Thomas Elsaesser Aquele que descreveu a história do cinema alemão

Thomas Elsaesser no Festival Internacional de Cinema de Roterdã de 2017.
Thomas Elsaesser no Festival Internacional de Cinema de Roterdã de 2017. | Foto (detalhe): © Vera de Kok / CC BY-SA 4.0

Thomas Elsaesser é especialista em cinema e professor de Estudos de Cinema e Televisão na Universidade de Amsterdã. Seus livros e ensaios sobre teoria do cinema e dos gêneros, história do cinema e cinema autoral europeu já foram traduzidos para mais de 20 idiomas.

Quem estuda filmes ou cinema não consegue evitá-lo: Thomas Elsaesser é algo como uma enciclopédia ambulante da história do cinema. Na Alemanha, Elsaesser é conhecido sobretudo por seus trabalhos sobre quase todas as épocas da história do cinema alemão. Ele publicou mais de 200 ensaios e artigos nas revistas especializadas mais importantes. Nascido em 1943 em Berlim, Elsaesser se mudou em 1963 para o Reino Unido, onde estudou e fez doutorado em Literatura Inglesa na Universidade de Sussex. Em 1968, fundou a revista de cinema Brighton Film Review. A partir de 1971, continuou a dirigir a revista sob o nome Monogram em Londres e se tornou conhecido como crítico e teórico dos filmes de Hollywood. Em 1976, junto com Charles Barr, ele fundou um dos primeiros institutos independentes de cinema do Reino Unido, o Film Studies Department da Universidade de East Anglia. Em 1991, transferiu-se para a Universidade de Amsterdã, onde fundou o Departamento de Cinema e Televisão. Desde sua aposentadoria, em 2008, já foi professor convidado na Universidade de Yale e, desde 2013, na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos. 

O que ele faz além disso:
Em 2009, junto com sua irmã Regine Elsaesser, Thomas Elsaesser criou a Fundação Martin Elsaesser, dedicada à vida e obra de seu avô Martin Elsaesser. Como urbanista em Frankfurt, Martin Elsaesser projetou, entre outros, o prédio do mercado atacadista de Frankfurt, uma construção tombada pelo patrimônio histórico que hoje constitui parte do novo prédio do Banco Central Europeu.
 
De historiador do cinema a diretor:
Em 2015, Thomas Elsaesser tornou-se ele mesmo diretor: com alguns objetos herdados de seu avô – uma mala com cartas, alguns poemas e uma lata contendo filmes super-8 –, ele relatou no documentário Die Sonneninsel a carreira de Martin Elsaeser nos anos 1930 e 1940, assim como seu complicado casamento com a esposa Liesel, que se apaixonou pelo arquiteto paisagista Leberecht Migge. O nome Sonneninsel se refere a um projeto de Migge, que realizou sua ideia de uma economia completamente reciclável numa pequena ilha perto de Berlim.