Acesso rápido:
Ir diretamente para o conteúdo (Alt 1)Ir diretamente para a navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente para a navegação principal (Alt 2)

Quartos mágicos cheios de livros
Um passeio pelas mais belas livrarias de Berlim - Parte I

Bücherbogen em Savignyplatz (Charlottenburg)
Bücherbogen em Savignyplatz (Charlottenburg) | © Goethe-Institut Italien | Foto: Giulia Mirandola

Durante as minhas explorações por Berlim ainda não me tinha deixado levar pelas livrarias da cidade. Essa ideia surgiu-me depois de ter adquirido o Mapa das Livrarias de Berlim (argobooks 2018). Nessa publicação podemos encontrar uma lista de 175 livrarias independentes de Berlim que vale a pena visitar. Para esta inteligente iniciativa das editoras, a palavra de ordem é: independente.

De Giulia Mirandola

175 editoras independentes em Berlim

O Mapa das Livrarias de Berlim existe apenas em forma impressa, e não em formato digital. É o resultado de dois anos de pesquisa e tem como base não só as informações da Associação dos Livreiros Alemães e das próprias livrarias, mas também de escritores, artistas, tradutores e editores sobre as suas livrarias preferidas dos bairros de Berlim. Quando está aberto, o mapa tem o tamanho de um pano de cozinha e fechado pode ser facilmente transportado no bolso. Para facilitar a orientação nos vários bairros da cidade, os nomes das livrarias estão escritos num dos lados do mapa. No outro lado podemos encontrar os endereços das 175 livrarias por ordem alfabética, sendo que algumas delas ainda incluem uma pequena descrição.  
 
Com este prático mapa, todas as pessoas que gostam de livros e de passear pela cidade podem passar dias inteiros a divertir-se a explorar a capital alemã como se de um arquipélago de quartos mágicos cheios de livros se tratasse. Quartos mágicos onde podem ser encontrados livros de todos os géneros. Velhos e novos, em edições de milhares ou edições limitadas, raridades e livros de sucesso a nível internacional, livros em diversas línguas e livros sem palavras.  
 

Um passeio pelas muitas livrarias favoritas

Inicialmente tinha pensado escrever sobre a totalidade das 175 livrarias. Mas depois mudei de ideias. Em vez de uma maratona, optei por um passeio. Em vez de seguir as sugestões do mapa e os meus interesses pessoais, decidi ouvir as ideias das diretoras das editoras, das livreiras, das fotógrafas, das ilustradoras e das bibliotecárias. Perguntei-lhes: "Qual é a tua livraria preferida independente em Berlim?" Entre as respostas, muitas das livrarias mencionadas já tinham obtido o importante prémio do governo alemão para a melhor livraria.

Onze das livrarias mais bonitas de Berlim

  • Bücherbogen © Goethe-Institut Italien | Foto: Giulia Mirandola
    Bücherbogen
  • Der Zauberberg © Goethe-Institut Italien | Foto: Giulia Mirandola
    Der Zauberberg
  • Der Zauberberg © Goethe-Institut Italien | Foto: Giulia Mirandola
    Der Zauberberg
  • Der Zauberberg © Goethe-Institut Italien | Foto: Giulia Mirandola
    Der Zauberberg
  • Do you read me © Goethe-Institut Italien | Foto: Giulia Mirandola
    Do you read me
  • Krumulus © Goethe-Institut Italien | Foto: Giulia Mirandola
    Krumulus
  • Lesen und lesen lassen © Goethe-Institut Italien | Foto: Giulia Mirandola
    Lesen und lesen lassen
  • Mundo azul © Goethe-Institut Itálien | Foto: Giulia Mirandola
    Mundo azul
  • Pro qm © Goethe-Institut Italien | Foto: Giulia Mirandola
    Pro qm
  • Zadig © Goethe-Institut Italien | Foto: Giulia Mirandola
    Zadig
Jana Kühn é editora (Viel&Mehr), membro da equipa da Dante Connection e a "alma" do projeto de apoio à leitura Projektraum. A sua livraria de eleição é a Krumulus (Kreuzberg), uma loja de livros e jogos, que ao mesmo tempo funciona como galeria e tipografia para crianças. A loja convence-nos com uma ótima seleção de livros e um programa de eventos muito completo, que inclui leituras, exposições e concursos semanais de escrita, de ilustração e de banda desenhada, tal como oficinas de tipografia para crianças.  

A tradutora Judith Krieg recomenda a livraria literária Anakoluth (Prenzlauer Berg). O nome da loja fundada em 1998 é, desde logo, uma referência ao mundo da literatura. A seleção integra obras escolhidas de escritoras e escritores conhecidos e de outros nomes emergentes, ou seja, o melhor da literatura clássica e contemporânea mundial. A poesia tem um papel relevante na Anakoluth, e também há muito espaço para revistas literárias e culturais. Nesta livraria, os verdadeiros amantes de literatura e crítica literária têm tudo para ficar satisfeitos.
 
Jutta Bornholdt-Cassetti é a responsável pelo marketing, pelas relações públicas e pela distribuição na Editora Jovis. A livraria da sua confiança é a Lesen und lesen lassen (Friedrichshain), ou, no caso do campo de interesse ser a arquitetura, a livraria Pro qm (Mitte) é a visita obrigatória. Lesen und lesen lassen é uma sala confortável, onde se podem encontrar livros por todo o lado e onde o lema da loja é para ser sentido numa confortável poltrona. Esta é o símbolo perfeito para aquilo que a leitura representa para o casal de editores e proprietários da loja: convívio, comodidade, uma vida com a literatura. Pro qm é uma livraria temática dedicada às áreas do urbanismo, da economia, da cultura subterrânea, da arte, do design e da arquitetura. Para onde quer que se olhe, existem escadas cor de rosa e combinações de livros interessantes em exposição. Uma parte da seleção inclui ainda revistas temáticas internacionais.   
 
