Dez festivais alemães de cinema Para além do mainstream

Hofer Filmtage: Heinz Badewitz e Wim Wenders testam o novo teto do do cinema cinema Weisse Wand
Hofer Filmtage: Heinz Badewitz e Wim Wenders testam o novo teto do do cinema cinema Weisse Wand | Foto (detalhe): © Evelyn Kutschera

A Alemanha orgulha-se de ter festivais de cinema dedicados a quase todos os géneros cinematográficos e regiões do mundo. A nível mundial, este é um panorama absolutamente único. O crítico de cinema Michael Kohler apresenta aqui os seus dez festivais favoritos. 

Os festivais de cinema da Alemanha não deveriam ser tão populares. As televisões estão cada vez maiores, as imagens em movimento encontram-se sempre à mão via smartphone e a história do cinema está apenas à distância de um clique do rato. Mas o que está a acontecer é precisamente o contrário. Cada vez existem mais festivais de cinema, cada cidade que se preze tem o seu festival, e quem quiser pode passar praticamente o ano inteiro a saltar de festival em festival na Alemanha.

Qual a justificação então? Em primeiro lugar, cada vez são produzidos e distribuídos em diversos canais mais filmes e curtas-metragens, sem que as pessoas atinjam um nível de saturação, com os festivais a darem alguma orientação. Em segundo lugar, os festivais oferecem ao público não só grandes telas e grandes estreias, mas também um sentimento de pertença a uma comunidade, que não é comparável com uma normal ida ao cinema. Numa sessão normal, assim que o filme termina, o público dispersa. Nos festivais de cinema, no entanto, há outros focos de interesse, transformando-se quase em aldeias globais, com convidados de todo o mundo, palcos de encontro de estrelas de cinema e realizadores. Na Alemanha, há festivais para todos os gostos. Não existe um género, um estilo ou uma região que não tenha, pelo menos, um festival em sua honra. E não é apenas a quantidade de festivais que é única – a sua diversidade é também fundamental. Isto é possível graças ao apoio do estado alemão, dos estados federais e das comunidades locais, que consideram os festivais de cinema fatores de atração local e turística. A digitalização também tem um papel importante, porque com ela os filmes tornam-se mais facilmente acessíveis e os custos de transporte e manutenção mais reduzidos.

Com tão grande variedade, escolher os dez festivais mais importantes torna-se quase tarefa impossível. Alguns jogam, como é óbvio, numa liga diferente, como nos casos da Berlinale, do Kurzfilmetage Oberhausen (Festival de Curtas-Metragens de Oberhausen) ou do Dok Leipzig. Este trio simboliza tanto a longa tradição dos festivais de cinema na Alemanha, como a sua internacionalização; representa o federalismo, que apoia a cultura do país inteiro e não apenas de alguns centros, e ilustra, com a sua história, a superação da divisão da Alemanha.

Os outros membros desta lista têm alguma característica que os torna especial entre a grande diversidade existente. O Filmtage Hof é como um encontro familiar para a comunidade cinéfila alemã, enquanto o Down Under Berlin é um projeto start-up típico de uma metrópole. Já o Fantasy Filmfest é um projeto de sucesso concebido pelos amantes do género, enquanto o Filmfest München atrai o público graças ao seu charme citadino. Todos os festivais alemães têm, no entanto, uma característica em comum: são abertos ao público em geral. Um snobismo “à la Cannes” é-lhes algo completamente estranho.

BERLINALE: O MAIOR FESTIVAL DE CINEMA PÚBLICO DO MUNDO 

O palácio da Berlinale: local onde são exibidos os filmes em competição e onde têm lugar as mais importantes cerimónias O palácio da Berlinale: local onde são exibidos os filmes em competição e onde têm lugar as mais importantes cerimónias | Foto (detalhe): © Berlinale 2006, Andreas Teich A Berlinale, o mais importante festival alemão de cinema, nasceu por iniciativa de Oscar Martay, um oficial americano responsável por cinema. Em 1951, Martay pretendeu fundar uma “montra do mundo livre” na cidade de Berlim e convencer os alemães da superioridade do cinema ocidental com a ajuda das estrelas de cinema e dos filmes de Hollywood. Fundado na Guerra Fria, este festival foi considerado, durante muito tempo, um festival político na linha da frente que era Berlim Ocidental nessa altura. Em 1970, por exemplo, o júri do festival foi dissolvido após um desentendimento com o realizador Michael Verhoeven sobre o seu filme “O.K.”, que fala da guerra do Vietname. Em 1979, os países socialistas boicotaram o festival em protesto contra o filme “The Deer Hunter”, de Michael Cimino. Hoje em dia, a Berlinale tem lugar no centro da capital reunificada de Berlim e, devido à sua ligação ao público e ao apoio das gerações mais jovens, surge em destaque quando comparada com os festivais de Cannes e de Veneza. Em 2016, foram vendidos 335 000 bilhetes. A Berlinale é assim o maior festival de cinema da Europa e, simultaneamente, o maior festival de cinema público do mundo. Desde 2003, existe na Berlinale um encontro denominado “Talent Campus”, onde jovens realizadores se reúnem com reconhecidas personagens da indústria cinematográfica para que juntos possam planear os próximos passos das respetivas carreiras. 

