Panorama "Que horas ela volta?", de Anna Muylaert, leve Prêmio do Público

Que horas ela volta? Direção: Anna Muylaert. Na foto: Camila Márdila, Regina Casé
Que horas ela volta? Direção: Anna Muylaert. Na foto: Camila Márdila, Regina Casé | Stillfoto Berlinale Panorama

O filme conta a história de uma empregada doméstica, Val, interpretada por Regina Casé. Sem ver a filha há 13 anos, sua vida é modificada pela chegada da jovem em São Paulo para prestar vestibular. Com um roteiro bem construído e boas atuações do elenco, o filme emocionou a plateia ao trazer para as telas berlinenses um drama familiar, que também tem um cunho social e político ao problematizar a relação de submissão entre patrões e empregadas domésticas ainda vigente no Brasil. O filme foi também premiado pela Confederação International de Cinemas de Arte e Ensaios.

Afirmação do cinema

O Urso de Ouro de melhor filme do festival foi entregue para o belo Taxi, do diretor iraniano Jafar Pahani. O filme se passa todo dentro de um táxi, tendo o próprio diretor como motorista que conduz passageiros por Teerã. Com um excelente roteiro e soluções simples de filmagem, Taxi é uma reflexão sobre as impossibilidades de se fazer cinema no Irã, além de ser uma reafirmação do cinema como única possibilidade de expressão para seu diretor. Sem dúvida é um prêmio de cunhoo político.

Prêmios para América do Sul

O documentário El bóton de nácar, de Patricio Guzmán, levou o Urso de Prata de melhor roteiro. O filme traça um paralelo entre as mortes dos indígenas patagônicos causadas pelos colonizadores e as mortes provocadas pela ditadura militar no Chile. O ponto de encontro entre ambas tragédias é o mar, usado pelos indígenas como meio de transporte e sobrevivência e pelos militares como cemitério. O grande prêmio do júri foi para outro filme chileno: El Club, dirigido por Pablo Larraín. O filme se passa na costa chilena e revela contradições na Igreja Católica, a partir da história de um padre que se suicida após receber acusações de seus companheiros.

A Berlinale fecha as suas cortinas, mas vários cinemas comerciais exibirão os filmes que participaram do festival nos próximos meses.