ASSOCIAÇÃO “BASIS” RECEITA DE SUCESSO EM FRANKFURT

basis e.V. |Espaço do projeto Elbestrasse Frankfurt
basis e.V. |Espaço do projeto Elbestrasse Frankfurt | © basis e.V. 2010

A associação “Basis” foi fundada para criar espaços baratos destinados a ateliês de artistas jovens na cidade. Há muito que esse projeto em Frankfurt é mais do que apenas um local de produção de arte contemporânea. No espaço de exposições, há mostras de grandes nomes do circuito, enquanto diversos programas de intercâmbio criam redes internacionais.

Lanchonetes de comida turca, bordéis e, no meio deles, bares da moda: o bairro que circunda a estação ferroviária central de Frankfurt é um lugar onde muitos universos colidem. Uma discreta porta de metal leva a um pátio interno idílico. Subindo a escada, chega-se ao segundo andar. É ali que fica o ateliê de Jan Buchczik, um ilustrador que ainda está estudando na Escola de Design de Offenbach, cidade vizinha a Frankfurt, e irá em breve concluir sua graduação. Mas ele já é, agora, muito bem-sucedido: suas ilustrações, desenhadas no computador, são publicadas pelo semanário Die Zeit, pela revista do diário Süddeutsche Zeitung, pelo britânico Guardian e pelo New York Times.
 
Faz aproximadamente dois anos que Buchczik mantém seu local de trabalho em um dos três prédios de ateliês da associação Basis. “A Basis é um bom lugar para se trabalhar”, diz o ilustrador. Ele é um entre os 150 artistas que encontraram ali um espaço. E o que ele paga pelo ateliê fica muito aquém dos preços de aluguéis naquele bairro da cidade, principalmente depois que a zona de prostituição se transformou em um bairro descolado.

MERCADORIA ESCASSA: ESPAÇOS BARATOS PARA ATELIÊS

A associação Basis surgiu de uma carência: em Frankfurt, uma das cidades mais caras da Alemanha, houve durante muito tempo falta de espaços pagáveis para manter um ateliê. Para a cidade, esse era um problema grave. Muitos jovens artistas talentosos, que chegavam para estudar na renomada Academia de Artes Städelschule, acabavam se mudando assim que terminavam a graduação para viver em cidades onde o custo de vida fosse mais barato. Hoje em dia, há muitas iniciativas que se opõem a essa tendência. Artistas e profissionais do setor criativo acabaram reunindo esforços para criar espaços destinados a ateliês: em alguns casos, para uso provisório de prédios temporariamente ociosos e vazios; em outros, em projetos de longo prazo.
 
  • basis e.V. Gutleutstrasse 8-12 Foto: Günther Dächert | 2014-© basis e.V
    basis e.V. Gutleutstrasse 8-12
  • basis e.V. | FAT- Andar de ateliês 2014 Foto: Frithjof Kjer © basis e.V
    basis e.V. | FAT-Andar de ateliês 2014
  • basis e.V. Gutleutstrasse 8-12 Foto: Günther Dächert | 2014-© basis e.V
    basis e.V. Gutleutstrasse 8-12
  • basis e.V. | Entrada Gutleutstrasse, Frankfurt © basis e.V
    basis e.V. | Entrada Gutleutstrasse, Frankfurt
  • basis e.V. Vista da exposição Claus Richter Foto: Günther Dächert | 2016-© basis e.V
    basis e.V. Vista da exposição Claus Richter
  • basis e.V. Vista da exposição | Rumors of Glory | 2017 Foto: Frithjof Kjer © basis e.V
    basis e.V. Vista da exposição | Rumors of Glory | 2017
  • basis e.V. | Abertura da exposição de Mohamed Bourouissa | 2016 Foto: Katrin Binner © basis e.V
    basis e.V. | Abertura da exposição de Mohamed Bourouissa | 2016
  • basis e.V. | Sala de leitura | Gutleutstrasse 8-12 Foto: Günther Dächert | 2015-© basis e.V
    basis e.V. | Sala de leitura Gutleutstrasse 8-12
  • basis e.V. | Carpintaria Elbestrasse Foto: Günther Dächert | 2016 © basis e.V
    basis e.V. | Carpintaria Elbestrasse
  • basis e.V. | Ateliê | Gutleutstrasse 8-12 Foto: Günther Dächert | 2014-© basis e.V
    basis e.V. | Ateliê | Gutleutstrasse 8-12

 
A Basis, que recebe apoio financeiro da prefeitura da cidade, existe desde 2006. Em 2016, a administração municipal comprou das mãos do governo do estado de Hessen o principal edifício, onde está instalada a maioria dos ateliês e também espaços de exposições, a fim de garantir a perpetuação do projeto. A Basis tem por objetivo dar apoio aos profissionais do setor de criação que estão se profissionalizando e ainda construindo uma carreira. Cada artista pode usar os ateliês de baixo custo durante seis anos. O sucesso do projeto é visível, diz Felix Ruhöfer, diretor artístico da Basis: “Percebemos que cada vez mais artistas tomam a decisão de continuar morando em Frankfurt”.

MAIS DO QUE UM ATELIÊ

Mas a Basis é bem mais do que um complexo de três prédios de ateliês. Não se trata apenas de manter os artistas na cidade, mas também de conectar os mesmos em redes internacionais. Para isso, o projeto mantém dois pilares: um espaço ambicioso de exposições e um programa de intercâmbio para jovens profissionais.
 
As exposições na Basis são normalmente dedicadas aos artistas que estão tentando se firmar no circuito internacional. Não são poucos os nomes hoje muito conhecidos, cujas primeiras individuais em países de língua alemã aconteceram na Basis. Os fotógrafos Tobias Zielony e Sven Johne, a artista Michaela Meise e Keren Cytter tiveram suas obras expostas na Basis antes de serem descobertos pelos museus. O encontro com a arte jovem, internacional e bem-sucedida do presente é importante, afirma Felix Ruhöfer: “Não queremos ser um complexo hermético de ateliês, mas também não queremos ser apenas uma associação de arte”. A mistura é que importa

ARTISTAS DE TODO O MUNDO

No decorrer dos anos, os programas de intercâmbio foram se tornando cada vez mais importantes. O projeto convida artistas para morarem durante três meses em Frankfurt. Eles vêm, por exemplo, de Estrasburgo, Antuérpia, Seul, Kuala Lumpur e da região francesa Nouvelle-Aquitaine. Os artistas moram em um apartamento no prédio de ateliês e expõem suas obras em Frankfurt. Em contrapartida, os artistas da Basis podem se instalar nos ateliês desses convidados em suas cidades de origem. “É importante que os artistas jovens também conheçam outras redes”, afirma Felix Ruhöfer.
 
O fato de que a Basis contribui para frutificar a cena cultural da cidade pode ser constatado quando se observa como os artistas que receberam apoio da associação acabam se firmando no mercado de arte. Anne Imhof, que foi premiada em maio de 2017 com o Leão de Ouro na Bienal de Veneza, manteve um ateliê na Basis durante um longo tempo. Sandra Kranich, que faz em suas obras experimentos com fogos de artifício, participou da última Bienal de São Paulo. E o duo de artistas Özlem Günyol e Mustafa Kunt recebeu há pouco tempo o Prêmio HAP Grieshaber. Ou seja, da Basis de Frankfurt saem muitas histórias de sucesso para serem contadas.