Tramas Democráticas
reimaginando futuros para a sociedade civil digital

​Tramas Democráticas é um programa de intercâmbio entre iniciativas da sociedade civil sul-americana e alemã que trabalham no campo da democracia digital. É um espaço criado para estimular a aprendizagem coletiva, articular capacidades e imaginar futuros.

Esse programa surge como uma tentativa de abordar a crise democrática a partir de espaços de trocas na escala regional e global. Segundo o Latinobarômetro, em 2020 mais de 80% da população dos países sul-americanos  está insatisfeita com o funcionamento da democracia no seu país. Para piorar a situação, grupos anti-democráticos têm mobilizado com efetividade a opinião pública, ganhando espaço na política institucional e contribuindo para a deterioração das instituições.
 
Ao mesmo tempo em que isso ocorre, emergem diversos experimentos que desenvolvem inovações em práticas e tecnologias para defender e ampliar a democracia na região. Essas inovações estão sobretudo em governos, instituições de pesquisa, ONGs e comunidades. De acordo com levantamento feito pelo projeto LATINNO, do Centro de Ciências Sociais de Berlim (WZB), foram criadas mais de 1635 iniciativas sul-americanas de 1990 até 2020, sendo cerca de 40% delas realizadas por organizações da sociedade civil.
 
Para lidar com esse cenários, nada melhor que uma trama, a partir da qual vão sendo tecidas novas conexões, capazes de se articular contra ameaças à democracia. Sem deixar de lado a seriedade do momento em que vivemos, o programa busca reunir integrantes da sociedade civil em workshops para desenvolver nossas capacidades de refletir e imaginar.
 
O primeiro workshop será sobre estupidez coletiva e irá reunir ativistas e pesquisadores para explorar como o que tem sido feito por suas organizações tem contribuído com esse tema e o que pode ser feito no nível regional.
 
O programa começa no dia 14 de julho de 2020 com um workshop que irá reunir ativistas e pesquisadores da Argentina, do Brasil, da Colômbia e da Venezuela.  Ao longo do segundo semestre serão realizados workshops e painéis com iniciativas convidadas da América do Sul e da Alemanha, além de um evento aberto ao público no final do ano. Todas as atividades serão online.