Acesso rápido:
Ir diretamente ao contéudo (Alt 1)Ir diretamente à navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente à navegação principal (Alt 2)

Instalações
Humboldt 360 ̊ | Uma expedição pela América Latina

© Erika Torres, 2019

Este filme em 360° reproduz a rota da viagem de Humboldt pela Colômbia e o Equador. Por entre citações originais, visitantes viajam pela América Latina atual. Em quatro episódios, o filme mostra o olhar minucioso de Humboldt como cientista cultural, etnólogo e crítico do colonialismo, do racismo e da exploração, e exibe a imagem da América Latina que se apresenta aos viajantes de hoje. As estações da viagem são Cartagena, Bogotá, Quito e o Chimborazo.

O sonho de Alexander von Humboldt na juventude era uma viagem de pesquisa até a América do Sul. Junto com o médico e botânico francês Aimé Bonpland, ele viajou pelo continente entre 1799 e 1804, passando de início pela Venezuela e por Cuba, para seguir então até a Colômbia, Equador, Peru e México. Sua vida, a partir de então, seria marcada pelas impressões recolhidas nesta viagem. Em quatro estações, Humboldt 360˚ | Uma expedição pela América Latina reconstrói as paradas de Humboldt durante sua viagem pela Colômbia e pelo Equador. O enfoque, neste caso, não está apenas na América do Sul que Humboldt pretendia então conhecer, mas também no continente nos dias de hoje – com todas as continuidades e rupturas ocorridas desde então.

Chegada na América Latina
Em 1801, Humboldt chegou a Cartagena, na Colômbia. Após uma viagem ao longo da linha costeira atual, o microbiologista colombiano Alberto Gómez Gutiérrez nos introduz à vida de Humboldt durante um longo passeio pela floresta e nos revela qual era a motivação do cientista.


Aprendendo com as culturas
A segunda estação nos leva a Sesquilé, na Colômbia. Depois de assitir a um concerto particular numa casa de família, acompanhamos Ernesto Mamanche, líder da comunidade indígena regional Muísca e conhecemos os filhos da comunidade.

Interconexão
Em Quito, no Equador, nos encontramos com a historiadora Christiana Borchert de Morena. Descobrimos que Humboldt mergulhou na vida social de Quito e seguimos suas pistas na capital do Equador, como por exemplo aquela de seu passaporte que foi preservado ali. 

Prospecção
A escalada do vulcão Chimborazo, no Equador, constituiu uma das maiores provas de resistência da viagem de Humboldt. Apesar de temperaturas gélidas, das bagagens pesadas e da redução da concentração de oxigênio, ele ainda chegou a fazer medições a mais de 5 mil metros de altitude. Em nossa quarta estação, seguimos Humboldt pelas encostas nevadas do Chimborazo. 

Top