Ecos do Atlântico Sul – Carnaval em Construção

Ecos do Atlântico Sul

sáb, 24.04.2021

Online

Quais as relações de intercâmbio existentes hoje entre a África e a América do Sul, depois de transcorridos séculos de hegemonia e exploração europeias? Como poderão ser o(s) futuro(s) da cultura no Atlântico Sul? No dia 24 de abril, será lançada a publicação online “Ecos do Atlântico Sul – Carnaval em Construção”, contendo percepções, abordagens artísticas e reflexões acerca de mais de dez projetos que desde 2018 se debruçam sobre essa questão. 

Michelle Mattiuzzi e Jota Mombaça apresentam, por exemplo, estéticas performáticas decoloniais no Brasil e na África do Sul, enquanto o diretor camaronês Jean-Pierre Bekolo estabelece, através do cinema, uma ponte entre a comunidade da Diáspora na Colômbia e Camarões. O artista angolano António Ole e o fotógrafo brasileiro André Cunha rastreiam em “Trilogia do Carnaval” as tradições carnavalescas nos dois continentes, enquanto a nigeriana Ndidi Dike revela histórias ocultas de produtos básicos de consumo no contexto do capitalismo extrativista transatlântico. Canções, rituais, percussões e dança permeiam a publicação, de forma que uma mansão colonial na Dinamarca dialoga com a Revolução Haitiana.

Programação da vernissage online:

  • Visita guiada pela exposição / pela publicação
  • Diálgo com a curadoria
  • Interações com artistas

Zoom: bit.ly/CarnivalZoom

A publicação multimídia Ecos do Atlântico Sul – Carnaval em Construção tem curadoria de Ananya Jahanara Kabir, Fareda Khan, Ana Albuquerque e Camilo Solinti Soler Caicedo. O título sublinha o caráter fragmentado e de processo em construção das obras apresentadas, que anunciam, juntas, uma força cultural complexa e carnavalesca. Vários desses projetos tiveram que ser interrompidos em função da pandemia, tendo seguido posteriormente novos e improvisados caminhos. A curadoria associa o inacabado à promessa de esperança inerente ao Carnaval.

Descubra conosco como o passado, o futuro e os ecos do Atlântico Sul – em referência ao título de um projeto de Isaac Julian – estão maravilhosamente intrincados.
 

Voltar