendo um árabe sequestrado para a França, que vive com o receio constante que o seu disfarce seja desembuçado. Ambos resistem ás carências e estafadelas da viagem e chegam, finalmente, á cidade para nela perecerem.

    O romance de Stangl procura investigar a causa do fascínio que a cidade de Timbuktu desperta: como é que pessoas, á procura de uma cidade cuja existência para os europeus, até então, só se baseava em lendas, aceitam suportar incríveis entraves? Porque é que a mera citação do nome Timbuktu desencadeia um tal deslumbramento?

      Thomas Stangl: Der einzige Ort (O único lugar)

      Timbuktu, a cidade dourada no coração do Mali. Os etimólogos são da opinião que o nome do lugar significa "fonte da Buktu", pois é relatado que a escrava Buktu teria sido deixada pelos Tuaregues, para vigiar uma fonte que se encontrava exactamente no lugar da actual Timbuktu.Leia mais ...