Acesso rápido:

Ir diretamente ao contéudo (Alt 1)Ir diretamente à navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente à navegação principal (Alt 2)

Daniel Rangel

Daniel Rangel é mestre em artes visuais pelas Universidade de São Paulo (ECA/USP), onde atualmente realiza o doutorado. Bacharel em comunicação social pela Universidade Católica de Salvador, pesquisador do Fórum Permanente, vinculado ao Instituto de Estudos Avançados da USP, e membro individual do International Biennial Association (IBA). Pesquisador, curador e gestor cultural, com mais de vinte anos de experiência no meio cultural, atualmente é curador do Museu de Arte Moderna da Bahia, curador do Prêmio Museu é Mundo e sócio da N+1 Arte Cultura, empresa que realiza conteúdos, produções e planejamentos estratégicos na área cultural. Daniel foi diretor artístico do Instituto de Cultura Contemporânea (ICCo), de 2011 a 2016 e diretor da Diretoria de Museus da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, entre 2008 e 2011. Realizou a curadoria de eventos e exposições, das quais se destacam, REVER_Augusto de Campos, no SESC Pompéia, considerada Melhor Exposição Individual de Artista Brasileiro em 2016 pela revista Select!; Palavra em Movimento, sobre a trajetória visual de Arnaldo Antunes, que recebeu o prêmio APCA 2015 de Melhor Exposição de Artes Gráficas; My name is Ivald Granato, ganhadora do Prêmio Arcanjo de Cultura 2020, na categoria Artes Visuais; Ready Made in Brasil; 8ª Bienal de Curitiba;  15ª e 16ª Bienal de Cerveira – Portugal; Festival Art.br# 1, 2 e 3, em Nova York; e do 2º World Biennial Forum – São Paulo. Organizou as publicações “Klaxon em revista” (Cosac Naify,2012); “Making Biennials in contemporary times” (ICCo/ Biennial Foundation, 2014); “Luzescrita: poemas escritos com luz de Arnaldo Antunes, Fernando Lazlo e Walter Silveira” ( N+1 Arte Cultura, 2016); “Ready Made in Brasil: a ressonância mórfica duchampiana brasileira” ( N+1 Arte Cultura, 2017); e “Afonso tostes: entre a cidade e natureza” (Cobogó, 2019). Realizou ainda a curadoria de exposições individuais de outros importantes artistas brasileiros, como Tunga, Waltercio Caldas, José Resende, Carlito Carvalhosa, Ana Maria Tavares, Marcos Chaves, Eder Santos e Rodrigo Braga. Além de outras mostras coletivas, como Transit – coleção contemporânea de arte africana, Luzescrita; Poesis in Praxis – Tunga and Lenora de Barros, realizada no Pioneer Works em Nova York; e o projeto RUA – Roteiro Urbano de Arte, na Cidade Baixa em Salvador. 
Top