Rio de Janeiro
O que você sonha para o Museu Nacional?

Um espaço ainda mais aberto para a comunidade, integrado ao cotidiano da população carioca e em diálogo com outros patrimônios históricos do bairro de São Cristóvão. Estes são os conceitos que norteiam o projeto de arquitetura e restauro do Museu Nacional/UFRJ, neste momento de reconstrução. Mas o que o público sonha para este lugar de tamanha importância para o nosso país? 

Acreditando que o aprendizado também acontece a partir da troca de experiências e ideias, o Goethe-Institut Rio de Janeiro lançou uma ação cultural baseada nesta premissa, convidando as pessoas a compartilharem suas inspirações através das redes sociais, usando a #MeuMuseuNacional.

Eixo 1: O que você gostaria que as futuras gerações vissem no Museu Nacional?

A importância da ciência em nossas vidas

Museu de História Natural e Antropologia, o Museu Nacional/UFRJ deseja, em suas novas exposições, aproximar a ciência do seu público. Além de revelar como as pesquisas científicas são produzidas no Museu, o intuito é levar o público a pensar na importância da ciência e em como ela está presente em diversos momentos do nosso dia a dia. Destaca-se que o Museu Nacional/UFRJ é o primeiro museu e casa de ciência do Brasil.

Painel da mostra
  • Colagem gráfica de Cirlene Aparecida Nicolau

    Colagem gráfica de Cirlene Aparecida Nicolau.

    "Pensei em algo que expressasse o momento em que estamos vivendo de uma forma esperançosa. Temos na vacina, a nossa esperança de um futuro melhor para o mundo."

  • Pintura de Lucia Lopes Meneghini

    Pintura de Lucia Lopes Meneguini.

    "Hoje, mais do que nunca, o fazer voltado para o conhecimento científico e natural são essenciais à preservação da humanidade, visto que a história dos extermínios se repete deixando marcas."

    Natureza Morta
    Pintura, base acrílica e pigmento sobre tela

  • Foto de Lucia Lopes Meneghini

    Foto de Lucia Lopes Meneghini

    "Hoje, mais do que nunca, o fazer voltado para o conhecimento científico e natural são essenciais à preservação da humanidade, visto que a história dos extermínios se repete deixando marcas."

    Crânio Tupi - Der Tupi-Schädel
    Série de fotografias (tríptico)

  • Poesia de Vera Lucia

    Poesia de Vera Lucia

    "A ideia de pensar uma poesia sobre a ciência e Museu foi desafiadora e pensei em desistir. Mas porque não gritar minha felicidade com nosso Museu restaurado e ressignificado?"

  • Desenho de Rafaella Tuma

    Desenho de Rafaella Tuma

    "Um desejo para o Museu Nacional é mostrar como a sua arte e o seu pensamento pode ajudar nesse processo criativo da reconstrução de um museu mais plural e que acompanhe a velocidade das informações e pesquisas."

    Título: Na imensidão da comunicação
    Técnicas: desenho tradicional a lapis + finalização em pintura digital

  • Pintura de D. Akokán

    Pintura de D. Akokán

    "Como uma árvore forte, que sempre produziu e disseminou bons frutos nas áreas de ciências naturais e antropológicas, esta instituição, de excelência, ressurge das cinzas, depois de um incêndio devastador para continuar a oferecer às futuras gerações um espaço para a difusão da ciência e da cultura."

    Título: Árvore do Conhecimento
    Técnica: Ecoline e aquarela sobre Canson 300g

  • Poesia de Regiane Silva

    Poesia de Regiane Silva

    "Um espaço onde pessoas de todas as idades podem dialogar sobre antropologia e história natural de forma prazerosa. Um museu emissor de enunciados que podem ser compreendidos pelos visitantes, independente de seu nível de conhecimento."

  • Produção gráfica de Laís Figueiró Anami

    Produção gráfica de Laís Figueiró Anami

  • Foto de Rafael Mansera

    Foto de Rafael Mansera

    "A mensagem que eu queria passar para as futuras gerações é que o incêndio não foi capaz de destruir a paixão e o encanto que esse museu exerce sobre nós cariocas e também a todos os brasileiros."

