Inspirador Inspirador 1.3

Inspirador 1.3

Guia de sustentabilidade em gestão cultural, o Inspirador 1.3 continua mapeando iniciativas que servem como modelos para práticas criativas, inclusivas e sustentáveis, atualmente disponível em três idiomas: 

O Inspirador foi produzido no contexto de oficinas em diversas cidades brasileiras, durante as quais os participantes foram encorajados a pensar sobre novas aplicações e métodos do guia. A cada oficina e com o trabalho de cada grupo, foram surgindo novas e diversas ideias que refletem a função do Inspirador: ele é um apelo à fantasia e à criatividade de gestoras e gestores culturais. Com licença cc para compartilhamento, ele oferece a possibilidade de que sejam criados infinitos outros novos Inspiradores. Os gestores culturais podem, com ele, elaborar novas iniciativas, a fim de se tornarem exemplares para uma prática de gestão cultural criativa, inclusiva e sustentável.

 



Sustentabilidade e gestão cultural

O Inspirador fomenta a sustentabilidade não apenas no sentido de uma conservação da natureza e do meio ambiente, mas também com relação a condições de trabalho ou ao espaço urbano. O conceito de sustentabilidade é muito amplo e inclui também formas colaborativas e justas de trabalho. Além disso, como o próprio nome indica, o guia deverá servir para “inspirar”. Ao respeitar e promover peculiaridades locais, foram sendo incluídos, a cada versão idiomática, novos exemplos coletados na prática da gestão cultural que refletem as realidades nos respectivos países e regiões.


Sobre o Insipirador

A ideia para o Inspirador surgiu no contexto de um Festival de Sustentabilidade na Arte, que foi organizado pelo Goethe-Institut. A meta era preparar as experiências coletadas ali para torná-las acessíveis a outros coletivos de artistas, a artistas individualmente e a gestores culturais em outras cidades, regiões ou países do mundo. Desta forma, o Inspirador se insere num princípio básico do Goethe-Institut:  ver a gestão cultural como um processo em rede, que conecta gestores culturais de todo o mundo e incentiva o intercâmbio de ideias no âmbito de projetos locais.

No ano de 2015, surgiu a primeira versão do guia em português, intitulado Inspirador: dá para fazer produção cultural de outro jeito, cujas questões centrais eram: Como gestoras e gestores culturais tomam decisões acerca de atividades que não têm por fim apenas o sucesso do evento, mas pretendem servir de exemplo de conduta frente ao mundo? Qua tipo de influência uma conduta de proteção aos recursos na gestão cultural exerce sobre a sustentabilidade e o meio ambiente?

Dois anos mais tarde, o Inspirador foi também publicado em inglês. O Inspirador 1.2: International guidelines for sustainable cultural management enumera estratégias e ferramentas de produção cultural, contendo 48 exemplos a serem imitados que vão desde um cronograma de trabalho justo até a comunicação com o público.

A terceira versão do guia encontra-se disponível em alemão desde 2018. No Inspirador 1.3: Internationaler Leitfaden für ein nachhaltiges Kulturmanagement, encontram-se antigas e novas estratégias e ferramentas de gestão cultural econômica. O guia concentra-se em iniciativas dentro da Alemanha, como por exemplo o Café Botanico, responsável pelo plantio de aproximadamente 200 tipos de plantas para consumo próprio; ou o Leaf Republic, uma empresa que fabrica pratos e talheres biodegradáveis que se decompõem em 28 dias.