Festival Internacional de Cinema de Berlim (Berlinale): Fundação: 1951. Local: Berlim. Data: Fevereiro. Programa: Estreias internacionais, cinema de autor, História do cinema. Prémios: Urso de Ouro, Urso de Prata.

Kurzfilmtage Oberhausen: CINEMA COMO ARTE SUBVERSIVA

62° Festival Internacional de Curtas-Metragens de Oberhausen. Ambiente do festival 62° Festival Internacional de Curtas-Metragens de Oberhausen. Ambiente do festival | Foto (detalhe): © Kurzfilmtage / Daniel Gasenzer Os realizadores gostam de experimentar em curtas-metragens aquilo que não têm coragem de fazer em longas-metragens. Por esta razão, as curtas-metragens são mais subversivas – e mais experimentais do que os filmes normais. O Festival de Curtas Metragens de Oberhausen sempre apresentou este tipo de filmes. Em plena Guerra Fria, por exemplo, Oberhausen exibia filmes do Bloco de Leste, que não eram mostrados em mais nenhum sítio no Ocidente. E, por isso, em 1962, os jovens realizadores alemães escreveram o chamado Manifesto de Oberhausen, onde protestavam contra o cinema da época do chamado “milagre económico alemão” e declaravam a criação de um “novo cinema alemão”. Em 1968, o realizador Hellmut Costard provocou um escândalo ao fazer um filme onde criticava a política alemã de subsídios ao cinema com a ajuda de um pénis falante. Enquanto festival de curtas-metragens mais antigo do mundo (fundado em 1954), Oberhausen tem já uma longa história, mas, ao mesmo tempo, soube manter-se jovem e relevante: foi um dos primeiros festivais a levar a sério os vídeos de música e a considerá-los uma forma de arte, e foi um dos primeiros festivais a interrogar-se sobre o que acontece às curtas-metragens quando são exibidas como vídeos em museus. Mas Oberhausen provavelmente nunca virá a ser um museu de cinema – é demasiado dinâmico para isso.

Internationale Kurzfilmtage Oberhausen: Fundação: 1954. Local: Oberhausen. Data: final de abril / início de maio. Programação curtas-metragens. Prémios: Grande Prémio da cidade de Oberhausen, MuVi-Preis para vídeos de música alemães.

DOK Leipzig: ENTUSIASMO NUM NICHO

Centro do festival, Dok Leipzig 2016 Centro do festival, Dok Leipzig 2016 | Foto (detalhe): © Dok Leipzig 2016 / Susann Jehnichen Desde 1962, este festival internacional de cinema documental atribui às melhores obras a Pomba de Prata e de Ouro, prémios cuja forma foi inspirada num esboço que Picasso fez para o Congresso Mundial da Paz de 1947. No entanto, nos bastidores deste festival de documentários, que é o mais antigo deste género no mundo, nada foi realmente pacífico. Com o crescimento do festival também aumentou o interesse do governo da República Democrática da Alemanha em influenciar politicamente o seu programa. Apesar disso, Leipzig foi sempre uma montra importante para filmes da Ásia, África e América Latina. Após a queda do Muro de Berlim, o festival foi obrigado a reinventar-se. Os filmes de animação vieram a ser parte importante do festival, que ao mesmo tempo se tornou num “centro de competências” internacional, no qual se planeiam coproduções e se elaboram programas para outros festivais e instituições culturais. Mas o mais importante do Dok Leipzig é que, todos os anos, consegue provar que as audiências têm interesse numa programação considerada de nicho.

Dok Leipzig: Fundação: 1955. Local: Leipzig. Data: Final de outubro / início de novembro. Programa: documentários, filmes de animação. Prémios: Pomba de Ouro, Pomba de Prata.

Hofer Filmtage: PALCO PARA AS ESTRELAS DE AMANHÃ

Jogo de futebol no festival Hofer Filmtage Jogo de futebol no festival Hofer Filmtage | Foto (detalhe): © Evelyn Kutschera Em Hof também existe uma passadeira vermelha, mas o mais importante é o verde do relvado. Desde a sua fundação em 1967, uma seleção da equipa do festival disputa uma partida de futebol contra uma equipa de atores, produtores e realizadores. Ou seja, em Hof tudo acontece de uma forma mais relaxada. O festival representa um género de encontro de família do panorama cinematográfico alemão. No entanto, um grande número de convidados internacionais participa também na secção de filmes independentes e na retrospetiva dedicada a um diretor. Mas a grande fama do festival surge devido à reputação de ser um palco para as novas gerações do cinema alemão. Mais do que a Berlinale, este é um festival para jovens realizadores e estrelas em ascenção. “Não precisamos de estrelas. Nós fazemo-las”, afirmava Heinz Badewitz, o fundador e presidente do festival, que faleceu em 2016. E, assim, todos os anos as pessoas viajam até esta cidade da Baviera para verificar se Badewitz continua a ter razão ou não.