    Fotografia tirada em Agosto de 2014

  • Poesia de Amanda Vargas

    Poesia de Amanda Vargas

    "Quis retratá-lo não apenas como centro de disseminação de conhecimento científico, mas como um local onde é possível descobrir o fascínio por um mundo encantador em sua diversidade. Uma ciência guiada por afetos, portanto humanizada, voltada à comunidade que integra."

  • Pintura e desenho de Hô Monteiro

    Pintura e desenho de Hô Monteiro

    "A pintura expressa o desejo de que as futuras gerações possam visitar e aproveitar novamente o Museu Nacional como era na sua glória!"

    Título: Museu Nacional/RJ- fev. 2018.
    Técnica: Pintura e desenho sobre cartão.

  • Poesia de Creuza Gravina

    Poesia de Creuza Gravina

    "O poema retrata a sensação de perda que senti ao ver o fogo tomar conta de grande símbolo do conhecimento."

  • Foto de Creuza Gravina

    Foto de Creuza Gravina

    "O museu foi sendo deixado de lado pelo público e autoridades, o que espero é que ele volte a ser reconhecido como foi um dia."

  • Ilustração gráfica de Bruno.sketch

    Ilustração gráfica de Bruno.sketch

    "Gostaria muito que as futuras gerações vissem no Museu Nacional temas sobre astronomia, não esquecendo da importância do planeta Terra. É fundamental, para crianças e adolescentes, compreender como aproveitar seus recursos de forma inteligente e sustentável."

EIXO 2: Qual o papel do Museu Nacional na construção de um mundo plural?

O que nos une e o que nos diferencia socialmente

O Museu Nacional/UFRJ, em suas novas exposições, espera provocar no público a reflexão sobre a sociodiversidade humana, estimulando sempre o respeito às diferenças. Entre os assuntos a serem tratados estão: o que nos faz humanos; a gigantesca diversidade cultural do Brasil; culturas de diferentes partes do mundo; o estudo das culturas e sociedades humanas.

EIXO 2: Qual o papel do Museu Nacional na construção de um mundo plural?
  • Poesia de Clara Elaine

    Poesia de Clara Elaine

    "... as múltiplas formas de expressão contribuem para difundir nossa diversidade, esta deve ser entendida como sendo parte deste mundo plural, que deve valorizar as diferenças e oportunizar a acessibilidade."

    Poesia grafada em uma tela de design gráfico

  • Pintura de Alessandra Muzitano

    Pintura de Alessandra Muzitano

    "(...)abordo as típicas brincadeiras brasileiras, ciranda cirandinha e cabra cega, e faço relação sobre como essas brincadeiras têm nomes e significados diferentes em outros lugares do mundo"

    Título: Dança II brasileira.
    Acrílica e colagem sobre cerâmica fria. 2021

  • Arte de Alessandra Muzitano

    Arte de Alessandra Muzitano

    "Nesse trabalho quis mostrar que as origens das palavras dependem da história e cultura de cada lugar."

    Sem título.
    Arame, colagem e tinta acrílica sobre cerâmica fria. 2021.

  • Desenho de Milena Celetti

    Desenho de Milena Celetti

    "Ainda hoje, principalmente em nosso país a descriminação com a comunidade LGBTQIA+ é absurda. Eu como artista mulher e lésbica, busco levar por meio de meus trabalhos as reflexões de gênero e sexualidade (...) em minha obra estão ilustrados símbolos para a comunidade que tiveram grande relevância histórica e de conquistas dos espaços sociais."

    Desenho feito a lápis, grafite HB, 2B, 4B e 6B, com a pintura em lápis de cor aquarelado em folha Renaud Branco 140g/m², tamanho A3.

