Conferência traz descobertas de dois anos de intercâmbios

Temas em debate

Equipes do Museu Nacional/UFRJ e de museus internacionais vêm realizando encontros virtuais desde 2020. Os resultados dos debates serão apresentados em evento no Rio

Em janeiro deste ano, Antonio Bispo dos Santos, lavrador e morador do Quilombo Saco-Curtame, encontrou a artista e pesquisadora Mabe Bethônico. Durante um evento on-line, sob mediação da museóloga do Museu Nacional/UFRJ Thais Mayumi, os dois protagonizaram um rico debate sobre o papel dos museus e as possíveis novas relações traçadas a partir desta perspectiva. Assim foi realizado o workshop "Das Museum sem nenhum caráter", em referência ao clássico romance "Macunaíma", de Mário de Andrade.

"Como nós podemos colocar luz em novas coleções e como as linguagens podem estar em contato para que o museu seja entendido como um lugar que conecta um lugar ao outro?", questionou o pesquisador alemão Michael Dieminger ao introduzir o conceito no início do workshop virtual. 

Este foi um dos encontros de uma série dele que vêm sendo realizados num intercâmbio intenso e que está colaborando na reconstrução do Museu Nacional para além do restauro do palácio, destruído pelo incêndio de 2018. Desde o fim de 2020, especialistas de museus internacionais, em especial da Alemanha, vêm se reunindo de forma virtual com as equipes do Museu Nacional/UFRJ. 

Com uma abrangente gama de assuntos, as linhas de estudos compartilhados deram origem a workshops e encontros, facilitados pelo Goethe-Institut, que atua na organização dos encontros e no apoio técnico. As descobertas que frutificaram ao longo desses encontros são o Norte para os temas a serem tratados na Conferência de Museus Rio de Janeiro 2022, que acontece nos dias 3 a 4 de junho no Rio de Janeiro e em ambiente virtual.

A redução de barreiras dentro dos museus, as novas tecnologias, as referências para o futuro e o acesso das instituições a diferentes pessoas foram alguns dos assuntos debatidos pelas diferentes equipes de vários museus. Também foram discutidos outros temas mais técnicos, como o processo de aquisição de coleções, sua digitalização e até mesmo métodos de taxidermia - reprodução de animais para exibição ou estudo.

A Conferência de Museus Rio de Janeiro 2022 contará com a presença de profissionais que atuam em equipamentos da América Latina e da Europa e promete desenvolver conceitos que preparem os museus de História Nacional e de Etnologia para os desafios colocados hoje. Em formato híbrido e participativo, o evento trará os resultados dos encontros, mas também estimulará que todos os participantes compartilhem suas experiências em torno dos temas abordados, construindo um espaço de troca de conhecimentos que poderão ser aplicados.
 

Top