Nadia Budde Brincando com palavras e imagens

As obras da escritora e ilustradora de livros infantis Nadia Budde já conquistaram vários prêmios.
As obras da escritora e ilustradora de livros infantis Nadia Budde já conquistaram vários prêmios. | Foto (detalhe): © picture alliance / Eventpress MP

A escritora de livros infantis Nadia Budde faz acrobacias com as palavras e os desenhos. Ela dispõe ambos de forma muito associativa, empolgando assim tanto leitores quanto críticos.

O mundo dos adultos é estranho e difícil de entender. Quando se é criança, é difícil imaginar que um dia faremos parte dele. É esta visão particular das crianças que Nadia Budde utiliza em sua história em quadrinhos Such’ Dir was aus, aber beeil Dich (Escolha alguma coisa, mas se apresse), uma linguagem (visual) que convenceu o júri do Prêmio Alemão do Livro Juvenil de 2010: à autora foi atestado um “olhar novo e sensorial”, um talento para registrar as “percepções, padrões de pensamento e conclusões” particulares das crianças. Mas o sucesso da artista berlinense começou bem antes.
Viele Mädchen aus dem Haus sähen gern wie Elfen aus – muitas meninas da casa gostariam de ter a aparência de elfos. De: “Und außerdem sind Borsten schön” (E, além do mais, cerdas são bonitas) Viele Mädchen aus dem Haus sähen gern wie Elfen aus – muitas meninas da casa gostariam de ter a aparência de elfos. De: “Und außerdem sind Borsten schön” (E, além do mais, cerdas são bonitas) | Foto: © Peter Hammer Verlag/Nadia Budde

Estreia premiada

Nascida em 1967 em Berlim Oriental, Nadia Budde fez primeiramente uma formação de decoração de vitrine, depois estudou design gráfico na Escola Superior de Arte de Berlim-Weissensee e no Royal College of Art em Londres. O primeiro livro de sua autoria Eins Zwei Drei Tier (Um dois três bicho), publicado em 1999 pela Editora Peter Hammer, já foi um sucesso de crítica e público. Ele conquistou o Prêmio Alemão do Livro Juvenil de 2000 e, até hoje, foi traduzido para sete idiomas. Seguiram-se os livros Trauriger Tiger toastet Tomaten (Tigre triste tosta tomates), premiado com o Luchs, um prêmio do jornal semanal Die Zeit e da Rádio Bremen, e Kurz nach sechs kommt die Echs (Pouco depois das seis chega o lagarto).
Ilustração de “Eins zwei drei Tier” (Um dois três bicho), de Nadia Budde. Ilustração de “Eins zwei drei Tier” (Um dois três bicho), de Nadia Budde. | Foto: © Peter Hammer Verlag/Nadia Budde

“…e então o guaxinim passa sua roupa”

Os títulos já deixam claro: Nadia Budde tem um fraco por jogos de palavras. Rimas, aliterações e onomatopeias permeiam sua obra e inspiram seu trabalho. Uma entrevista para o semanário Die Zeit revela  quão associativa é sua forma de trabalhar. Ela explica que, às vezes, lhe vêm à cabeça palavras que a agradam ou que rimam, e, a partir daí, ela inventa bichos. Outras vezes, ela pensa no nome de um animal e deixa-se inspirar por ele. Um exemplo é o caso do guaxinim que, em alemão, chama-se “Waschbär” – “waschen” significa “lavar” e “Bär”, “urso” – de onde “naturalmente” conclui que o animal deve lavar e passar suas roupas. “Und ist die Wäsche glatt, ist er von der vielen Bügelei eben platt” (“E quando o tecido está aplainado, de cansaço ele fica passado”), explica ela.
Ilustração de “Krake beim Schneider“ (O polvo no alfaiate). Ilustração de “Krake beim Schneider“ (O polvo no alfaiate). | Foto: © Peter Hammer Verlag/Nadia Budde

Cartões postais e aplicativos de jogos

Nadia Budde continua sempre a ampliar sua obra até hoje. Além de muitas outras ilustrações para livros, ela desenha cartões postais com motivos de unicórnios, tem sua própria série de quadrinhos de bichos no jornal Die Zeit e dá oficinas para crianças e jovens ilustradores – a convite do Goethe-Institut na Índia, por exemplo. Seu primeiro sucesso Eins Zwei Drei Tier acabou de ser lançado em forma de aplicativo de jogos. Os leitores e críticos apreciam sua produtividade. Afinal, como uma vez escreveu o jornal Frankfurter Allgemeine, suas histórias ilustradas são algo de que não se cansa nunca, “mesmo se lidas e relidas diversas vezes”.
Ilustração de „Und außerdem sind Borsten schön“ (E, além do mais, cerdas são bonitas). Ilustração de „Und außerdem sind Borsten schön“ (E, além do mais, cerdas são bonitas). | Foto: © Peter Hammer Verlag/Nadia Budde