Acesso rápido:
Ir diretamente ao contéudo (Alt 1)Ir diretamente à navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente à navegação principal (Alt 2)

Conexión Humboldt | ГУМБОЛЬДТ-КОННЕКШН
“Humboldt estaria muito indignado com o degelo do permafrost”

 Foto: Ana Morosowa, Goethe-Institut Novosibirsk

Angelina Davydova, Nowosibirsk

“Com certeza, Humboldt trataria hoje das consequências da mudança climática. Estaria muito decepcionado em testemunhar as enormes emissões de CO² ocasionadas pelo degelo do permafrost. Provavelmente trataria dos problemas relacionados à extração de petróleo e de gás e a economia russa depende muito disso. Cientistas confirmam que a mudança climática também já está em curso em todas a regiões árticas. Potencialmente, são afetadas muitas infraestruturas, tais como moradias e transporte – tudo está ameaçado pelo degelo do permafrost. As queimadas nas florestas também são um tema atual na Rússia. No verão de 2010, Moscou ficou algumas semanas sob o smog. Neste ano, estão afetadas as regiões da Sibéria – a dimensão das queimadas nas florestas na Sibéria este ano é realmente sem precedentes. Cientistas russos preveem que haverá cada vez mais queimadas como essas. As condições climáticas estão mudando, as condições de umidade estão mudando, há mais períodos de seca.”
 

Angelina Davydova é cientista econômica e jornalista ambiental. Desde 2008, participa das negociações da ONU para a proteção do clima como observadora russa. É diretora do Escritório Russo-Alemão de Informação Ambiental e professora de jornalismo na Universidade de São Petesburgo.

  Conexión Humboldt (espanhol) 

Top