Acesso rápido:
Ir diretamente para o conteúdo (Alt 1)Ir diretamente para a navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente para a navegação principal (Alt 2)

Meral Kureyshi
Elefantes no jardim

Limmat Verlag, 2015
141 páginas
978-385791-784-4

EXCERTOS:

Elefanten im Garten

Sobre o livro

© 2015 Limmat Verlag, Zurique

Quando o pai morre inesperadamente, a jovem narradora vê a sua vida virada do avesso. Durante um ano, vive no mais ou menos, frequenta aleatoriamente vários seminários na universidade, faz percursos de comboio, visita, de improviso, lugares da sua vida no passado, viaja para Prizren. As memórias da infância idílica passada na cidade turca e que teve de abandonar com a família aos dez anos de idade invadem de forma poderosa o seu presente na Suíça.

Em Prizren não torna a encontrar o mundo da sua infância e também ela não é mais a mesma pessoa. Procura por um lugar no país novo, na língua nova. A dependência da mãe solitária é-lhe muito difícil de suportar e a cada palavra alemã assimilada cresce a distância entre elas. Enquanto a mãe se vai isolando mais e mais, a narradora tenta fugir ao impasse gerado.

Elefantes no Jardim é um romance maravilhoso sobre uma vida marcada pela migração, sobre origem e distanciamento, perda e perseverança, mas também sobre o recomeço e a salvação – na narração da história.

DIREITOS INTERNACIONAIS 

Erwin Künzli
Limmat Verlag, Zurique
kuenzli@limmatverlag.ch
Direitos de tradução vendidos para a língua árabe.


Crítica

Neuza da Silva Faustino (tradutora)

Com a morte do pai a narradora vê quebrar-se o elo principal entre a sua infância na Turquia e a vida adulta na Suíça. O desfasamento que tem vindo a operar-se a nível linguístico, cultural e religioso toma, então, outra consciência que a obriga a avaliar as perdas e os ganhos, as lacunas e os preenchimentos, na construção da sua identidade, no contacto com o outro, mesmo no seio familiar.

As viagens que então empreende entre Prizren e Berna em busca das suas origens e da conciliação com a atual realidade transformam-se numa narrativa que privilegia o espaço interior e que, em tom autobiográfico e sem nome próprio, pretende ser coletiva e tocar-nos a todos.

Os diferentes lugares, contextos culturais e religiosos, vivências e experiências que marcaram a narradora parecem querer disputar entre si o desejado ponto de apoio ou de ligação possível que outrora fora estabelecida através do pai. A mãe, invisual e dependente, não lhe pode fornecer essa base, representando um passado incapaz ou relutante à adaptação; o irmão trava a sua própria batalha, sendo a irmã mais nova a que, sem culpa em relação aos seus antepassados, melhor se introduz e desenvolve no mundo novo, não necessitando de o questionar ao nível, por exemplo, de uma pertença linguística e cultural.

Numa Europa igualitária, reconstruída em grande parte no pós-guerra pela mão de obra imigrante e pela vivência, portanto, com outras culturas, e que atualmente se prepara para acolher migrantes oriundos de demais cenários de guerra no mundo, a leitura deste romance conduz-nos a uma reflexão simples mas profunda e incisiva acerca do outro, como também sobre as formas de acolhimento e de integração, proporcionando-nos uma perspetiva mais humanista na construção de uma paz possível através da compreensão e da aceitação do outro, num compromisso que não pode ser apenas unilateral, uma vez que tocará em profundidade todas as partes envolvidas.


Meral Kureyshi

Meral Kureyshi Foto: © picture alliance/KEYSTONE Meral Kureyshi nasceu em 1983 em Prizren, na antiga Jugoslávia. A família pertencia à minoria turca no Kosovo, onde a autora passou a sua infância até aos dez anos de idade. Depois mudou-se com a família para a Suíça e começou a escrever as suas histórias. Formou-se na área do Comércio de Moda e Têxtil, depois estudou no Instituto Suíço de Literatura, em Biel, e posteriormente abriu uma atelier de poesia para crianças, em Berna. Em 2015 surge o seu primeiro romance Elefanten im Garten, em cuja narrativa inclui a sua própria experiência como migrante. A obra foi galardoada, entre outros, com o Prémio Literário do Cantão de Berna e conseguiu entrar na shortlist do Prémio do Livro Suíço.

Prémios:
2018: Luzerner Literaturpreis
2016: Berner Literaturpreis
2015: Shortlist do Prémio do Livro Suíço

Obras publicadas:
Fünf Jahreszeiten. Romance. Limmat Verlag, Zürich 2020.
Kindheit in der Schweiz. Erinnerungen. Limmat Verlag, Zürich 2015.
Elefanten im Garten. Romance. Limmat Verlag, Zürich 2020.