Acesso rápido:
Ir diretamente para o conteúdo (Alt 1)Ir diretamente para a navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente para a navegação principal (Alt 2)

Quartos mágicos cheios de livros
Um passeio pelas mais belas livrarias de Berlim - Parte III

Uslar & Rai Buchhandlung, Berlim
Uslar & Rai Buchhandlung, Berlim | © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola

Terminamos hoje o nosso passeio passeio virtual pelas livrarias independentes de Berlim. A Primavera aquece a cidade com os primeiros raios de sol e com este bom tempo imaginamos que já estamos todos vacinados contra a covid-19 e que nos podemos movimentar à vontade, sem restrições, sozinhos ou acompanhados.

De Giulia Mirandola

A base de orientação do nosso passeio é um mapa muito especial. Trata-se do livro Mapa das Livrarias de Berlim (argobooks 2018), que é o resultado de dois anos de pesquisa. Tem como fonte de informação a Associação de Livreiros Alemã e as próprias livrarias. Inclui igualmente referências a escritores, artistas, tradutores e editores..

Contracultura e natureza em Kreuzberg

Em todas as cidades devia existir um sítio como a Zabriskie. Esta livraria dedicada à cultura e à natureza impressiona com uma seleção de livros escolhidos a dedo (em língua alemã e inglesa) e uma seleção de editoras igualmente escolhidas com enorme cuidado. O espaço, com apenas poucos metros quadrados, faz ligeiramente lembrar uma biblioteca, na qual os livros expostos também podem ser adquiridos. Tudo começou em 2013. Fascinados por Antonioni e Foucault, Lorena Carràs e Jean-Marie Dhur abrem a livraria Zabriskie. Desde essa altura organizam leituras e apresentações de livros, ganham prémios, dirigem um clube de leitura e oferecem a possibilidade de efetuar passeios para ver pássaros ou apanhar ervas selvagens, acompanhados por biólogos, jornalistas de revistas científicas ou médicos naturalistas. Outro serviço da Zabriskie é o de “curadoria bibliotecária” e parece ter o nome do meu emprego de sonho. Por encomenda de bibliotecas especializadas, a equipa da Zabriskie faz a curadoria de coleções sobre temas como história da natureza, ecologia, “antropoceno", sustentabilidade, do it yourself, autoajuda, jardinagem, arquitetura paisagista e modelos de vida utópicos e alternativos. Para além dos livros sobre os temas mencionados, a livraria Zabriskie tem ainda livros com imagens da natureza, os melhores livros sobre cinema independente ou underground, livros de artistas e edições próprias, descrições de experiências de trips psicadélicas, diários de viagens a locais longínquos, tal como obras de filosofia, sociologia, esoterismo e literatura experimental. Sugestão: num sítio um pouco escondido, podem ainda encontrar cassetes áudio e discos em vinil, especialmente para aqueles clientes com hábitos de audição excêntrica e amantes de raridades.

Juventude inquieta

Daqui até à livraria b_books e à livraria OH*21 são apenas dois passos Estas duas livrarias  têm em comum não apenas a localização – perto da Skalitzer Strasse e da estação de metro Kotbusser Tor –  e a inclinação política, mas também uma certa inquietude juvenil. B_books é simultaneamente livraria, editora e produtora de cinema. Os livros estão empilhados do chão até ao teto e organizados por secções: teoria política e filosofia, crítica do capitalismo, migração e pós-colonialismo, urbanismo e globalização, nova direita e neo-fascismo, feminismo, estudos do género e queer, ecologia, teoria da arte e dos meios de comunicação, estética.

Nas montras da livraria Buchhandlung OH*21 estão pendurados cartazes de protesto, que são regularmente substituídos  consoante as notícias da política local ou global. Uma possibilidade de ensaiar protestos públicos ou o "ir para a rua” mesmo durante as horas de trabalho. A seleção dos títulos, das editoras, de escritores e de escritoras demonstra uma atitude e provoca simpatias (ou a correspondente indignação) em todos aqueles leitores que se interessam por movimentos de mulheres, anarquia, socialismo, capitalismo, filosofia e sociologia.

"Poetizem-se!"

