Acesso rápido:

Ir diretamente ao contéudo (Alt 1)Ir diretamente à navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente à navegação principal (Alt 2)

Caracas
Génesis Alayón, artista

Portraitbild von Génesis Alayón © Génesis Alayón
O que simboliza para você a situação atual em nível pessoal ou em seu país?

No meu país vivemos uma forte crise política, econômica e social há muitos anos, acentuada em um presente que tenta recuperar a democracia. Enquanto isso convivemos com problemas que são parte da vida diária, e aos quais temos nos adaptado para poder sobreviver: a escassez de água, a falha diária do serviço de eletricidade, a desvalorização da moeda nacional, a censura dos meios de comunicação, a violência, a fome, a falta total de insumos para os hospitais, a falta de gasolina e, agora, esta pandemia, que nos faz todos tremer dentro de casa. 

Assim, posso comparar tudo isso com uma peça de teatro interminável onde todos representamos estar bem. Desde antes de eu ter nascido todos atuavam: “isso vai passar”, “você vai ver logo”, “o tempo de Deus é perfeito”, “tudo será melhor”. Muitos atores abandonaram a cena e outros foram obrigados a deixar o teatro. Estamos todos em um falso bem-estar e, sempre juntos, tentamos tirar o melhor de cada dia. Esta pandemia invadiu a cena com uma atmosfera de incerteza, mas isso tem que nos fazer mais fortes. 

Zeichnung von einer Versammlung von Männern © Venezuela von Génesis Alayón

Como a pandemia vai mudar o mundo? Quais são, na sua opinião, as consequências da crise em longo prazo?

Responder a isso é delicado, pois esta é uma situação que afeta profundamente nossa humanidade. 

Não sinto ter a capacidade de fazer uma projeção deste tipo. Apenas creio que isso poderia transformar a forma como nos relacionamos entre nós e com a natureza. 



Zeichnung eines Duschkopfes vor einer Fliesenwand © Venezuela von Génesis Alayón

O que traz esperança A Você?

Em espanhol a palavra esperança vem de esperar, e eu não quero “esperar”. Eu quero “fazer”. Prefiro pensar que esta situação fortalecerá a vontade do ser humano e o guiará a ser mais consciente em sua interação com tudo que o rodeia. 

Qual sua estratégia pessoal para lidar com esta situação?

Vivo com meu melhor amigo, ele é escritor, e quando isso começou estabelecemos algumas regras simples:
  • Tentar manter nossos horários de trabalho intactos (é muito fácil querer ficar na cama até mais tarde). 
  • Ler o que pudermos e alimentar nossos projetos pessoais (principalmente se não houver luz elétrica).
  • Nos mantermos em movimento: o sangue precisa fluir, o cérebro precisa oxigenar-se, e dessa forma é permitido dançar a qualquer hora.
  • Cozinhar pratos deliciosos todos os dias com o que tivermos e, como às vezes não há gás, é necessário ser criativo, e temos mestrado em comidas “à la frigideira elétrica”.  
  • Manter o contato com nossa família e nossos amigos. 
  • Se um de nós se sentir mal, o outro deve fazer uma boa sopa quente.
  • Rir (a regra mais importante.)
 

Top