Acesso rápido:

Ir diretamente ao contéudo (Alt 1)Ir diretamente à navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente à navegação principal (Alt 2)

Sem pista oeste

Keine Startbahn West – Eine Region wehrt sich © Frankfurter Filmwerkstatt Arbeitsgemeinschaft HE, Film Arbeitsgemeinschaft Volksbegehren Keine Startbahn West
Idioma: alemão
Legenda: inglês
Gênero: documental
País: Alemanha
Ano: 1982
Direção: Wolfgang Schneider, Thomas Frickel, Regine Heuser, Gunter Oehme, Rolf Silber, Michael Smeaton
Produção: Frankfurter Filmwerkstatt Arbeitsgemeinschaft HE-Film Arbeitsgemeinschaft Volksbegehren "Keine Startbahn West"
Duração: 115 minutos
Clasificação: 18+

______________________________

Na República Federal da Alemanha, os anos 1970 foram marcados por movimentos de protesto contra a energia nuclear, rearmamento e grandes projetos de industrialização, e em favor da paz, igualdade e conceitos de vida alternativa. Após protestos bem-sucedidos contra a construção da usina nuclear Wyhl, no sul de Baden, e contra a instalação de armazenamento de resíduos nucleares de Gorleben, outros protestos contra grandes projetos se seguiram, como a expansão do aeroporto de Frankfurt.

Nenhuma pista oeste: uma região se rebela (1982) surgiu de um grupo de autores da associação de documentaristas de Hessen (AG HE-Film) e da Frankfurt Film Workshop (Frankfurter Filmwerkstatt), formada por Thomas Frickel, Regine Hauser, Gunther Oehme, Wolfgang Schneider, Rolf Silber e Michael Smeaton. O filme registra a cronologia do protesto civil e usa vários formatos de estilo, desde a inclusão de escritos à animação. O que importava para o coletivo eram os aspectos artísticos do protesto. Assim, o filme começa com uma canção de protesto de um cantor e compositor em um teatro vazio. Esta foto é contrastada com imagens de edifícios altos e instalações industriais de Frankfurt. Mais tarde, imagens idílicas da floresta serão contrastadas com as dos canteiros de obras perturbadoras. As entrevistas com ativistas, pilotos e médicos hoje são talvez um tanto convencionais, especialmente porque quase não foram editadas e costumam ser relativamente longas. O comentário é muito contundente: "A pista oeste é o asfalto da loucura". Um aspecto importante são os shows de solidariedade com músicos e bandas como Inga Rumpf, Udo Lindenberg, Bots e outros artistas, elemento que dá forma ao filme.

É amplamente discutido quando os cidadãos devem se opor aos planos da indústria e da política e por que meios devem fazê-lo. Porque além dos protestos pacíficos com mais de 100.000 participantes, houve confrontos muito violentos com a polícia, que teve que garantir a continuidade das obras. Por fim, apesar de toda a rejeição e oposição dos cidadãos, foi concluída a construção da nova pista do aeroporto.

Assistir ao filme agora
Top