Blog da Berlinale 2021
Filme romeno leva o Urso de Ouro na Berlinale

Bad Luck Banging or Loony Porn, Romênia/Luxemburgo/Croácia/República Tcheca, 2021. Direção: Radu Jude. *Na foto: Paul Dunca / Paula Dunker, Nicoleta Lefter, Nicodim Ungureanu, Ana Ciontea, Petra Nesvačilová*. Berlinale, Mostra Competitiva 2021.
Bad Luck Banging or Loony Porn, Romênia/Luxemburgo/Croácia/República Tcheca, 2021. Direção: Radu Jude. *Na foto: Paul Dunca / Paula Dunker, Nicoleta Lefter, Nicodim Ungureanu, Ana Ciontea, Petra Nesvačilová*. Berlinale, Mostra Competitiva 2021. | ©️ Silviu Ghetie / Micro Film 2021

​“Bad Luck Banging or Loony Porn”, do diretor romeno Radu Jude, ganha o Urso de Ouro em Berlim. Tendo Bucareste como cenário, o filme aborda o distanciamento e a intimidade em tempos de pandemia.

A escolha do júri da Berlinale aponta para as contradições dos tempos atuais. Uma professora de história e o marido registram com o celular uma transa. É uma cena caseira, um pornô não profissional, que acaba indo parar na internet, em um site para adultos, e de lá nas redes sociais. Tudo isso em uma Bucareste vivendo a pandemia atual, com pessoas andando pelas ruas com máscaras e tentando manter o distanciamento social. Distanciamento e intimidade são em si um paradoxo – quando confrontados com moralismos arcaicos tão em voga atualmente e com um anti-intelectualismo exacerbado, o circo está montado.

Dividido em três atos, o filme de Radu Jude provoca não apenas no conteúdo: a estrutura fragmentada também confronta a própria linguagem cinematográfica e o que se espera de um longa-metragem. O segundo ato, por exemplo, é um glossário composto de diversas palavras que acabam por contar, entre outras coisas, o passado ditatorial da Romênia. “É um filme tão elaborado quanto selvagem, esperto e infantil, geométrico e vibrante, impreciso nos melhores termos. Ele ataca o espectador, evoca desacordo, mas não deixa ninguém em uma distância segura”, justificou o júri durante a cerimônia de premiação.

Ich bin dein Mensch | I’m Your Man. Alemanha 2021. Direção: Maria Schrader. Na foto: Maren Eggert, Dan Stevens, Berlinale Mostra Competitiva 2021. 
Ich bin dein Mensch | I’m Your Man. Alemanha 2021. Direção: Maria Schrader. Na foto: Maren Eggert, Dan Stevens, Berlinale Mostra Competitiva 2021.  | © Christine Fenzl

Futuro distópico

Se o sexo entre humanos pode incomodar, o que dizer de um casamento entre uma humana e um robô humanoide? No papel de uma pesquisadora de arte antiga, que precisa escrever um relatório de ética sobre o relacionamento entre humanos e robôs, a fim de poder receber um financiamento para sua própria pesquisa que nada tem a ver com o tema futurista, Maren Eggert recebeu o Urso de Prata de Melhor Performance por sua atuação em Ich bin dein Mensch (I’m Your Man). Com tiradas sarcásticas e momentos tocantes, o filme trata não apenas de um futuro distópico, mas coloca em foco a solidão da vida contemporânea em uma grande cidade que neste caso é Berlim.

Outro destaque foi o Prêmio de Contribuição Artística Excepcional para a montagem do mexicano Una película de policías. Dirigido por Alonso Ruizpalacios, o filme borra os limites entre documentário e ficção para apresentar um olhar sobre a polícia mexicana. No verão, se a pandemia estiver controlada, o público poderá conferir todos os filmes do festival nos cinemas ao ar livre de Berlim. Por enquanto, seguimos com a realidade mediada pelas telas dos computadores.

Confira a premiação completa no site da Berlinale

Top