Acesso rápido:
Ir diretamente para o conteúdo (Alt 1)Ir diretamente para a navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente para a navegação principal (Alt 2)

Feira do Livro de Frankfurt 2020
Anne Weber conquista o Prémio Alemão do Livro

Anne Weber recebe o Prémio Alemão do Livro 2020
Foto (detalhe): Arne Dedert © picture alliance/dpa/POOL

"Annette, ein Heldinnenepos" (Annette, a epopeia de uma heroína), de Anne Weber, conquistou o Prémio Alemão do Livro 2020 atribuído ao romance do ano, na abertura da Feira do Livro de Frankfurt. 

De Sabine Peschel

A edição deste ano da Feira do Livro de Frankfurt é digital e descentralizada; no entanto, a abertura continua a ser analógica também em 2020: a entrega do Prémio Alemão do Livro, atribuído ao Livro do Ano aconteceu, tal como há muitos anos, no edifício da Câmara Municipal de Frankfurt – perante um público restrito, mas distinto: cinco dos seis autores finalistas estiveram presentes, alguns editores, representantes do município e da Associação Alemã de Editores e Livreiros, alguns técnicos e jornalistas. Todas as outras pessoas interessadas puderam acompanhar a entrega do prémio em transmissão direta por vídeo, ou via rádio.

Agradecimento a uma heroína real

E ficou a impressão de que os aplausos dos poucos que estiveram fisicamente presentes na sala foram, este ano, mais ruidosos quando, uma escassa hora após o início da sessão, foi anunciada a decisão. Não para compensar a ausência de todas as outras pessoas ligadas à literatura, mas por admiração verdadeira por um livro muito especial. Porque o prémio atribuído a Annette, a epopeia de uma heroína não distingue apenas uma obra que a etiqueta "romance" designa de forma incompleta, mas também uma mulher, «a heroína não só deste livro, mas uma heroína real», como afirmou Anne Weber.

«Anne Beaumanoir, a pessoa real, a mulher cuja história narro aqui» é a mulher a quem a autora, que vive em Paris, exprime o seu grande agradecimento. No seu discurso, descreveu a vida totalmente fora do comum da mulher a quem dedicou a epopeia escrita em verso sem rima, a história de Anne (Annette) Beaumanoir, de 96 anos, nascida na Bretanha, em 1923, num meio humilde e que se tornou, jovem ainda, membro da Resistência comunista. 

Prémio distingue uma história de resistência 

«A força da história de Anne Weber pode medir-se com a força da sua heroína», foi assim que o júri justificou a sua decisão. «É impressionante como o género antigo da epopeia ganha aqui de novo frescura e com que facilidade Weber compõe a história de vida da resistente francesa Anne Beaumanoir, neste romance sobre coragem, resistência e luta pela liberdade.» Segundo o júri, trata-se nada mais nada menos do que da história franco-alemã, um dos fundamentos da Europa de hoje.
Com uma grande perfeição formal e de forma lúdica, Anne Weber narra, em staccato, a vida de Beaumanoir, que, ainda criança, salvou em Paris dois jovens judeus – pelo que lhe foi concedido o título honorífico «Justos entre as Nações» pelo Yad Vashem. E que, depois da guerra, se debateu com o seu amor traído pelo Partido Comunista, tornando-se esposa e mãe, levando durante algum tempo, não muito, uma vida dentro dos parâmetros burgueses, em Marselha. Beaumanoir juntou-se, entretanto, ao movimento pela independência da Argélia e foi por isso condenada a uma pena de prisão de dez anos, em 1959. Ainda hoje a heroína real conta em escolas a sua vida nos movimentos de resistência.

Reconhecimento de uma lista de finalistas muito variada

Os seis títulos finalistas eram, este ano, especialmente heterogéneos. Pela primeira vez, houve mais escritoras nesta lista final – as mulheres estiveram em maioria, quatro para dois. «Escolhemos estes livros porque ficámos fascinados com a variedade de opções formais com que os escritores e as escritoras trabalharam»; foi com estas palavras que o júri comentou, em retrospetiva, a seleção prévia. «Em muitos casos, debruçam-se sobre temas históricos, criando dessa forma uma coisa muito importante: fazem deles algo que se torna para nós presente. Criam algo que nos comove.» Segundo o júri, estes livros permitem conhecer algo que só é possível conhecer através do romance.

A Fundação para a Cultura e Promoção do Livro da Associação Alemã de Editores e Livreiros distingue anualmente, com o Prémio Alemão do Livro, o «Romance do Ano» na abertura da Feira do Livro de Frankfurt. Ao todo, o prémio tem a dotação de 37.500€: a premiada recebe 25.000€, enquanto os cinco restantes finalistas recebem 2.500€.
 

Weber, Anne: Annette, ein Heldinnenepos
Berlin: Verlag Matthes & Seitz, 2020. 208 páginas

Este livro também está disponível na biblioteca digital Onleihe.