O teatro Schaubühne de Berlim
Encenações políticas

Encenação de “Hamlet” no Schaubühne de Berlim. Há muito tempo na companhia, Lars Eidinger também consolidou seu nome como ator de cinema
Encenação de “Hamlet” no Schaubühne de Berlim. Há muito tempo na companhia, Lars Eidinger também consolidou seu nome como ator de cinema | Foto (detalhe): Arno Declair / Schaubühne am Lehniner Platz

Com seus três palcos, o “Schaubühne na Lehniner Platz” é o maior teatro do oeste de Berlim: um lugar de encenações sobre questões políticas e sócio-políticas assinadas por renomados diretores.

 

Fazendo história desde os anos 1960 

Fundado em 1962, na época com o nome de “Schaubühne na Hallesches Ufer”, o teatro tem se voltado para temas políticos e sociais desde seu início. O mais tardar a partir de 1970, o teatro passou a fazer história, quando o diretor Peter Stein e um grupo jovem de direção e atuação entraram para a casa. Trabalhando com atores como Bruno Ganz e Otto Sander, Stein desenvolveu seu estilo próprio de direção, além de novas formas de colaboração no teatro.

Em 1981, o teatro foi transferido para um edifício próprio, localizado na avenida Kurfürstendamm – um projeto de Erich Mendelsohn que é considerado patrimônio histórico da cidade. Originalmente um amplo cinema, a sala principal é absolutamente flexível, o que possibilita convertê-la em três espaços de teatro menores, caso necessário. Diretoras e diretores como Milo Rau, Falk Richter, Mina Salehpour, Lilja Rupprecht, Herbert Fritsch e Patrick Wengenroth já passaram por ali. É também frequente a chegada de diretores estrangeiros para trabalhar em produções individuais, como por exemplo Rodrigo García, Angélica Liddell e Katie Mitchell. Thomas Ostermeier, diretor artístico do Schaubühne desde 1999, também encena ali suas próprias montagens. A cada ano, numerosos prêmios dão testemunho da importância deste teatro.
O Schaubühne foi transferido em 1981 para um antigo cinema do bairro berlinense de Wilmersdorf. O Schaubühne foi transferido em 1981 para um antigo cinema do bairro berlinense de Wilmersdorf. | Foto: Gianmarco Bresadola / Schaubühne am Lehniner Platz

CLássico, CONTEMPORâneo, CONTROVERSo

Pelo menos dez peças estreiam no Schaubühne a cada temporada, além de produções alternadas de um repertório de mais de 30 títulos contemporâneos e clássicos. Tanto teatro experimental quanto musicais e espetáculos de dança fazem parte da agenda do Schaubühne. Desde 2002 a casa vem também organizando a série Streitraum, que reúne cientistas, políticos, artistas e escritores para debater determinados aspectos de um assunto atual em painéis de discussão. A ensaísta Carolin Emcke tem atuado como mediadora e curadora da série desde 2004.

companhia permanente com “star appeal”

Desde 1999 o Schaubühne vem mantendo uma companhia permanente de atrizes e atores – um grupo de profissionais constantemente ampliado, contando com nomes hoje consagrados em produções para a TV, como Lars Eidinger, Jörg Hartmann, Ursina Lardi, Nina Kunzendorf, Hans-Jochen Wagner e Mark Waschke.

reputação INTERNAcIONAL: encenções em outros teatros e FESTIVAiS 

O Schaubühne circula pelo mundo com suas peças e contabiliza aproximadamente 100 apresentações fora da Alemanha a cada ano. Em seu roteiro estão alguns dos principais festivais internacionais de teatro, como o Festival de Salzburg, o Festival de Avignon e o Festival Internacional de Buenos Aires. Praticamente nenhum outro teatro alemão é tão presente no cenário internacional. Desde 2000 o Schaubühne sedia anualmente o Festival International de Novas Dramaturgias (FIND), no qual não apenas profissionais renomados do teatro como também jovens talentosos apresentam seus trabalhos. A programação de oficinas do festival oferece um fórum para estudantes de artes cênicas, direção e dramaturgia de todo o mundo.