  • Arte de Rita Caruzzo

    Arte de Rita Caruzzo

    "Arte e ciência como parte de uma estratégia pedagógica explícita para a educação científica e cultural da população brasileira e mundial que ainda não dispõe de uma politica eficaz destinada a inclusão social."

    Título: Alegria na Cidade
    Trabalho de 2018
    Acrílica, colagem sobre tela.

  • Arte de Bê Sancho

    Arte de Bê Sancho

    "Quantos meninos adolescentes e negros se encontram representados em grandes museus desse país? Como essa obra poderia fazer emergir sentidos de pertencimento para aqueles adolescentes tão marcados por uma estética da violência que tantas vezes configura a presença do Estado em suas comunidades?"

    Título: O menino do Pelô
    Óleo e fitas do senhor do bonfim sobre tela. Ano 2019

  • Pintura de Emanuelle Ferreira

    Pintura de Emanuelle Ferreira

    "A obra visa retratar o limite entre a semelhança e a diferença. A linha tênue onde deixamos de ser indivíduo e passamos a ser parte integrante de vários."

    Pintura feita em Aquarela s/ papel.

  • Arte de Gabriela Dias

    Arte de Gabriela Dias

  • Poesia de Lee Brasil

    Poesia de Lee Brasil

    "Um espaço atemporal e assíncrono, onde a diversidade esteja presente, convivendo respeitosamente. Onde não só o prédio esteja se reerguendo, mas também as pessoas, num movimento externo e interno, uma nova Renascença."

    Poesia em estilo livre

  • Arte de Rafaella Tuma

    Arte de Rafaella Tuma

    Título: Sinta-se bem
    Técnicas usadas: desenho tradicional a lapis + pintura digital

  • Arte de Patrícia Amato

    Arte de Patrícia Amato

  • Arte de Tássia da Silva Freitas

    Arte de Tássia da Silva Freitas

    "O colorido em "Museu Nacional" está nas cores da logo do projeto Museu Nacional Vive (...) Além de representar, por meio de destaque de palavras, o meu sonho para o museu que é dar vida e cor ao que foi tomado pelo fogo"

    Lettering feito à mão em papel 180g, combinando vários estilos de letras e alguns desenhos. Foram utilizadas: canetas brush pen, fine line 0.4, jumbo e gel; e lápis de cor aquarelável e caneta blender.

  • Poesia de Marcia Ribeiro Joviano

    Poesia de Marcia Ribeiro Joviano

  • May Agontinme

    May Agontinme

    "Na época os números de mortes [por Covid-19] subiam espantosamente e tive a sensação de que era difícil mensurar o que isso significava. Então decidi customizar em crochê uma máscara por dia, todos os dias como se cada uma delas simbolizasse uma dessas pessoas e sua individualidade"

    Fotografia parte da série "2.798" iniciada no dia 16/03/2021

  • Pintura de Leila Regina Ullmann

    Pintura de Leila Regina Ullmann

    "Jamais, no futuro se poderá esquecer que o índio já habitava nosso país quando ele supostamente foi descoberto (...) a tela mostra a consternação e o Museu não pode deixar de mostrar essa passagem importante de nossa história."

    Pintura em óleo sobre tela

  • Desenho de Gabriela Fernandes

    Desenho de Gabriela Fernandes

    "Um dos meus sonhos para a reestruturação do Museu Nacional é que ele possa nos lembrar de onde viemos e ressignifique a valorização indígena e a diversidade cultural brasileira."

    Desenho em releitura feito em lápis grafite

  • Fotografia de Nathalia Civetta

    Fotografia de Nathalia Civetta

    "A principal ferramenta de comunicação é a linguagem na sua diversidade, através dessa que vislumbramos nossa pluralidade em todas as suas camadas e possibilita-se o sentimento de identificação."

  • Colagem de Giulia Carvalhal Buratta

    Colagem de Giulia Carvalhal Buratta

    "Criada a partir do eixo que fala sobre a construção de um mundo plural. Somos diversos e merecemos respeito por igual."

