GAMESCOM STEAMWORLD – A SUÉCIA A TODO VAPOR

Image & Form é um pequeno estúdio de desenvolvimento de jogos na cidade sueca de Göteborg. Com cerca de 20 colaboradores, o presidente da empresa, Brjánn Sigurgeirsson, conseguiu avançar para o território dos big players e conquistar um lugar de destaque nas avaliações com seus jogos participativos SteamWorld, superando até marcas que costumam liderar o mercado.

Meu primeiro contato com a Image & Form aconteceu por acaso. Eu tinha comprado um novo console portátil Nintendo 3DS e estava pesquisando o que o catálogo digital de jogos da Nintendo (“eShop”) tinha a oferecer, quando SteamWorld Dig me saltou aos olhos. Nele o jogador controla Rusty, um pequeno robô movido a vapor que precisa “escavar” em busca de segredos num mundo em estilo velho Oeste.
 

ANTES, GARIMPANDO OURO, AGORA, COMANDANDO PIRATAS ESPACIAIS

Empolgado pela jogabilidade e pelo estilo visual do jogo, fiquei bem triste no final, quando concluí minha aventura depois de cerca de quatro horas. Eu já tinha quase esquecido SteamWorld, quando o projeto do Goethe-Institut Faites vos jEUx me proporcionou acesso à area de negócios da Gamescom de 2015, onde fui parar no estande da Image & Form.

Linus Völkner and Image&Form Linus Völkner and Image&Form | © Image&Form Junto com seu colega Julius Guldbog, Brjánn apresentava o sucessor de SteamWorld Dig, SteamWorld Heist , que tive a oportunidade de testar em versão preliminar. No início um pouco hesitante, percebi que não ia mais fazer escavações no velho Oeste com Rusty, mas invadir espaçonaves e salvar o universo de uma catástrofe sem esquecer de coletar o maior número possível de chapéus, em companhia de Piper Faraday, a robô comandante de piratas espaciais.

Mas pude reconhecer também nesse jogo o amor aos detalhes e o estilo visual único que me agradou tanto em SteamWorld Dig. Piper e sua tripulação também são movidos a vapor e Julius deu a entender que Rusty e Piper vivem no mesmo universo e, num jogo futuro, talvez fiquemos sabendo como seus destinos se conectam.

Quando nos despedimos, Julius me deu seu cartão de visitas e mais alguns brindes do SteamWorld. Depois do encerramento da Gamescom, tendo assinado a conta de Julius, Brjánn e da Image & Form no Twitter e lendo avidamente seus tweets, é que ficou claro para mim que SteamWorld ainda tinha uma outra particularidade.

A COMUNIDADE ESTÁ SEMPRE PRESENTE

Durante o desenvolvimento de SteamWorld Heist, a comunidade do Twitter foi permanentemente incluída. Quase que diariamente eram postadas informações, capturas de tela ou desenhos da concepção de SteamWorld. As perguntas dos fãs eram respondidas sempre no mesmo dia. E havia o que se chamava de SteamWorld Ambassador Challenges: os fãs foram incluídos ativamente no processo criativo do desenvolvimento do jogo, podendo determinar, por exemplo, os nomes dos bares espaciais e até desenhar chapéus, armas e objetos cotidianos que apareciam no jogo. As melhores contribuições eram sempre integradas no jogo e os respectivos emissários, nomeados SteamWorld Ambassadors (embaixadores). Com isso, obtinham acesso a ainda mais informações preliminares sobre o jogo, assim como exemplares gratuitos de todos os jogos SteamWorld, que também podiam distribuir a seus amigos.

A CONCEPÇÃO FUNCIONA

Steamworld Heist é, portanto, um projeto comunitário de verdade. Qualquer pessoa pode contribuir e se sente assim parte do jogo. Segundo os críticos, o modelo funciona bem: SteamWorld Heist recebeu e recebe constantemente feedbacks positivos e liderou em 2015 a lista de melhores jogos New 3DS, à frente de Monster Hunter e Xenoblade, ambas marcas reconhecidas com comunidades de fãs pelo mundo inteiro.