Acesso rápido:

Ir diretamente ao contéudo (Alt 1)Ir diretamente à navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente à navegação principal (Alt 2)
#adançaquefaltaenTocar Danças

Sobre o projeto

A partir do ano de 2020 e da incontornável crise ético-humanitária global catalisada pela pandemia de Covid-19, foram reconfiguradas urgências da criação e do cuidado. Em diferentes plataformas e linguagens, as artes têm sido fundamentais na produção de vida, ampliando horizontes de percepção, de mobilização e de organização da sociedade. Em tempos de grandes ausências, restrições e violências, elas acolhem a complexidade e intensidade dos afetos na emergência de reflorestar coreografias e  florescer danças. 

O projeto EnTocar Danças _ perspectivas da falta 2020/2021 convidou 11 artistas atuantes na cidade do Rio de Janeiro a mobilizar suas danças e seus territórios físicos e simbólicos a fim de co-criar uma residência artística em pleno período de distanciamento social.  Nesse espaço de alteridade, acolhimento e aprendizado, demos tempo de escuta às inquietações dos corpos e as possibilidades de presença, de encontro e de criação em dança. 

O verbo “EnTocar” surgiu não como movimento de ensimesmamento, mas como desafio de agir sobre o real, em ato de ‘silêncio’ e de ‘conexão’. No estímulo ao deslocamento de lugares e modos de investigação já conhecidos, o projeto procurou se comprometer com os enfrentamentos dos encontros  e com o não-saber. Quais “novidades” surgem em uma residência em dança após quase 1 ano de pandemia? O que suscita um “convite para a troca” entre artistas com trajetórias substancialmente distintas e/ou que podem ser lidas como “dissidentes”? Quais questões emergem do esforço coletivo em reunir de forma horizontal artistas, curadores e instituição? Que resultados da residência se apresentam ao não pretender uma obra ou arquivo visual como conclusão do processo? 

Primeiro programa de residência em dança do Goethe-Institut Rio de Janeiro, EnTocar Danças_perspectivas da falta 2020/2021 se desenvolveu como plataforma de escuta e de contato de diferentes modos de produção criativos, políticos e afetivos. Após entrevistas individuais em dezembro de 2020, artistas de  diferentes gerações, trajetórias e perspectivas na dança foram convidades a se encontrar durante sete dias no mês de janeiro de 2021. A residência ocorreu de forma remota e contou com uma série de proposições práticas e teóricas des artistas e dos curadores com o intuito de desviar da lógica visual- produtivista e ativar sensibilidades e outras possibilidades de escuta.  

Em abril, para celebrar os encontros e a realização do projeto, semanalmente, ume artista-residente será homenageada com um  mini-documentário e outras publicações nas redes sociais do projeto  e do Goethe Institut Rio de Janeiro.  

Agradecemos es artistas Anani Sanouvi, Carmen Luz, Conceição Carlos, Flávia Meireles, Jéssica Castro, João Carlos Ramos, Juliana Mello, Moira Braga, Taísa Machado, Viní Ventania e Vitória Jovem pelo envolvimento pujante e sensível no EnTocar Danças - perspectivas da falta e, sobretudo, pela imensurável contribuição para o universo da dança carioca. 

Ficha Técnica

Artistas - Residentes ::: Anani Sanouvi, Carmen Luz, Conceição Carlos, Flávia Meireles, Jéssica Castro, João Carlos Ramos, Juliana Mello, Moira Braga, Taísa Machado, Viní Ventania e Vitória Jovem

Coordenação Artística ::: Maurício Lima e Thaís Chilinque

Curadoria ::: Fábio Costta, Mauricio Lima e Thais Chilinque

Vídeos ::: Iná

Produção ::: Nely Coelho / Ginja Filmes e Produções

Design e Mídias Sociais ::: Rodrigo Menezes

Intérprete de Libras ::: Jhonatas Narciso

Audiodescrição ::: Nara Monteiro

Consultoria em audiodescrição ::: Moira Braga

Legendagem ::: Transcrito Já

Apoio ::: Pandêmica Coletivo Temporário de Criação 

Realização ::: Goethe Institut - Rio de Janeiro

Top