Planejamento urbano Envolvendo o saber de muitos

PlanBude | Hamburgo | St. Pauli
PlanBude | Hamburgo | St. Pauli | Foto: Margit Czenki

O PlanBude é um escritório de planejamento urbano com postura ativista, que surgiu no contexto dos confrontos em torno da demolição das “Casas Esso”, no bairro de St. Pauli, em Hamburgo. Para a reconstrução neste terreno próximo à Reeperbahn, na zona de prostituição e entretenimento da cidade, o escritório desenvolveu métodos de planejamento urbano inovadores.

O escritório de planejamento, formado por uma equipe interdisciplinar de arquitetos, artistas, pedagogos, assistentes sociais e urbanistas, foi criado em 2014 a partir de uma assembleia de moradores de bairro organizada de forma independente. O escritório recebeu então da administração regional do bairro Hamburg Mitte a incumbência de organizar a participação dos moradores no planejamento da nova edificação, a ser erguida no terreno de 6 mil metros quadrados. O resultado desse processo deveria servir de ponto de partida para o edital de licitação de projetos arquitetônicos para o local.

Como a maioria de tais processos participativos acontecem de maneira formalizada e de fato pouco pluralista, o PlanBude quis desenvolver métodos através dos quais fosse realmente possível incluir as ideias de um maior número possível de pessoas. A intenção era fazer exigências precisas e não apenas contribuir com sugestões descompromissadas.

Maquete de lego Maquete de lego | Foto: Margit Czenki O PlanBude registrou, em contrato firmado pela administração regional do bairro, a obrigatoriedade de implementação do que fosse sugerido pelos moradores. Na sequência, o escritório reuniu durante quatro meses e meio 2.300 contribuições de cidadãos sobre o assunto. Além disso, o escritório posicionou um contêiner diretamente no terreno, organizando o processo de planejamento da obra como uma plataforma de intercâmbio. Com esse propósito, o PlanBude construiu uma maquete de lego em escala de 1:150, bem como um “mapa noturno” na cor preta, sobre o qual era possível desenhar com lápis branco como o bairro de St. Pauli poderia ficar no ano de 2020 com o fim da obra. No local, foram colocadas ainda peças “táticas”, que transformam, por exemplo, um pilarete para orientação no tráfego em uma mesa ou um carrinho de compras de supermercado em uma mesa de escritório. Dessa forma, a rua acabou se transformando em um estúdio de planejamento urbano.

Produção desejável Produção desejável | Foto: Margit Czenki Palestras, oficinas e imagens em vídeo pelos bares e estabelecimentos do bairro abordaram temas como métodos mais econômicos de construção, o deslocamento da cena musical, as mudanças da zona de prostituição e a “disneylandização” da região da Reeperbahn.

Um workshop de fotografia intitulado “Quebrando o código do St. Pauli” produziu imagens que deveriam analisar e decifrar o “vocabulário da cidade”.
 

“Quebrar o Código St. Pauli”

A partir dos incontáveis depoimentos dos cidadãos, a equipe do PlanBude concluiu uma análise das imagens, destacou as frases mais veementes e apresentou as decisões escolhidas pela maioria dos participantes. Uma delas, por exemplo, foi a de que, em uma região onde há uma enorme demanda de espaço residencial, uma maior densidade demográfica é aceitável, sob a condição de que as moradias continuem a preços pagáveis. Além disso, foi registrado o desejo de um espaço público térreo, uma galeria para os jovens frequentarem e um ponto de encontro para a vizinhança. Segundo as sugestões, os spaços de muito fluxo de pessoas deveriam ser colocados no último andar. De maneira geral, houve predileção por uma segmentação do espaço com nichos, várias entradas e pequenos “esconderijos”.
 
Resultados para projeto arquitetônico no Terreno Esso
Resultados para projeto arquitetônico no Terreno Esso
 
Em outras assembleias de moradores, o PlanBude recolheu mais opiniões sobre as análises, podendo, por fim, em um consenso com a administração regional do bairro e com os investidores, transformar as exigências dos cidadãos em ponto de partida para a criação do edital de licitação do projeto.

Agora foi tarefa dos arquitetos implementar essas exigências muito precisas. Os escritórios de arquitetura NL e BeL, que ganharam a concorrência, mantiveram-se, em seus projetos, fiéis às ideias dos moradores, sem medo de contrastes fortes ou da heterogeneidade.
 
Resultados da licitação de projeto arquitetônico
Resultados da licitação de projeto arquitetônico

Planbude

É uma equipe interdisciplinar, formada por profissionais dos setores de urbanismo, artes, assistência social, cinema, música e arquitetura.

Christoph Schäfer Photo: private Christoph Schäfer estudou entre 1985 e 1992 na Academia de Belas Artes de Hamburgo. A partir de 1989, passou a se dedicar ao cotidiano urbano em suas pesquisas e trabalhos, entre outros em cooperação com diversos artistas, urbanistas e arquitetos. Seu projeto “Park Fiction”, em Hamburgo, dedicado ao planejamento urbano coletivo, foi exibido na documenta de Kassel em 2002.


Renee Tribble Photo: private Renée Tribble estudou Arquitetura na Universidade Bauhaus, em Weimar, entre 1998 e 2005. Como urbanista, trabalhou para diversos escritórios de arquitetura, além de dar aulas de “Design Urbano” na Universidade HafenCity de Hamburgo.
Outros membros da Planbude: Christina Röthig (assistente social), Volker Katthagen (arquiteto e urbanista), Margit Czenki (cineasta e artista), Lisa Marie Zander (estudante de Arquitetura), Patricia Wedler (especialista em Estudos Culturais e música).