Museu Portátil

fundo azul com formas geométricas verdes, como identidade visual do projeto

Museu Portátil é um manual gratuito para instituições de arte e cultura denominadas GLAM (em inglês: galleries, libraries, archives and museums) digitalizarem e difundirem seus acervos de forma autônoma e com baixo custo.  

Sobre o projeto

O Projeto Museu Portátil – Edição de Bolso é uma parceria do Goethe-Institut São Paulo, Instituto Moreira Salles e Wiki Movimento Brasil e teve como resultado o desenvolvimento do Manual do Museu Portátil, além da capacitação de duas instituições culturais: a Santa Casa de Misericórdia da Bahia (Centro de Memória Jorge Calmon) e do Museu da Capitania de Ilhéus que aconteceu no fim de 2021. 

Ambas instituições, capacitadas pelo projeto num treinamento-piloto, possuem em seus acervos documentos e peças essenciais para a divulgação de informações sobre a diáspora africana e a escravidão no país, com destaque para os Livros do Banguê (Santa Casa da Bahia), registros de óbito de pessoas escravizadas para liberação dos corpos, enterrados posteriormente no Cemitério do Campo da Pólvora, em Salvador.  

O Goethe-Institut São Paulo convidou a curadora Carolina Matos para criar uma parceria com o Instituto Moreira Salles e o Wiki Movimento Brasil com o objetivo de promover de forma acessível e autônoma a prática da digitalização de dados de acervos como ação fundamental para a preservação da memória histórica e cultural de diferentes. 

Assim, a partir da compra de equipamentos razoavelmente acessíveis e da capacitação que resultou em instruções detalhadas para o manual, qualquer instituição brasileira de arte e cultura e de qualquer porte pode disponibilizar seu acervo para o público, descentralizando a produção de conteúdo e a difusão de dados na internet através das plataformas Wiki.  

Museu Portátil Manual

Baixe o manual

Manual prático para a digitalização de acervos para difusão digital livre e com equipamentos acessíveis, com indicação de kits de equipamentos para acervos bidimensionais e tridimensionais.

Pilares do projeto

fundo amarelo com formas geométricas azuis , como identidade visual do projeto

Digitalização

Digitalização com telefones celulares de conjuntos memoriais em acervos e coleções GLAM no Brasil para difusão digital.


fundo amarelo com formas geométricas azuis, como identidade visual do projeto

Equipes

Capacitação de equipes com a sistematização das etapas de digitalização, licenciamento e carregamento.


fundo amarelo com formas geométricas marrom, como identidade visual do projeto

Capacitação

Capacitação tecnológica com disponibilização de equipamentos para a digitalização 2D e 3D de pequeno porte.


fundo amarelo com formas geométricas brancas, como identidade visual do projeto

Difusão

Difusão dos arquivos digitais de forma aberta e acessível em plataforma online.


Capacitação em Salvador

As equipes envolvidas juntaram competências e saberes para promover a capacitação para a digitalização de acervos para sua difusão digital com equipamentos acessíveis e licenciamento livre.

  • Demonstração do sistema para captura de imagens de objetos 3D para sua difusão digital durante capacitação do projeto Museu Portátil - Edição de Bolso, em Salvador. 2021. © Thaissa Lamha

    Demonstração do sistema para captura de imagens de objetos 3D para sua difusão digital durante capacitação do projeto Museu Portátil - Edição de Bolso, em Salvador. 2021.

  •  Demonstração do sistema para captura de imagens de objetos 3D para sua difusão digital durante capacitação do projeto Museu Portátil - Edição de Bolso, em Salvador, 2021. © Thaissa Lamha

    Demonstração do sistema para captura de imagens de objetos 3D para sua difusão digital durante capacitação do projeto Museu Portátil - Edição de Bolso, em Salvador. 2021.

  • Detalhe do processo de digitalização utilizando smarthphone e caixa de luz. Acervo do Museu da Capitania de Ilhéus. Dezembro de 2021. © Adriane Batata / Wiki Movimento Brasil

    Detalhe do processo de digitalização utilizando smarthphone e caixa de luz. Acervo do Museu da Capitania de Ilhéus. Dezembro de 2021.

