Maio 30.2017 The Maxim Gorki Theatre no Rio

Cena da peça
Divulgação © The Maxim Gorki Theatre

​De 31 de maio a 11 de junho, o Centro Cultural Banco do Brasil, com apoio do Goethe-Institut Rio de Janeiro, recebe a VI Cena Brasil Internacional. O festival reúne espetáculos de teatro e dança, workshops e palestras, apresentados por quatro companhias brasileiras e quatro estrangeiras, de três países: Alemanha, Itália e Japão. A parceria com o instituto viabilizou a participação da The Maxim Gorki Theatre, um dos grupos mais politizados da Alemanha que chega pela primeira vez ao Rio de Janeiro.

O diretor Sebastian Nübling, a coreógrafa Tabea Martin e quatro atrizes da companhia apresentam o texto da premiada escritora alemã feminista Sibylle Berg: The So-Called Outside Means Nothing to Me ("O tão falado lado de fora não significa nada para mim"). Autora de 21 peças e treze romances, Sibylle é considerada uma das escritoras mais provocantes da Alemanha. A peça é uma obra sobre o feminismo jovem e personagens que transitam entre a adolescência e a vida adulta.

Formado por Rahel Jankowski, Cynthia Micas, Suna Gürler, Nora Abdel-Maksoud, o elenco fala simultaneamente o mesmo texto sobre medos, desejos e obsessão pelo sucesso presentes na vida de mulheres que se veem pressionadas pela mídia e pela sociedade. Como elas realmente querem viver suas vidas? A produção foi eleita a melhor peça de 2014 pelo júri de críticos da prestigiada revista Theater Heute.

Veja toda a programação de apresentações, workshops e palestras da companhia teatral no site do Goethe-Institut Rio de Janeiro.

The Maxim Gorki Theatre
Construído em 1827 em Berlim, o Maxim Gorki foi totalmente destruído durante a Segunda Guerra Mundial. Reconstruído e reaberto em 1952, o novo Gorki busca apresentar, desde então, projetos que refletem uma sociedade diversificada, e nos últimos tempos expressa em cena contundentes respostas artísticas às crescentes crises econômicas e políticas da Europa, assim como aos mais urgentes dilemas e conflitos sociais e culturais, como a recente crise dos refugiados.

A companhia trabalha com um elenco fixo e multiétnico, composto por 17 performers, e também conta com um grupo paralelo composto exclusivamente por artistas imigrantes, o The Exil Ensemble. A missão do Gorki é estar aberto a profissionais independentemente de suas origens, e levar à cena textos clássicos e contemporâneos a partir de uma estética arrojada, guiada por seus diretores residentes, entre os quais se destacam Nurkan Erpulat, Sebastian Nübling e Yael Ronen.