Acesso rápido:
Ir diretamente para o conteúdo (Alt 1)Ir diretamente para a navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente para a navegação principal (Alt 2)

Prémio do público KINO 2019
O espelho da diversidade do cinema jovem

Johannes Ebert, Secretário-Geral do Goethe-Institut, entrega o Prémio do Público da KINO 2019 ao realizador português Dídio Pestana, pelo filme "Sobre Tudo Sobre Nada"
Johannes Ebert, Secretário-Geral do Goethe-Institut, entrega o Prémio do Público da KINO 2019 ao realizador português Dídio Pestana, pelo filme "Sobre Tudo Sobre Nada" | Foto (detalhe): © Bildschön GmbH (Boris Trenkel)

Ao longo dos anos, o cinema jovem tem sido um fio condutor da KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã. De forma a celebrar a diversidade e qualidade dos jovens realizadores, na 16.ª edição da Mostra foi atribuído, pela primeira vez, o Prémio do Público.

Mostrar o que de melhor e mais surpreendente acontece na cinematografia de expressão alemã tem sido, desde o início, marca da KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã. Nos últimos anos, para além de exibir filmes dos realizadores mais importantes e dos atores mais reconhecidos, tem havido também uma forte aposta no cinema dos jovens realizadores de expressão alemã. Para celebrar o que de melhor se faz entre os jovens realizadores, na 16.ª edição desta Mostra foi atribuído, pela primeira vez, um Prémio do Público.

Organizado pelo Goethe-Institut Portugal e pelo Turismo da Alemanha, o Prémio do Público colocou à votação dos espetadores da KINO 2019 oito primeiras longas-metragens, que apresentam diferentes abordagens cinematográficas: de formas experimentais à comédia anarquista, e até ao clássico cinema narrativo. Diferentes na sua essência, os oito filmes têm em comum uma visão quase poética e irreal, desafiando a nossa perceção da realidade.

A decisão de integrar estes filmes no programa da mostra não se prendeu pelo fato de serem filmes de estreia de jovens realizadores. Pelo contrário: o foco no cinema jovem surge devido à qualidade e variedade dos filmes em si. Contrariando todas as vozes pessimistas, algo se move no cinema alemão (e também no cinema da Áustria, da Suíça e do Luxemburgo, países representados na KINO). Algo tem surgido, que não se limita a tendências, que não se padece de inclusão numa escola específica.

Contribuir ativamente para o desenvolvimento deste cinema jovem foi a razão principal da criação do Prémio do Público da KINO. A escolha consciente de colocar estes filmes no centro do programa, permitindo-lhes um maior destaque e um mais próximo contacto com o público, foi o segundo (não menos importante) objetivo. Para isso, foi feito um convite a três jovens realizadores para estarem presentes nas estreias dos seus filmes em Lisboa. A presença de Govinda Van Maele, Dídio Pestana e Helena Wittmann permitiu assim uma maior interação com o público, potenciado a discussão e a reflexão.

Prémio para um ensaio poético 

Quase 500 espetadores ajudaram a eleger o filme vencedor do Prémio do Público. A escolha final foi para o filme Sobre tudo sobre nada, do realizador português radicado em Berlim Dídio Pestana. Em segundo e terceiro lugar ficaram Autocrítica de um cão burguês, de Julian Radlmaier, uma das comédias alemãs mais incomuns dos últimos anos, e o thriller Gutland, do realizador luxemburguês Govinda Van Maele. O pódio do Prémio do Público deste ano revela-se, assim, o espelho da diversidade do cinema de expressão alemã que deu origem a este galardão.

Filmado em Super 8, Sobre tudo sobre nada apresenta um retrato íntimo da vida, do amor e do trabalho, numa viagem que nos leva a Berlim, Copenhaga, Lisboa e aos Açores, e apresentando uma reflexão deliberadamente inacabada sobre a família, a amizade e a separação.

Dídio Pestana não é um desconhecido do público português, sendo colaborador de longa data de Gonçalo Tocha, com quem fundou a banda Tochapestana. Este seu passado ligado ao som e à música reflete-se também na estreia na cadeira de realizador, ao tornar tangíveis os locais visitados no filme através dos mundos sonoros: o grasnar dos corvos no inverno em Berlim, os síbilos dos pedais de bicicleta no verão, o som das ondas nas falésias do Guincho. Como explicou ao público na discussão no final da sessão, Dídio Pestana associa este filme à tradição dos filmes-diário, uma tradição que começou nos anos 60 e cujo mais conhecido representante foi o lituano Jonas Mekas (1922-2019).
 

Um prémio, mais do que nada, ajuda o filme a ser visto, ou seja, aumenta a sua visibilidade e faz com que chegue a mais pessoas. Para mim, enquanto realizador, é sempre muito bom ver o trabalho reconhecido, sentir que o que fiz chega de alguma maneira às pessoas, e é também um grande incentivo a continuar a fazer filmes.

Dídio Pestana (realizador)

Entrega do prémio em Berlim

Berlim, um das cidades representadas em Sobre Tudo sobre nada, foi o local onde Dídio Pestana recebeu, no passado dia 9 de fevereiro, o galardão oficial do Prémio do Público da KINO 2019, entregue pelo Secretário-Geral do Goethe-Institut, Johannes Ebert.

Com a ajuda da Berlinale – Festival Internacional de Cinema de Berlim e do seu foco nos jovens realizadores, Berlim será, também, o local onde o programa da KINO 2020 irá dar os seus primeiros passos, com a seleção de alguns dos nomeados do próximo ano.
Johannes Ebert, Secretário-Geral do Goethe-Institut, com o realizador português radicado em Berlin Dídio Pestana Johannes Ebert, Secretário-Geral do Goethe-Institut, com o realizador português radicado em Berlin Dídio Pestana | Foto (detalhe): © Bildschön GmbH (Boris Trenkel)