Conquistas pioneiras em mobilidade
Que visões nos movem para o futuro?

Um banco elevado em um cruzamento movimentado convida a uma mudança de perspetiva.
Um banco elevado em um cruzamento movimentado convida a uma mudança de perspetiva. | Foto (detalhe): © Identitätsstiftung GmbH 

No início era a megalomania – em todas as conquistas pioneiras da mobilidade. De Fernão de Magalhães a Bertha Benz, de Charles Lindbergh a Iuri Gagarin. Todos eles se atiraram ao desconhecido, ao risco, às suas visões. Foram ridicularizados ou admirados, mas encontraram novos mundos, novos caminhos e novas formas de movimento. Com isso, eles tornaram a Terra mais compreensível – e também um pouco menor.

As primeiras viagens pioneiras tinham como objetivo dar a volta ao mundo ou bater recordes de velocidade. Charles Lindbergh sobrevoou o Atlântico sozinho e sem fazer escalas, Bertha Benz arriscou a primeira viagem de longa distância. Tal como outras pessoas antes e depois, também eles abriram caminhos para o desenvolvimento de novas tecnologias e possibilidades de locomoção. Mas que tipo de conquistas pioneiras em mobilidade o século 21 necessita? Hoje o mundo está organizado como um pacote turístico com tudo incluso. Atingimos um ponto onde não faltam inovações técnicas, mas onde o verdadeiro ponto cego do nosso mapa de viagem parece ser a maneira como lidamos com a mobilidade e a compreensão desta..

Nossos debates acerca da mobilidade urbana e rural necessitam sobretudo de uma coisa: uma mudança de perspectiva sobre o tema. Afinal, a liberdade de movimento começa na cabeça. Na Alemanha, uma vaga de estacionamento normal tem quase doze metros quadrados, mas um quarto de criança frequentemente não chega a ter nem dez metros quadrados. Portanto, não é sempre uma questão de tecnologia, mas de priorização, que deveríamos nos perguntar primeiro no debate. O que desejamos para o espaço que nos envolve? Como o utilizamos? Que as necessidades sociais são possivelmente mais importantes do que um novo estacionamento? Queremos estimular esse debate, torná-lo público e aumentar a conscientização.

INOVAÇÃO ATRAVÉS DE INTERVENÇÃO

Muitas vezes o tema da comunicação acaba por ficar simbolicamente pelo caminho. Claro que os novos conceitos de mobilidade necessitam de uma discussão sobre o planejamento urbano e a viabilidade técnica. Mas antes de tudo, trata-se também de inovação social, que só pode ser intermediada através da comunicação. Se quisermos uma mudança de mentalidade, não basta a proporcionar mais conforto para uma reserva de car sharing. Temos que criar visões positivas que nos motivem a mudar nosso comportamento. Conceitos de comunicação não são como um laço, que se aperta à volta do debate no final. Não se pretende mais uma campanha publicitária de cartazes na autoestrada, mas uma verdadeira intervenção e uma verdadeira discussão. São estes os fundamentos para uma mudança de perspectiva. De outra forma, as pessoas voltam a ir de carro particular para o trabalho e os centros das cidades continuam a ser espaços barulhentos, perigosos e sem movimento. E as bicicletas continuam a ser apenas um divertimento de fim de semana para a maioria das pessoas. Visões deveriam ter outras qualidades. Mais verdes, mais tranquilas, mais livres, mais sociais e mais sustentáveis.


Em um laboratório de ideias, que resultou de um concurso público de responsabilidade do Centro de Cultura e Competência do Governo Federal da Alemanha, nós, da Identitätsstiftung, ousamos encenar essas utopias de mobilidade. Não procuramos o futuro da mobilidade na e-mobility ou na direção autônoma de veículos. Mas por trás disso. Fizemos viagens pioneiras, que também foram zombadas ou admiradas. No entanto, elas abriram a cabeça para movimentos que até há pouco pareciam absurdos

Enviamos um “mobilauto”, um a pessoa para uma viagem educativa sobre mobilidade através da Alemanha, para que saísse de sua própria bolha de filtros. Colocamos um assento alto em um cruzamento muito movimentado e convidamos os transeuntes a mudar sua perspectiva. Também criamos uma bicicleta que faz tanti barulho quanto um carro. Através destas ideias, demos vida a números e factos. No entanto, não são eles que provocam uma mudança de comportamento. Não é a razão, mas sim a força da imaginação o que nos leva a agir de uma forma diferente, que nos estimula, que torna vivas e desejáveis as nossas visões.
  • AudioSit: um banco elevado em um cruzamento muito movimentado, um posto de observação sobre a rua, uma mudança controlada de perspectiva. Foto (detalhe): © (c) Identitätsstiftung GmbH 

    AudioSit: um banco elevado em um cruzamento muito movimentado, um posto de observação sobre a rua, uma mudança controlada de perspectiva.

  • AudioSit. Uma viagem pioneira para uma mudança de perspectiva. Como é um cruzamento a partir de uma outra perspectiva? Foto (detalhe): © (c) Identitätsstiftung GmbH 

    AudioSit. Uma viagem pioneira para uma mudança de perspectiva. Como é um cruzamento a partir de uma outra perspectiva?

NOVAS FORMAS DE TRANSMITIR A MOBILIDADE

O que nos fez pensar através das nossas experiências, encenações e intervenções pode ser condensado em uma ideia central. O que precisamos é de uma forma e um programa completamente novos de mediação de mobilidade e treinamento na Alemanha. Não é a carteira de motorista o que nos capacita para uma participação em uma vida de mobilidade. Mas uma atitude consciente em relação a todas as formas de mobilidade. Nossa ideia é de que a mobilidade urbana e rural irá se transformar no futuro e, com ela, também os desafios para os participantes do trânsito. A carteira de motorista para automóveis será uma relíquia de tempos passados. No futuro, haverá um passe para “mobilautos”, que todas as pessoas receberão pela primeira vez aos doze anos, após uma introdução. O passe não teria custos, mas, o mais tardar após quatro anos, a renovação seria obrigatória. Ele abrangeria temas como Ética, Sociedade e Sustentabilidade, assim como a utilização concreta de diversas formas de mobilidade, além de uma viagem educativa para jovens. Pois nós nos movimentamos em uma área dinâmica que está em constante desenvolvimento - e só pode ser vivida no debate contínuo.
 

Identitätsstiftung GmbH

A Identitätsstiftung atua no ponto de interseção entre design de comunicação, ciências da cultura, tecnologia, consultoria, arte e filosofia. A empresa de Hannover e Berlim dá consultoria e acompanhamento a organizações em transformação e articula sistemas de comunicação e processos. Urbanismo, participação, saúde, mobilidade e novas ocupações são seus focos centrais.

Top