Jogos do Sul Rio 2016+1: Onde estamos e para onde vamos?

Rio de Janeiro 2016+1
Goethe-Institut Brasilien

No dia 4 de agosto, especialistas de diversas áreas do conhecimento, ativistas e representantes do governo se encontram para um debate mais profundo sobre o legado da Rio 2016. Agora, com um ano de distanciamento crítico, surge a oportunidade de analisar as perspectivas futuras para um desenvolvimento sustentável.

A ação marca a parceria firmada entre o Centro Carioca de Design/Instituto Rio Patrimônio da Humanidade/Prefeitura do Rio, Goethe-Institut Rio de Janeiro, Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ), Ministério Federal da Alemanha para Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ) e ONGs brasileiras e alemãs.

O debate com convidados faz parte da segunda etapa do projeto Jogos do Sul, que, entre suas atividades, realizou a conferência internacional Mega <> Sustainability no Rio, na véspera da abertura da Rio 2016. Especialistas de diversos países deixaram recomendações para que megaeventos esportivos sejam mais sustentáveis no futuro, em termos dos seus impactos sobre a população, os espaços urbanos e o meio ambiente das cidades em que são realizados. 
 

  • Robin Mallick, diretor do Goethe-Institut Rio de Janeiro, abre o debate sobre legado dos Jogos Olímpicos do Rio, um ano após o megaevento. Foto: Aline Ourique / Goethe-Institut Rio de Janeiro
    Robin Mallick, diretor do Goethe-Institut Rio de Janeiro, abre o debate sobre legado dos Jogos Olímpicos do Rio, um ano após o megaevento.
  • A jornalista Flávia Oliveira media o encontro. Foto: Aline Ourique / Goethe-Institut Rio de Janeiro
    A jornalista Flávia Oliveira media o encontro.
  • Entre os convidados, William de Oliveira compartilha sua experiência à frente da REMS, lidando com o esporte como ferramenta para a transformação social. Foto: Aline Ourique / Goethe-Institut Rio de Janeiro
    Entre os convidados, William de Oliveira compartilha sua experiência à frente da REMS, lidando com o esporte como ferramenta para a transformação social.
  • A disposição circular das cadeiras busca estimular a participação de todos. Foto: Aline Ourique / Goethe-Institut Rio de Janeiro
    A disposição circular das cadeiras busca estimular a participação de todos.
  • Renato Cymbalista, arquiteto e urbanista da Universidade de São Paulo, apresenta o olhar de quem assiste as transformações “de fora” da cidade. Foto: Aline Ourique / Goethe-Institut Rio de Janeiro
    Renato Cymbalista, arquiteto e urbanista da Universidade de São Paulo, apresenta o olhar de quem assiste as transformações “de fora” da cidade.
  • Cerca de 50 pessoas marcam presença no evento. Foto: Aline Ourique / Goethe-Institut Rio de Janeiro
    Cerca de 50 pessoas marcam presença no evento.