Internationale Hofer Filmtage: Fundação: 1967. Local: Hof. Data: Outubro. Programa: Filmes alemães, cinema independente. Prémios: Prémio de fomento Neues Deutsches Kino.

Filmfest München: VERÃO NA CIDADE

Festival ao ar livre no Filmfest München Festival ao ar livre no Filmfest München | Foto (detalhe): © Filmfest München A razão para o festival de cinema de Munique ter lugar no início no verão não é coincidência – é porque nessa altura a cidade está mais bonita. A escolha do final de junho é propositada. “Where the magic of cinema meets summer in the city” é o lema do festival a nível internacional. Consegue assim cativar regularmente estrelas da realização como Sergio Leone, Lars von Trier, Werner Herzog e Roman Polanski. Para além das retrospetivas sobre realizadores importantes e, com menos frequência, sobre atores consagrados, o festival oferece um olhar sobre o panorama atual do cinema de autor internacional, das muitas estreias alemãs e ainda de diversas produções televisivas alemãs. Estas últimas concorrem ao Prémio de Televisão Bernd Burgermeister. Com cerca de 80 000 bilhetes vendidos, o Filmfest München é, a seguir à Berlinale, o festival público de cinema de maior sucesso, e um reconhecido ponto de encontro para os profissionais alemães ligados ao cinema. Uma das razões para esse sucesso é, certamente, a possibilidade de as festas serem ao ar livre.
 

Filmfest München: Fundação: 1983. Local: Munique. Data: Final de junho / início de julho. Programa: Cinema internacional, cinema alemão. Prémios: Arri/Osram Award, Prémio de Fomento Neues Deutsches Kino.

Filmfestival Cottbus: PORTA PARA O LESTE

Filmfestival Cottbus, Kammerbühne Filmfestival Cottbus, Kammerbühne | Foto (detalhe): © Florian Bröcker Por vezes o medo é um bom conselheiro. “Tínhamos receio de que o cinema do leste da Europa desaparecesse das telas”, diz-nos Bernd Buder. Por essa razão, Buder e alguns amigos fundaram, em 1991, na cidade de Cottbus, um festival para o cinema dos antigos “países irmãos” socialistas. A localização era perfeita para a programação: Cottbus fica perto da fronteira com a Polónia e pretende ser vista como uma porta para o Leste. Para além disso, muitos filmes que concorrem espelham os conflitos das repúblicas da antiga União Soviética. Depois de um arranque mais modesto, o festival mostra entretanto mais de 150 filmes de 40 países e foi descrito pela revista Variety, em 2007, como sendo um dos 50 festivais de cinema mais importantes do mundo. Na própria cidade de Cottbus, com 100 000 habitantes, o festival está bem enraizado. Segundo os números, um em cada cinco habitantes assiste a um filme num dos muitos locais espalhados pela cidade.
 

Filmfestival Cottbus - Festival de cinema do leste da Europa: Fundação: 1991. Local: Cottbus. Data: novembro. Programa: Filmes do leste da Europa. Prémios: Melhor filme, Melhor Realização.

Lucas: CINEMA PARA CRIANÇAS

Lucas - Internationales Festival für junge Filmfans Lucas - Internationales Festival für junge Filmfans | Foto (detalhe): ©Sabine Imhof, DIF (Deutsches Filminstitut) Desde 2016, há muitas novidades no mais antigo festival alemão de cinema para crianças e jovens. Existem agora quatro concursos para três grupos etários, a partir dos quatro, dos oito e dos 13 anos de idade, cada um com um prémio para a melhor curta e longa-metragem. No entanto, mantém-se inalterada a ideia de base do festival: envolver ao máximo as crianças e jovens em todo o processo. Em Frankfurt, por exemplo, as crianças e os jovens não só constituem metade dos júris, como também participam na seleção dos filmes e ajudam a preparar as discussões sobre os mesmos. Por outras palavras, o festival é pensado para que as crianças se divirtam. Mas a componente pedagógica não foi esquecida: “As imagens em movimento estão sempre presentes no dia-a-dia, em qualquer esquina, no metro e no nosso próprio smartphone”, diz-nos Claudia Dillmann, diretora do Deutsches Filminstitut (Instituto de Cinema Alemão), que apoia este festival. ”Queremos dar às crianças, tão cedo quanto possível, ferramentas que as possam ajudar a compreender e a utilizar o cinema como meio de comunicação e como forma de arte.”
 

