Acesso rápido:
Ir diretamente ao contéudo (Alt 1)Ir diretamente à navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente à navegação principal (Alt 2)

Entrevista com Virgínia Fontes
“O pensamento marxista como crítica e proposição na educação”

Historiadora defende uma educação, na qual as crianças coparticipem do trabalho dos adultos: “Isso só é possível num mundo onde o trabalho dos adultos não seja um massacre como é hoje”.

 


Professora do curso de pós-graduação em história da Universidade Federal Fluminense (UFF), Virgínia Fontes integra também o NIEP-Marx (Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Marx e Marxismo). Desde 2003, articula e orienta trabalhos de ensino e pesquisas sobre o assunto. Fontes é também docente da Escola Nacional Florestan Fernandes, ligada ao Movimento dos Sem Terra (MST).  De orientação marxista, a Escola prepara agricultores, bem como seus filhos e netos, com uma ampla formação. Além de fazer parte de conselhos editoriais de revistas como Marxismo 21 e Trabalho política e sociedade, Fontes tem inúmeras publicações, entre elas O Brasil e o capital-imperialismo: teoria e história ( 2010). Para a historiadora, o pensamento marxista na educação é fundamental como crítica, mas também como proposição de um processo alternativo de educação.

Top