  • Rosana de Souza (Santa Casa da Bahia), Diana Souza (Santa Casa da Bahia),  Thaissa Lamha (produtora Museu Portátil) Adriane Batata (Wiki Movimento Brasil – Wiki Loves Bahia) e Wallace Amaral (Instituto Moreira Salles) © Mario Curvelo / Santa Casa da Bahia

    Rosana de Souza (Santa Casa da Bahia), Diana Souza (Santa Casa da Bahia), Thaissa Lamha (produtora Museu Portátil) Adriane Batata (Wiki Movimento Brasil – Wiki Loves Bahia) e Wallace Amaral (Instituto Moreira Salles)

  • Moeda de 200 réis que faz parte do acervo do Museu da Capitania de Ilhéus. Adriane Batata / Wiki Movimento Brasil

    Moeda de 200 réis que faz parte do acervo do Museu da Capitania de Ilhéus.

  • Preparação da estação de trabalho para a digitalização dos Livros do Banguê no Centro de Memória Jorge Calmon da Santa Casa da Bahia. © Adriane Batata / Wiki Movimento Brasil

    Preparação da estação de trabalho para a digitalização dos Livros do Banguê no Centro de Memória Jorge Calmon da Santa Casa da Bahia.

  • Digitalização de objetos bidimensionais com uso de celular e ring ligths © Adriane Batata / Wiki Movimento Brasil

    Digitalização de objetos bidimensionais com uso de celular e ring ligths

  • Wallace Amaral, do Núcleo Digital do Instituto Moreira Salles, prepara a estação de digitalização para objetos tridimensionais para capacitar a equipe do Museu da Capitania de Ilhéus. © Adriane Batata / Wiki Movimento Brasil

    Wallace Amaral, do Núcleo Digital do Instituto Moreira Salles, prepara a estação de digitalização para objetos tridimensionais para capacitar a equipe do Museu da Capitania de Ilhéus.

  • Réplica de algema horizontal, instrumento utilizado na tortura de pessoas escravizadas. Item do Museu da Capitania de Ilhéus. 2022 © Adriane Batata / Wiki Movimento Brasil

    Réplica de algema horizontal, instrumento utilizado na tortura de pessoas escravizadas. Item do Museu da Capitania de Ilhéus. 2022

  • O Livro 6º do Banguê, nº 1261, registra o transporte de escravizados e indigentes falecidos entre os anos de 1764 e 1772, pertencente a Santa Casa de Misericórdia da Bahia. © Diana Santos Souza / Santa Casa da Bahia

    O Livro 6º do Banguê, nº 1261, registra o transporte de escravizados e indigentes falecidos entre os anos de 1764 e 1772, pertencente a Santa Casa de Misericórdia da Bahia.

  • Processo de digitalização de objetos bidimensionais. 2021. © Adriane Batata / Wiki Movimento Brasil

    Processo de digitalização de objetos bidimensionais. 2021.

  • Solicitação do Banguê, 15 de fevereiro de 1835, Santa Casa da Bahia. © Diana Santos Souza / Santa Casa da Bahia

    Solicitação do Banguê, 15 de fevereiro de 1835, Santa Casa da Bahia.

  • Solicitação do Banguê, fevereiro de 1835, Santa Casa da Bahia. © Diana Santos Souza / Santa Casa da Bahia

    Solicitação do Banguê, fevereiro de 1835, Santa Casa da Bahia.

  • Réplica de Gargalheira - instrumento utilizado na tortura de pessoas escravizadas. Item do Museu da Capitania de Ilhéus. 2022 © Adriane Batata / Wiki Movimento Brasil

    Réplica de Gargalheira - instrumento utilizado na tortura de pessoas escravizadas. Item do Museu da Capitania de Ilhéus. 2022

imagem com fundo verbe e formas geométricas amarelas

Conversa sobre o projeto

Assista à conversa de lançamento do manual que contou com a presença de representantes das instituições parceiras e das instituições que participaram da capacitação. 

Conteúdos relacionados



Top