Lucas - Festival internacional de cinema para jovens: Fundação: 1974. Local: Frankfurt/Main. Data: Final de setembro / início de outubro. Programa: filmes infantis e juvenis. Prémios: Melhor Longa-metragem, Melhor Curta-metragem.

Fantasy Filmfest: DIVERSÃO COM ZOMBIES

Fantasy Filmfest, cartaz Fantasy Filmfest, cartaz | Foto (detalhe): © Fantasy Filmfest Inicialmente, o Fantasy Filmfest era o único onde era possível ver filmes de terror não censurados no grande ecrã. Hoje em dia, é possível ver esta mesma programação comodamente em casa, mas mesmo assim, o festival não esmoreceu e, o que começou como um passatempo para fãs de filmes de terror, é hoje um festival consolidado com 30 anos de existência. De thrillers mais convencionais aos animés, e sem esquecer os filmes de terror de autor, o festival engloba todas as variantes de filmes de fantasia e leva-os em digressão, todos os anos, por sete cidades alemãs. Apesar das muitas estreias na Alemanha, o grande atrativo do festival não é o desejo de descoberta, mas sim o caráter do próprio evento, onde se cria uma oportunidade para os amantes deste tipo de cinema celebrarem não só o gosto pelo sangue artificial, mas também a comunidade em si. Outra das grandes mudanças ao longo do tempo é que o festival tem cada vez mais público feminino, que descobre as qualidades dos filmes de terror.
 

Fantasy Filmfest: Fundação: 1987. Local: Diversos. Data: agosto a setembro. Programa: fantasia, horror, thriller. Prémio: Fresh Blood Award para Melhor Filme de Estreia.

Internationales Frauenfilmfestival: DOIS EM UM

Internationales Frauenfilmfestival Dortmund Internationales Frauenfilmfestival Dortmund | Foto (detalhe): © Silke Weinsheimer O Festival Internacional de Cinema Feminino é, na verdade, um dois em um. Em 2006, por iniciativa do governo do estado federal de Nordrhein-Westfalen, os festivais Feminale (Colónia) e femme fatale (Dortmund), ambos fundados nos anos 1980, fundiram-se e, desde essa altura, têm lugar alternadamente nas duas cidades. Tanto em Colónia como em Dortmund são apresentados exclusivamente filmes feitos por mulheres e com mulheres, havendo algumas diferenças a nível da programação. Em Dortmund, para além do concurso internacional, existe uma programação subordinada a um tema (em 2017, o tema foi “controlo”). Em Colónia, o festival foca-se num país em especial (em 2016, o México), e dedica-se ao cinema lésbico atual. Para além de realizadoras, o festival procura também homenagear mulheres que trabalham em áreas técnicas, como operadoras de câmara, argumentistas e produtoras. Em Colónia tem lugar, desde 2012, um concurso a nível nacional para diretoras de fotografia.
 

Internationales Frauenfilmfestival Dortmund: Fundação: 2006. Locais: Dortmund/Colónia. Data: abril. Programa: filmes de mulheres, filmes lésbicos. Prémios: Melhor Realização, Melhor Filme de Estreia.

Down Under Berlin: UMA PONTE PARA A AUSTRÁLIA

Down Under Berlin Down Under Berlin | Foto (detalhe): © JordiSanjuanRubio_1587, Courtesy of Down Under Berlin Este segredo entre os festivais de cinema alemães está tão bem guardado que, cinco anos depois da sua estreia, ainda não tem nenhuma entrada na wikipedia. O festival Down Under Berlin, que tem lugar no cinema Movimiento, foi fundado por Frances Hill, uma australiana que vive na capital alemã e que pretendeu assim criar uma plataforma para apresentar o cinema feito na Austrália. Desde a sua fundação, o festival tem apresentado uma boa seleção de filmes australianos (e neozelandeses) e também de filmes de autores australianos que vivem, tal como Hill, no estrangeiro. Assim, Down Under Berlin não é apenas um festival da saudade, mas também uma viagem à descoberta de um continente longínquo. Porque quem acredita que é conhecedor do cinema dos antípodas apenas porque viu os filmes dos realizadores australianos aliciados por Hollywood, vai perceber aqui que está completamente enganado. O Down Under Berlin transformou-se, entretanto, no maior festival europeu deste género, apresentando tanto sucessos do cinema como filmes de autor, curtas-metragens e trabalhos cinematográficos de autores indígenas.

Down Under Berlin: Fundação: 2011. Local: Berlim. Data: Setembro. Programa: Cinema australiano, cinema neozelandês. Prémio: Prémio do Público.