Oralidades conceituais no texto escrito Mensagens de WhatsApp na aula?

Textos no YouTube e no WhatsApp contém casos linguísticos especiais.
Textos no YouTube e no WhatsApp contém casos linguísticos especiais. | Fotografia (recorte): Wayhome Studio © Adobe Stock

A aula de alemão como língua estrangeira (DaF, na sigla em alemão) deve capacitar os alunos a se comunicarem em alemão em diferentes situações. O que isso significa em tempos de YouTube e WhatsApp? Os casos linguísticos dessas mídias devem ser tratados na aula de alemão como língua estrangeira ou eles já encontraram lugar em um livro didático ou até mesmo em testes?

As pessoas se comunicam entre si de forma totalmente diferente, dependendo das situações da conversa e dos interlocutores: Se quero saber como vai a pessoa com quem estou falando, pergunto aos meus chefes no começo de uma reunião de uma forma totalmente diferente do que se perguntasse a um amigo em uma mensagem de texto pelo smartphone. Essas modalidades diferentes podem ser diferenciadas de acordo com uma divisão em categorias (ver Koch & Oesterreicher 1985) com base nas características de conceito e meio de comunicação. Para ambas as características, Koch e Oesterreicher diferenciam entre as formas da oralidade e da escrita. Enquanto uma mensagem é transmitida por via oral (fônica, como em uma conversa) ou escrita (gráfica, como em uma mensagem escrita), a diferenciação relativa ao conceito é gradual, porque, em uma escala entre a oralidade conceitual e a escrita conceitual, qualquer manifestação pode ser atribuída em uma direção ou outra. Neste caso, a escrita conceitual designa uma utilização da linguagem que se orienta na língua padronizada. Caracteriza-se por sentenças gramaticalmente completas e que podem perfeitamente ser complexas. Como o destinatário não está presente durante a situação da manifestação, e na maioria dos casos é desconhecido, também é designada como linguagem da distância. Em contraposição, a oralidade conceitual correspondente a uma linguagem da proximidade, é gerada espontaneamente e deve ser resolvida sem planejamento temporal. Os participantes da comunicação encontram-se na mesma situação e no mesmo local e compartilham determinadas quantidades de conhecimento.

Comentários no YouTube e mensagens via WhatsApp
 

As pessoas se comunicam pelas mídias digitais com textos que, conceitualmente, são realizados mais na forma oral, principalmente em contextos informais, espontâneos e privados. Deve-se observar, aqui, que quanto mais espontânea for a notícia e/ou conhecido o parceiro da comunicação, tanto maior será a medida da oralidade conceitual. Inclusive o assunto de uma conversa pode levar as pessoas a utilizar expressões de dialeto, juvenis ou corriqueiras, que também pertencem à oralidade convencional. Os textos escritos que contém numerosos elementos orais conceituais são, por exemplo, comentários sobre vídeos no YouTube ou também mensagens privadas via WhatsApp. Outra particularidade dos textos orais conceituais nas mídias digitais é que partes de conversas paraverbais, como enfatização e sentimento dos participantes na conversa são expressados por meio de símbolos convencionados. Assim, palavras que devem ser enfatizadas são escritas inteiras em letras maiúsculas, o que também é considerado como “gritar”. Os sentimentos podem ser expressados por meio de emoticons, representações de expressões faciais por meio de símbolos de escrita, ou emojis.

Oralidade conceitual na aula
 

Textos digitais, como e-mails ou SMS, também já encontraram entrada na aula de alemão como língua estrangeira. Mesmo nas provas padronizadas, como no certificado do Goethe, os alunos devem lidar com textos digitais, como inscrição no livro de convidados em páginas Web ou e-mails.


Exemplo de textos digitais em provas  Exemplo de textos digitais em provas Exemplo de textos digitais em provas Exemplo de textos digitais em provas | Extrato: Certificado do Goethe C1 Frase modelo, área específica escrever Estes textos digitais são esquematizados por escrito conceitualmente. No e-mail impresso, somente as duas primeiras frases devem ser consideradas como oralmente conceituais, devido à abreviação e ao distanciamento da menção. As outras frases podem ser consideradas escritas conceituais. No caso de e-mails, tematizados principalmente no contexto profissional em livros de texto e provas, isto também é conclusivo.
 
Geralmente, as mensagens de texto e e-mails espontâneos para contatos privados são caracterizados por uma oralidade conceitual mais marcante. Aqui surge a pergunta sobre como deve ser lidado com esses textos na aula de alemão como língua estrangeira.

Grande importância para alunos no espaço físico da língua-alvo
 

Dependendo do grupo de alunos, o tratamento de textos oralmente conceituais (e por escrito) na aula tem importância diferente. Os alunos que têm como objetivo compreender textos científicos em alemão como língua estrangeira praticamente não terão contato com textos orais conceituais. Entretanto, estes textos são altamente importantes para pessoas que se encontrem no local da língua-alvo. Entretanto, inclusive nas aulas de língua estrangeira no exterior vale a pena trabalhar com textos oralmente conceituais elaborados por escrito: Por um lado, os alunos encontram com rapidez esse tipo de texto na Internet, mesmo nos locais mais remotos e, por outro, é possível trabalhar nas particularidades idiomáticas e na utilização de modalidades diferentes. Os próprios alunos podem descobrir estruturas gramaticais divergentes de convenções de linguagem escrita analisando textos orais conceituais. A questão não tem tanto a ver, portanto, com capacitar os alunos para uma forma de expressão oral conceitual ativa, mas sim, em primeiro lugar, conscientizar os alunos da diferente utilização da modalidade. E, em segundo lugar, possibilitar que participem de comunicação autêntica no contexto oral conceitual, como na Internet, pelo menos como receptor.

Aspectos de conteúdo e pragmáticos
 

Em relação a textos orais conceituais redigidos, as autoras e os autores de livros didáticos devem decidir até que ponto os textos devem ser realizados oralmente conceitualizados. Ao contextualizar os textos também é importante levar em consideração a proposta das tarefas. É necessário perguntar, se o texto será discutido em termos de conteúdo e de teor pragmático (“O que será expressado nesses textos?” e “Com quem é possível trocar ideias sobre isso?“) ou será focado apenas em termos de particularidades linguísticas da utilização oral conceitual da linguagem? No livro didático “DaF kompakt neu B1” foi dada preferência à última opção, em que é construído um diálogo de mensagens de texto que, conceitualmente, são relativamente orais. Neste caso, são usados, como partes de orações orais conceituais, uma interjeição (“Tja” [Pois é]), reticências (“Weiß nicht, werde nachdenken!” [Não sei, vou pensar]), expressões de sentimentos por meio de smileys e “gritos”, bem como as palavras “irgendeine, irgendwas, irgendwann, irgendwo” (algum, algo, algum dia, em algum lugar). O último foi construído de propósito para que, a seguir, pudesse ocorrer uma curta “digressão de gramática” (na verdade, é morfologia) em relação a esse caso.


Exemplo de tematização de oralidade conceitual Exemplo de tematização de oralidade conceitual | Extrato: “DaF kompakt neu B1”, pág. 36 Para poder conscientizar sobre a diferença entre textos escritos conceituais e orais conceituais, pode ser muito prático fazer uma análise de exemplo, como na figura. Entretanto, os professores também devem levar em consideração os aspectos de conteúdo e pragmáticos de textos orais conceituais na aula, para que os alunos entendam quando é adequado usar esse tipo de linguagem.