Raum Italic (Prenzlauer Berg) é uma livraria com especial incidência em literatura italiana e internacional, fazendo uma ponte entre Itália e Berlim em aspetos relacionados com cultura visual e o design de edição. Uma ponte entre dois países, mas também entre a Raum Italic e a editora italiana Corrani, entre uma loja de livros e de brinquedos e uma editora independente, entre design e arte contemporânea, entre ilustração e fotografia, entre produções individuais e produções em série. São todas estas razões que levam Katja Spitzer a recomendar uma visita à Raum Italic, em especial quando a livraria se transforma num espaço de exposições, encontros e apresentações de livros com comidas e bebidas.
 
Giulia Silvestri é livreira da Dante Connection e colaboradora do projeto cultural Lettrétage.  Para ela, uma visita à livraria Der Zauberberg (Friedenau) é como se fosse um presente, que realmente tem de ser vivido. Em 2019, a livraria festejou o décimo aniversário, mas na verdade já existia aqui uma livraria no fim dos anos 20 do século XX, cujos vestígios ainda hoje marcam o ambiente. A Zauberberg é o local escolhido para os congressos da Associação Thomas Mann e o palco de debates culturais sobre variados assuntos, tais como poesia e política ou linguística e ambiente. Os proprietários dizem que as suas prioridades são três: livros, livros e mais livros.

Para além disso, quem quiser entrar no amplo mundo das revistas internacionais, deverá continuar o caminho em direção à Do you read me? (Mitte). Aí poderá encontrar, num espaço de alguns metros quadrados, quilómetros de revistas sobre os temas da arte, do design, da fotografia, da moda, da arquitetura, da literatura, do ambiente e do colecionismo. Por outras palavras: informação concentrada, cuja diversidade desperta a curiosidade para novos assuntos. Segundo Silvestri, esta é uma loja que não deve deixar de ser visitada.
    
Existem livrarias independentes que proporcionam à literatura internacional uma casa, mas que simultaneamente têm um foco para um público especialmente exigente: as crianças. Uma dessas livrarias é Mundo azul (Prenzlauer Berg). A sugestão para visitar essa livraria chega de Valentina Colla, que trabalha como educadora no abrigo de refugiados em Pankow. Na verdade, não temos realmente consciência do apoio que os livros de crianças e livros em geral sobre outras culturas podem dar no âmbito da integração social e da mediação intercultural. Mundo azul mostra esse potencial e apresenta-se simultaneamente como modelo e inspiração para outras iniciativas.  
 
Michele Caliari é fotógrafo e guia turístico. Uma das suas livrarias favoritas é Bücherbogen am Savignyplatz (Charlottenburg). Mas atenção: não entrem nesta loja se tiverem pouco dinheiro. Se gosta muito de fotografia, arte e arquitetura, pode acontecer que todos os seus desejos se realizem simultaneamente e que depois já não sobre dinheiro para pagar a renda. A oferta de livros sobre urbanismo, arquitetura de interiores e arquitetura paisagista, Berlim e Brandenburgo, design e gravura, arte figurativa e arte aplicada, fotografia, dança, teatro, cinema e moda é impressionante. E a localização da livraria é igualmente curiosa, porque está exatamente debaixo de uma linha de comboio.

Encontrei as duas últimas livrarias por pura coincidência. A primeira graças a um encontro inesperado, a outra graças a uma encomenda na livraria Dante Connection, com a qual colaboro atualmente. Num certo domingo estava sentada no Café November, quando de repente entra pela porta a ilustradora alemã Rotraut Susanne Berner. No primeiro momento nem quis acreditar, mas depois fui à mesa dela e cumprimentamo-nos entusiasmadamente.  A Susanne encontra-se em Berlim a convite da livraria Georg Büchner (Prenzlauer Berg) para apresentar o último livro que ilustrou na KulturBrauerei. Para além disso, também foi convidada para o festival de literatura Literatur: BERLIN.

De qualquer maneira, a livraria Büchner também já constava da minha lista há alguns dias. Acontecem regularmente eventos com escritoras e escritores, pré-apresentações de livros, pode-se adquirir livros assinados e obter informações sobre as últimas novidades do panorama da literatura alemã para adultos e crianças.

Infelizmente não consegui estar no encontro com a Susanne, mas enquanto me dirigia para o metro dei por mim a pensar que a coincidência e a sorte já me deram hoje muitos prazeres.

Zadig (Mitte) é uma livraria francesa em Berlim. Tenho de ir lá buscar alguns livros da escritora e ilustradora belga Anne Brouillard, que será a convidada de amanhã num evento conjunto do projeto Das Buchprojekt, da editora Verlag Viel&Mehr e da livraria Dante Connection. Ao entrar na loja, entra-se também num pequeno fragmento de França mesmo no meio da capital alemã. Nas cabeças e nas conversas do livreiro e dos seus clientes tudo roda à volta da língua e cultura francesa. Nos poucos instantes que estou na loja aproveito para procurar um livro sem palavras da editora l’école des loisirs, mas infelizmente já não há. Mas apaixono-me logo por outro, pelo livro Je ne suis pas un oiseau, que é o último livro de Anne Herbauts, editado por Les éditions Esperluète.

Parte II: Um passeio pelas mais belas livrarias de Berlim - parte II
Parte III: Um passeio pelas mais belas livrarias de Berlim - parte III