  • Arte de Giovana Gomes

    Arte de Giovana Gomes

  • Fotografias de Maria Alfaro

    Fotografias de Maria Alfaro

    "Ao exibir um corpo e um gesto que condensam uma identidade andina, oferecemos ao público acesso privilegiado à pluralidade dos povos."

    Título: Giro
    Trata-se de série de fotos digitais, cujo fundo foi removido para dar ênfase ao movimento.

Eixo3: Como as futuras exposições do Museu Nacional podem nos ajudar a conhecer a vida na Terra?

Nossa geodiversidade e biodiversidade

As novas exposições do Museu Nacional/UFRJ não podem deixar de falar sobre a origem do Universo e da vida, o estudo da Terra e da biodiversidade pelas ciências e o debate sobre a importância da sua conservação. A ideia é que o público tenha contato com o acervo de História Natural para observar e interagir com a grande diversidade natural do nosso país e do nosso planeta.

Eixo3: Como as futuras exposições do Museu Nacional podem nos ajudar a conhecer a vida na Terra?
  • Montanhista Sul Mineiro

    Montanhista Sul Mineiro

  • Fotografia de Daniel Lima

    Fotografia de Daniel Lima

    "O mais importante da manifestação artística da natureza é que podemos mostrar, sem precisarmos violar ou mesmo atrapalhar a preservação do meio ambiente..."

  • Arte de Luiz Costa

    Arte de Luiz Costa

    "Nossas crianças, tendo contato com a ciência através do museu, podem entendê-la como algo surpreendente e, assim, podem levar esse interesse com elas ao longo da vida, repensando seu papel no nosso planeta."

    Arte Digital 3D

  • Desenho de Tarsila Costa

    Desenho de Tarsila Costa

    "Esse desenho apresenta um fragmento em cores do bioma brasileiro denominado Cerrado, qualitativamente a coloração ferrugem e avermelhada é uma tonalidade afetiva e expressiva do Cerrado."

    Título: Cerrado outonal Desenho feito em papel Canson em giz pastel oleoso, aquarela e tinta extraída da semente de Urucum. Dimensões 28 cm altura x 20 cm de largura.

  • Arte de Pablo Farias

    Arte de Pablo Farias

  • Arte de Odylo Falcão

    Arte de Odylo Falcão

  • Arte de Beatriz Neves

    Arte de Beatriz Neves

    "Eu sonho com um Museu Nacional reconstruído, por fora e por dentro, cheio de uma coleção biodiversa, cheio de cientistas fazendo pesquisa, cheio de professores compartilhando conhecimento e de alunos pensantes, cheio de crianças e visitantes curiosos."

    Ilustração Digital

  • Arte de Quelquecoisa

    Arte de Quelquecoisa

    "É também o museu em mim que se manifesta no arranjo de colagens que faço. E é por isso, inclusive, que posso dizer que sou um conjunto de coleções de mim mesma e que o patrimônio do Museu é muito maior do que aquilo que cabe dentro do seu prédio. Nós somos também coleções do Museu Nacional. Eu sonho que não nos esqueçamos disso."

    Coleções de mim, 2021
    Colagem sobre papelão A2

  • Arte de Rodrigo Vulcano

    Arte de Rodrigo Vulcano

    "O texto fala sobre a possível falta de água. Precisamos conhecer as formas de vida e ter contato com nossa história para tentar reverter isso."

    Título: “Quando viu, já foi”.
    Poemas em forma de placas como as usadas para identificar os nomes das ruas, feitas em PVC adesivado.

  • Fotografia de Dayane Pit Bull

    Fotografia de Dayane Pit Bull

  • Fotografia de Daniel Lima

    Fotografia de Daniel Lima

    "Meu trabalho fotográfico visa a conservação do meio ambiente. Retratar as belezas da Terra é relembrar, aos que veem, que o meio ambiente é um bem que precisa ser guardado, respeitado, preservado e admirado."

  • Arte de Ateliê de Xilogravura e Gravura em metal da UFMG

    Arte de Ateliê de Xilogravura e Gravura em metal da UFMG

Top