Cooperativas de habitação Comunidade em vez de propriedade

Cooperativa de habitação wagnisART | Munique
Cooperativa de habitação wagnisART | Munique | Foto: Frank Kaltenbach

A Alemanha está a crescer. As rendas e os preços das casas estão aumentar a olhos vistos em centros urbanos dinâmicos como Berlim, Estugarda e Munique. Cada vez menos pessoas conseguem viver nas cidades em que trabalham. Mas agora há uma alternativa que garante não só rendas acessíveis, mas também uma habitação própria: as cooperativas de habitação. Em 2016, a cooperativa de habitação mais radical da Alemanha, wagnisART, de Munique, recebeu o Prémio Alemão de Construção Urbana (Deutscher Städtebaupreis).

Mesmo de longe, as janelas, distribuídas irregularmente ao longo da fachada, saltam à vista dos visitantes. Se chegarmos ao espaço aberto entre os cinco edifícios vindos da rua, temos a sensação de estar num outro mundo.

No quarto andar, amplas pontes de concreto estendem-se de casa para casa como braços sobre os ombros de bailarinos dispostos em círculo, ajudando a criar um espaço para a comunidade que dá uma sensação de segurança e permite, ao mesmo tempo, uma vista enquadrada dos arredores.

Cooperativa de habitação wagnisART | Munique Cooperativa de habitação wagnisART | Munique | Foto: Frank Kaltenbach Este é o coração deste complexo habitacional. O wagnisART não é apenas um edifício residencial com 9600 m2 de espaço habitacional para cerca de 200 residentes, mas também uma aldeia dentro da cidade com 400 m2 de espaços comunitários e 680 m2 para espaços comerciais. Para além destes espaços, também existe um restaurante, um espaço de eventos para o bairro, quatro consultórios, salas comunitárias, e até mesmo um espaço de bem-estar com sauna. O segundo pátio interior foi concebido como um oásis verde, um espaço de retiro, com jardins privados nos apartamentos no rés-do-chão.

Cooperativa de habitação wagnisART | Munique Cooperativa de habitação wagnisART | Munique | Foto: Frank Kaltenbach Esta aldeia expande-se verticalmente, visto que as escadas, muito luminosas, são usadas como espaços de comunicação. Patamares largos permitem ter espaço para bancos e obras de arte.

A partir do quarto andar, fica-se acima dos telhados da cidade e tem-se uma vista panorâmica que se estende, a Sul, até aos distantes Alpes. Andando de ponte para ponte, é possível encontrar loggias privativas, um estúdio de um artista, ou o vasto "terraço champanhe", perfeito para celebrações comunitárias ao pôr-do-sol.

Cooperativa de habitação wagnisART | Munique Cooperativa de habitação wagnisART | Munique | Foto: Frank Kaltenbach Uma característica única deste complexo de Munique são os chamados apartamentos cluster. Oitenta e quatro dos 138 apartamentos do complexo são partilhados: cada apartamento cluster permite alguma privacidade aos seus três residentes, com uma kitchenette e casa de banho privada. A cozinha comunitária espaçosa e a sala comum estão disponíveis para todos os residentes do cluster, até ao máximo de 11 pessoas (dependendo do tamanho do cluster). 

Este é o quinto projeto realizado pela cooperativa de habitação de Munique Wagnis, que, desde a sua fundação há 16 anos, tem acumulado muita experiência. Apesar disto, o processo de desenvolvimento dos complexos wagnisART é sempre único.

Cooperativa de habitação wagnisART | Munique Cooperativa de habitação wagnisART | Munique | Foto: Udo Schindler Para a cooperativa Wagnis, este tipo de cooperativas não representa só rendas mais baratas, mas também um envolvimento com a comunidade – desde a criação do conceito do edifício e das superfícies até aos detalhes finais e à escolha de obras de arte. Cada membro da cooperativa tem de contribuir com pelo menos 20 horas de trabalho anuais.

Aqui, os arquitetos são mais moderadores do que designers. Num workshop, os membros da cooperativa conceptualizaram os cinco edifícios dispondo caixas de sapatos em círculo e ligando-as com traves de madeira, que representam um símbolo da comunidade: tiveram aqui a sua origem as pontes que, apesar de alguma resistência e de custos adicionais, mantiveram-se centrais no planeamento dos diversos elementos do complexo. Até mesmo a disposição das janelas ficou a cargo dos residentes: cada membro da cooperativa pôde decidir para que parede iria poder olhar de dentro do seu apartamento.

Vista aérea da cooperativa de habitação wagnisART | Munique Vista aérea da cooperativa de habitação wagnisART | Munique | Foto: Udo Schindler Mas os membros da cooperativa também têm de entrar com algum capital. O financiamento inicial é de cerca de 30% dos custos de construção. Os custos totais de 41 milhões de euros acabam por ser relativamente baixos, tendo em conta os elevados padrões das normas voluntárias de eficiência energética. A cooperativa é a única proprietária dos edifícios, os residentes são apenas acionistas. Se um residente decide mudar-se, recebe o seu depósito na totalidade.

O valor das contribuições e as rendas variam de residente para residente, visto que apenas 30 por cento dos apartamentos têm financiamento privado. O governo do estado da Baviera apoia 30% dos apartamentos consoante o rendimento de cada pessoa (EOF - einkommensorientierte Zusatzförderung), e outros 40% com o chamado "modelo de Munique".

Cooperativa de habitação WOGENO | Munique cooperativa de habitação WOGENO | Munique | Foto: Frank Kaltenbach O complexo WagnisART é, atualmente, o projeto de habitação cooperativa mais radical da Alemanha, mas não é o único. Na propriedade adjacente, a cooperativa urbana WOGENO construiu um edifício com 74 apartamentos e que inclui uma área comunitária grande que serve como sala de estar, um terraço comunitário e um café.

A Genossenschaftliche Immobilienagentur (agência de imobiliária cooperativa /GIMA) de Munique conta, entre os seus membros, com 23 associações de construção imobiliária sem fins lucrativos. Por toda a Alemanha, e em especial desde a Lei sobre Cooperativas de 1889, as cooperativas começam a ter um renascimento; mais de três milhões de pessoas são agora membros de mais de 2000 associações de cooperativas imobiliárias, ou já vivem em uma das mais de 2,3 milhões de casas cooperativas.

Cooperativa de habitação wagnisART | Munique Cooperativa de habitação wagnisART | Munique | Foto: Frank Kaltenbach As cooperativas não representam apenas rendas baratas, mas acima de tudo casas e bairros de grande qualidade. Os residentes do complexo wagnisART deram aos seus cinco edifícios os nomes dos cinco continentes. Não veem a sua casa como um castelo, mas sim como uma utopia social – como um modelo para um mundo globalizado alternativo que não vive apenas de acordo com os princípios económicos de mercado.