A distância de Kreuzberg para o bairro Prenzlauer Berg, passando por Berlin-Mitte, é de seis quilómetros. Indo a pé, podemos parar ainda na Ocelot - not just another bookstore, na Brunnenstrasse. Há algumas semanas ainda se podia ver nas duas grandes montras da livraria o imperativo “Poetizem-se!", parafraseando o mote de uma editora independente de Berlim. Este incitamento à “poetização” tem um efeito de desinfeção e provoca sempre um sorriso em mim, quando penso nele, quando o leio, quando o oiço, quando o verbalizo ou quando o escrevo. Desde 2015, a diretora da livraria é Maria-Christina Piwowarki, que este ano faz parte do júri do Prémio do Livro Alemão, o mais importante prémio literário da Alemanha. A equipa da Ocelot é formada por seis mulheres e um homem, que se entregam com grande entusiasmo a um trabalho que frequentemente é subestimado, mas que é muito importante: a divulgação da cultura. A direção da equipa é de Piwowarki. Ludwig Lohmann é responsável por eventos e exposições, Alex Bachler ocupa-se dos temas novelas gráficas, banda desenhada, literatura juvenil e infantil, Jana Stemmler é especialista em fotografia e arte contemporânea, Magda Birkman é responsável pelas venda online. O café está nas mãos de Eva e Cecilia Drain faz um curso de livreira na própria livraria Ocelot.
  • Livrarias em Berlim 1 © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
  • Livrarias em Berlim © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
  • Livrarias em Berlim © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
  • Livrarias em Berlim © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
  • Livrarias em Berlim © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
  • Livrarias em Berlim © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
  • Livrarias em Berlim 7 © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
  • Livrarias em Berlim © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
  • Livrarias em Berlim © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
  • Livrarias em Berlim © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
  • Livrarias em Berlim © Goethe-Institut Italien - Foto: Giulia Mirandola
Para chegar ao Prenzlauer Berg, seguimos simplesmente a Veteranenstrasse e aí viramos para a Kastanienallee. Muito perto do cinema Lichtblick e da casa ocupada (e legalizada) na Kastanienallee 77, podemos encontrarmos aqui a livraria Buchladen zur schwankenden Weltkugel. É um último reduto para editoras pequenas e independentes e causa impacto devido à impressionante quantidade de revistas políticas e literárias alemãs e estrangeiras Encontramos inclusivamente o semanário italiano Internazionale, uma versão italiana da Courrier International. A questão seria: quem lê todos estes livros sobre assuntos como política, anarquia, antifascismo, antimilitarismo, antirassismo, antisemitismo, feminismo, disability studies, estudos do género, temas sindicais, ecologia, crítica da sociedade, economia, filosofia e psicanálise? Uma visita à livraria Buchladen zur schwankenden Weltkugel dá-nos a resposta.

Uma escala a caminho de casa

A Goldhahn und Sampson não se encontra em nenhuns dos mapas das livrarias de Berlim, mas fica no caminho. Os fundadores e donos, Sascha Rimkus e Andreas Klöckner, vendem produtos gourmet e vinhos selecionados e também organizam cursos de cozinha internacional. Encontramos na Goldhahn und Sampson uma seleção de livros de cozinha de todo o mundo. Estão disponíveis mais de 4000 títulos sobre temas como ciências da alimentação, cultura gastronómica, cultura alimentar, cozinhas regionais, pães do mundo, bem como fotografia e ilustração de bens alimentares. Desta vez consigo resistir e não comprar nenhum livro, mas compro algo doce: uma caixa dos melhores chocolates da tradicional fábrica de chocolates de Berlim Erich Hamann, que são uma verdadeira especialidade.
 
A caminho de casa pela Schönhauser Allee, podemos sempre encontrar uma livraria com as luzes ainda acesas, tal como hoje. Sendo a última cliente, tenho a sorte de ter a livraria Uslar & Rai só para mim e tento disfrutar desse privilégio. A livraria é bonita de se apaixonar. Não apenas devido à enorme quantidade de livros expostos, mas também porque há muito espaço. Devemo-lo à designer gráfica Katharina von Uslar e ao escritor Edgar Rai, que também trabalham como livreiros desde 2012, e a Tina Friedrich, que já tem muito experiência no ramo. Inspirada pelo ambiente, envio logo algumas fotos a uma amiga minha e proprietária de uma livraria em Milão. A resposta diz: “Adorava que a minha livraria fosse exatamente assim!"



Parte I: Um passeio pelas mais belas livrarias de Berlim – Parte I 
Parte II: Um passeio pelas mais belas livrarias de Berlim – Parte II